sexta-feira, 31 de julho de 2009

Governo dos Açores diz que «muitas empresas» já possuem planos de contingência



O Governo Regional dos Açores tem conhecimento que «muitas empresas de grande dimensão» do arquipélago já elaboraram planos de contingência para a gripe A (H1N1), apesar de desconhecer o número de empresas que têm este documento pronto

«No caso das empresas não temos essa contabilidade, nem teríamos que ter porque não são empresas públicas, mas sabemos que muitas das grandes empresas já possuem planos de contingência», afirmou o secretário regional da Saúde, Miguel Correia.

A Secretaria Regional da Saúde disponibiliza, no portal do executivo na Internet, orientações técnicas para que as empresas possam preparar os seus planos de contingência, além de ter distribuído um folheto aos empresários com as principais recomendações para prevenir o contágio.

«Desde Maio, têm sido também disponibilizadas as orientações necessárias para a elaboração de planos de contingência para escolas, creches e lares de idosos», acrescentou Miguel Correia, adiantando que os estabelecimentos de ensino «estão a preparar» os respectivos documentos.

Miguel Correia assegurou que o Governo Regional «está atento» a esta questão, tendo definido como objectivo «disponibilizar toda a informação necessária para facilitar a elaboração de planos de contingência».

«A Direcção Regional de Saúde disponibiliza todos os dados necessários para a elaboração dos planos, mas, obviamente, a responsabilidade de os elaborar é das empresas», afirmou.

O secretário regional da Saúde acrescentou que as empresas «podem e devem submeter os seus planos à apreciação do delegado de saúde concelhio», o que faz com que os empresários estejam «duplamente auxiliados» na elaboração dos planos de contingência para a gripe A (H1N1).

Nos Açores, foram registados até hoje 13 casos de gripe A (H1N1).


Fonte: SOL

Revista de imprensa dos Açores



O «chumbo» do Tribunal Constitucional a algumas das normas do Estatuto Político-Administrativo dos Açores é um assunto hoje em destaque na imprensa diária açoriana


O Correio dos Açores titula em manchete que «o Tribunal esfrangalhou o Estatuto dos Açores», enquanto o Diário dos Açores escreve a letras vermelhas «inconstitucional».


O Açoriano Oriental diz que o acórdão «dá razão às dúvidas deCavaco», o mesmo sublinhando o jornal Incentivo, que faz chamada de capa com este tema.


«Região vai ter central de comunicações da NATO» e «construções na areia invadiram Praia das Milícias», pode ler-se ainda na capa de hoje do Açoriano.


Em Ponta Delgada, destaque para a campanha de promoção da carne açoriana, nas Portas do Mar, com o Correio a avançar que «a medida anunciada pelo Governo ainda não era do conhecimento de todos os empresários da restauração».


O mesmo jornal diz que dois mil escuteiros vão acampar em Água d'Alto, em São Miguel.


O Diário dos Açores noticia que o navio Viking já navega a caminho de Ponta Delgada para reforçar a operação de transporte marítimo de passageiros e viaturas entre as ilhas açorianas e titula que o secretário regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos «critica as autarquias que não pagam às empresas da construção».


Na Terceira, o Diário Insular dá destaque às festas da Praia da Vitória que arrancam hoje com a inauguração da Feira de Gastronomia do Atlântico.


Destaque ainda para o programa eleitoral do PS que refere que «as autonomias dos Açores e Madeira são essenciais para o país».


No ensino, o jornal refere que «são cada vez mais os alunos da Universidade dos Açores que aderem ao programa Erasmus».


«Decq Mota (PCP) foi à Ribeirinha em campanha, ouvindo do presidente da junta que não há asfaltagens na freguesia desde o sismo e justificou a falta de dinheiro da câmara com gestões anteriores"», avança o jornal Incentivo.


Para perpetuar a memória dos baleeiros, o matutino Incentivo, do Faial, noticia que a freguesia do Capelo tem dois botes baleeiros.



Fonte: Sol / Sapo

Analistas apontam autonomia dos Açores como a derrotada do "braço-de-ferro"


A "grande derrota" da autonomia dos Açores pelo "calculismo partidário" é o resultado do "braço-de-ferro" entre Governo, Parlamento e Presidência da República, segundo analistas políticos ouvidos hoje pela Agência Lusa.

"A grande perdedora é a autonomia dos Açores, assim como o prestígio do Parlamento, mais uma vez ferido. Nomeadamente, alguns partidos que participaram no processo, mas que se apressaram agora a dizer que o derrotado era o PS", disse à Agência Lusa Adelino Maltês, do Instituto Superior Ciências Sociais e Políticas.

Maltês considerou que toda a polémica em torno do Estatuto Político-Administrativo dos Açores "reforça a necessidade de revisão constitucional", a fim de ser construída uma autonomia "não afectada pela longa tradição absolutista e capitaleira do Estado centralista".

"Os países federalistas, como os Estados Unidos, a Suíça ou o Reino Unido, por exemplo, são dos mais unidos do Mundo. O problema é que muito boa gente não gosta de pensar que os povos podem assumir o seu destino e manter a sua identidade nacional", concluiu, antevendo movimentos semelhantes na Região Autónoma da Madeira.

O investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa António Costa Pinto preferiu destacar o "calculismo político inerente a este braço-de-ferro", referindo-se à coincidência da iniciativa socialista com as eleições regionais açorianas.

"Muito rapidamente, tudo se transformou em tensão entre o Presidente da República e o PS de Sócrates, no Governo, sobretudo com a declaração dramática de há um ano. Cavaco Silva optou por uma estratégia política de fazer retrair o Parlamento e o Governo, enquanto o PS preferiu apoiar o PS regional, devido aos habituais compromissos", afirmou Costa Pinto à Lusa.

O analista definiu o sucedido como "um exemplo clássico de como os partidos testam os limites das próprias instituições, com base nos seus próprios interesses e gestão de apoios", embora considere que em nada se vai repercutir nas próximas eleições legislativas, até porque "o PSD também apoiou inicialmente a iniciativa".

"A questão do poder sub-nacional transcende a especificidade dos Açores. Têm existido numerosos braços-de-ferro entre o poder central e as regiões autónomas. Isto revela a ausência de equilíbrio e de consolidação da distribuição de poderes, seja em termos autonómicos ou noutros níveis. Portugal é o país mais centralizado da Europa", disse também à Lusa o politólogo Carlos Jalali.

Jalali declarou Cavaco Silva como "claro vencedor" do conflito, naquele que classificou como "o primeiro passo de endurecimento das relações com o Governo, apesar de o Presidente da República ter sido muito criticado na altura".
O Tribunal Constitucional declarou quinta-feira a inconstitucionalidade de várias normas do Estatuto Político-Administrativo dos Açores, dando razão à maior parte das objecções ao diploma colocadas por Cavaco Silva, que vetara a iniciativa por duas vezes.

A nova redacção do documento, que consta da Lei 2/2009, de 12 de Janeiro, foi depois aprovada pela Assembleia da República, em 19 de Dezembro, com os votos favoráveis do PS, PCP, CDS/PP, Bloco de Esquerda e Os Verdes e a abstenção do PSD.

O PS já declarou que tenciona respeitar a decisão do Tribunal Constitucional, mas, por seu turno, os socialistas açorianos anunciaram que vão tentar concretizar as alterações numa futura revisão da Constituição, "já que o estatuto foi aprovado por unanimidade na região e sem votos contra no Parlamento".


Fonte: Expresso

Baleias «salvas» na Terceira foram morrer no Faial


Três baleias de bico, aparentemente as mesmas que estiveram durante dois dias no Porto Oceânico da Praia da Vitória, na Terceira, morreram na Praia do Almoxarife, na cidade da Horta, no Faial.

O director dos Serviços de Ambiente do Faial, Nuno Pacheco, vários guardas da natureza, agentes da Polícia Marítima e elementos do Clube Naval da Horta, além de alguns populares, tentaram ajudar uma das baleias, que ainda estava viva junto ao areal, mas não tiveram sucesso.

«O esforço não resultou», lamentou Nuno Pacheco, adiantando que o estado do cetáceo e a maré inviabilizaram o sucesso da operação, que também foi acompanhada por biólogos do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores.


Sócrates sai a perder de «braço-de-ferro» com PR



O politólogo Manuel Meirinho considerou que a decisão do Tribunal Constitucional (TC) sobre o Estatuto dos Açores penalizou o Partido Socialista, que «sai a perder» deste «braço-de-ferro» com o Presidente da República.

«Esta situação é claramente um caso de braço-de-ferro. Não há dúvida nenhuma por mais que o PS tentasse minimizar isso e os motivos são sempre de natureza política. São esquemas que pela via jurídico-legislativa criam tensões no sentido de alimentar guerras político-institucionais», considerou o politólogo do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP).

Para Manuel Meirinho, é José Sócrates, primeiro-ministro e líder do PS, quem sai a perder, uma vez que o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, se pronunciou na comunicação social e que o processo se arrastou no tempo.

O politólogo entende ainda que a decisão do TC «não põe em causa a qualidade global da legislação» mas considera que «obriga a pensar alguns casos», uma vez que «o problema da qualidade da legislação não e só técnico, é também político».

Manuel Meirinho disse ainda que, do ponto de vista eleitoral, o Partido Social-Democrata «vai aproveitar ao máximo» esta decisão do TC, podendo tirar algum «benefício» dada a proximidadde ideológica com Cavaco Silva e alegando que «sempre antecipou que não havia razão para esta conflitualidade».

No entanto, Meirinho diz ser «especulativo» tirar consequências deste episódio relativamente aos resultados eleitorais.

O politólogo considerou ainda que as reacções do PS não beneficiam o partido nesta questão: «O PS já atacou claramente o Tribunal Constitucional. Isso não é bom», disse referindo-se às declarações do porta-voz do Secretariado do PS/Açores, Ricardo Rodrigues.

Relativamente ao Tribunal Constitucional, o PS/Açores considera que «tem sido mais um órgão de orientação política do que jurídica» e que no seu seio «mantém conceitos e preceitos que já foram revistos pela Constituição da República».

Ricardo Rodrigues acusou o Tribunal Constitucional de ser «centralista» e garantiu que «não vai promover nenhuma revisão» do Estatuto Político-Administrativo dos Açores, nem das normas consideradas inconstitucionais enquanto aguarda a revisão da Constituição.

Fonte: Diário Digital

Presidente Cavaco Silva ganha guerra dos Açores


Um ano depois de Cavaco Silva alertar os portugueses numa inesperada mensagem à Nação de que o Estatuto dos Açores restringia o exercício das suas competências políticas e punha em causa o superior interesse do Estado, o Tribunal Constitucional (TC) acaba por lhe dar razão num acórdão que deita por terra as pretensões do Governo Regional de Carlos César e da maioria socialista na região.

Mais do que isso, o acórdão de fiscalização sucessiva do Estatuto ontem tornado público, na sequência de um pedido do provedor de Justiça e de um grupo de deputados, significa que Cavaco Silva ganhou a guerra com o primeiro-ministro e líder do PS, que aproveitou o agora chumbado Estatuto para afrontar de forma clara o Presidente da República, atirando para o lixo com a cooperação estratégica que Belém e São Bento mantinham desde a eleição de Cavaco Silva.

Todas as questões levantadas pelo Presidente – primeiro na sua comunicação de 31 de Julho de 2008, depois na de 29 de Dezembro, logo após a Assembleia da República, com os votos do PS, ter aprovado o Estatuto, sem acolher as objecções de Cavaco Silva –, foram agora chumbadas pelos juízes do TC. Isto é, as audições do Presidente da República ao Governo Regional em caso de dissolução da Assembleia Regional, marcação da data de eleições antecipadas ou referendos na Região foram declaradas inconstitucionais. E foi igualmente considerado contrário à Constituição que a Assembleia da República tivesse de pedir autorização à Assembleia Regional para introduzir alterações ao Estatuto.

Outra norma declarada inconstitucional é a obrigatoriedade do hastear das bandeiras da Região nos órgãos de soberania regionais e nas autarquias locais. Com esta decisão, acaba uma longa guerra entre Cavaco e Sócrates. Ganhou o Presidente da República, perdeu o primeiro-ministro.

SOCIALISTAS REAGEM A DUAS VOZES A DECISÃO

O PS reagiu ontem a duas vozes à decisão do Tribunal Constitucional (TC). Primeiro, o líder parlamentar, Alberto Martins, afirmou que o acórdão não põe em causa o Estatuto e a sua vigência. A posição de Alberto Martins foi transmitida à Lusa em reacção à decisão do Tribunal Constitucional. No PS-Açores, Ricardo Rodrigues acusou, por seu turno, o Tribunal Constitucional de ser "centralista".

Do lado do PSD, o secretário-geral, Marques Guedes, afirmou que o TC deu "razão integral" aos sociais-democratas quanto ao Estatuto dos Açores e pôs fim "a uma agressão inútil" do PS ao Presidente da República. O PCP-Açores considerou que a decisão já era "esperada" e o CDS-PP/Açores culpou PS e PSD.

PORMENORES
DISSOLUÇÃO

Presidente da República deixa de ser obrigado a ouvir o Governo Regional em caso de dissolução da Assembleia Regional.

BANDEIRAS

Deixa de ser obrigatório hastear a bandeira regional dos Açores nos órgãos de soberania do Governo da Região e nas autarquias locais.

ALTERAÇÕES

O Parlamento pode alterar estatuto sem autorização prévia da Assembleia Regional dos Açores.

"DERROTA AINDA MAIOR PARA JOSÉ SÓCRATES" (Marcelo Rebelo de Sousa sobre Estatuto dos Açores)

Correio da Manhã – A decisão do Tribunal Constitucional sobre o Estatuto dos Açores é uma clara derrota do PS ou do PS/Açores?

Marcelo Rebelo de Sousa – É uma tripla derrota. É uma derrota para todo o Parlamento, dado que, por várias vezes, todos os partidos votaram aquela lei. Segundo, é uma derrota maior para o PS/Açores porque fez finca-pé sem razão. Terceiro, é uma derrota ainda maior para José Sócrates pela teimosia com que afrontou o Presidente quando dentro do seu próprio partido quem percebesse de direito constitucional via que era inconstitucional.

– Carlos César perde influência dentro do próprio PS?

– O presidente do Governo Regional dos Açores está em queda. Está no último mandato. Esta decisão ainda enfraquece mais Carlos César, quer no PS, quer perante os açorianos.

– Terá de se fazer novo Estatuto?

– Desde que o Tribunal Constitucional, em fiscalização sucessiva abstracta – depois de verificada a promulgação do diploma – declare a inconstitucionalidade de duas normas, essas normas deixam de produzir efeito para o futuro. E a menos que declare o contrário, destrói-se os efeitos produzidos no passado.


quinta-feira, 30 de julho de 2009

Última baleia na Praia da Vitória voltou ao mar


Já regressou ao mar a última das quatro baleias de bico que entraram na passada terça-feira no Porto Oceânico da Praia da Vitória, confirmou, esta quinta-feira, o comandante da Capitania do Porto de Angra do Heroísmo.


Apesar dos animais terem resistido às tentativas de as devolver ao mar, duas das baleias conseguiram sair das águas do porto ainda no próprio dia. Contudo, uma delas morreu após ter encalhado na areia.

Até ao momento desconhecem-se as razões que terão levado as baleias a ter este comportamento.


Fonte: Correio da Manhã

Tribunal Constitucional chumba Estatuto dos Açores


O Tribunal Constitucional chumbou o novo Estatuto Jurídico-Administrativo dos Açores. A notícia está a ser avançada pela SIC Notícias.
Há um ano atrás, o diploma tinha já suscitado duras críticas por parte do Presidente da República. Na altura, Cavaco Silva pôs em causa a constitucionalidade do novo Estatuto e, por esse motivo, vetou o diploma por duas vezes (sendo o primeiro veto constitucional e o segundo político).
Entre todas as dúvidas que Cavaco Silva tinha levantado a respeito do diploma, o Tribunal Constitucional deu agora razão a todas, excepto uma. Trata-se do ponto que diz respeito à obrigatoriedade de o Presidente da República ouvir os partidos com assento parlamentar, o Conselho de Estado, o Governo Regional dos Açores e a própria Assembleia Regional antes mesmo de dissolver o parlamento Regional.


quarta-feira, 29 de julho de 2009

Governo cede equipamento militar para comunicações nos Açores


O património militar localizado nos Açores vai ser posto ao serviço da população para facilitar a comunicação entre terra e navios militares, na sequência de um protocolo assinado quinta-feira pelo ministério da Defesa Nacional e o Governo Regional.


O protocolo de cedência de infra-estruturas, que será acompanhado por um memorando de entendimento entre as partes visa estabelecer uma parceria para "preservar, valorizar e rentabilizar património militar, localizado na Região Autónoma dos Açores mas afecto ao ministério da Defesa Nacional", colocando o mesmo "ao serviço das populações das cidades de Angra do Heroísmo, da Horta e de Ponta Delgada", referiu hoje o ministério, em comunicado.


Os documentos são "um passo essencial" para a futura infra-estrutura de Comunicações Navais nos Açores, uma plataforma de comunicações via rádio "indispensável para a comunicação entre terra e os navios militares", acrescentou.


Fonte: Google / Lusa

Açores com nova rede de percursos pedestres desportivos


A Câmara da Ribeira Grande inaugura quinta-feira uma dezena de percursos urbanos desportivos, tornando-se a primeira cidade de S. Miguel, Açores, a dispor de percursos pedestres equipados com equipamentos desportivos.

Os dez percursos urbanos, inseridos no programa Ribeira Grande Saudável, estendem-se pelas freguesias de Santa Bárbara, Ribeira Seca, Conceição, Matriz e Ribeirinha.

A iniciativa, segundo a autarquia, pretende dar resposta ao crescente número de munícipes, de vários escalões etários, que realizam caminhadas pelo centro urbano da Ribeira Grande.

Desta forma, são criados trajectos organizados para essas caminhadas, que, em simultâneo, valorizam as zonas históricas e de interesse turístico.

A maioria destes percursos são circulares, coincidindo o local de partida com o da chegada, tendo o mais curto cerca de 2,8 quilómetros de extensão, enquanto o mais longo se estende por cerca de cinco quilómetros.


Baleia morta já foi retirada do areal da Praia da Vitória


A baleia de bico que morreu hoje encalhada na Praia da Vitória, ilha Terceira, já foi retirada pelas autoridades e transportada para o Matadouro Industrial da Terceira, onde será analisada por especialistas para determinar a causa da morte.

A informação foi revelada à Lusa, no local, por Paulo Messias, vereador da Câmara da Praia da Vitória, que acompanhou os trabalhos de remoção da baleia, com cerca de quatro metros de comprimento.

As operações foram também acompanhadas por populares, que se juntaram nas imediações da baía daquela localidade para ver as baleias que ainda se encontram no interior do Porto Oceânico.


Chegada do navio Viking aos Açores ainda sem data marcada


Ainda não há uma data precisa para a chegada do navio Viking aos Açores. Depois de sucessivos atrasos, a empresa responsável pelo transporte entre as ilhas do arquipélago disse que agora são as condições meteorológicas que impedem o navio de deixar o porto britânico de Falmouth rumo a Ponta Delgada.

Segundo disse o presidente da empresa Atlânticoline, António Raposo, «o navio está a aguardar a melhoria das condições meteorológicas que se fazem sentir naquela zona do Sul de Inglaterra».

O responsável explicou que o Viking foi já reparado da última avaria que sofreu, num compartimento de proa, depois de uma fissura de 30 centímetros no tanque de combustível de longo curso.

O Viking deveria ter entrado ao serviço da empresa a 22 de Junho. Contudo, as obras na adaptação dos portos açorianos motivaram um adiamento para 11 de Julho, a que se juntou outro, devido a um acidente com o piloto que deveria levar o navio de Liverpool para a Ponta Delgada. Sobre dúvidas levantadas relativamente ao aluguer do barco, António Raposo esclareceu: «O Viking foi fretado pela Atlânticoline à Transinsular porque entendemos ser essa a solução mais vantajosa e preferível»

O Viking tem capacidade para transportar 690 passageiros e 140 viaturas.


Hoje é Dia Nacional da Conservação da Natureza



Assinala-se hoje o Dia Nacional da Conservação da Natureza. Uma data criada para chamar a atenção dos cidadãos para a importância da natureza.

Em jeito de balanço, o presidente do Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) diz que muito foi feito neste último ano. “Em termos nacionais investiu-se bastante em matéria de conservação a vários níveis: Em planos de acção em determinadas espécies, como o lince, o golfinho e a águia imperial; a nível de produção de enquadramento legislativo, produziu-se o regime de conservação da natureza e estabeleceram-se condições para a criação de um fundo para o financiamento da conversação; além disso, praticamente concluímos todo os planos de ordenamento das áreas protegidas”, refere Tito Rosa.
Estes planos de ordenamento permitem também proteger melhor a floresta contra os incêndios. Um passo importante tendo em conta que o Parque Nacional da Peneda Gerês já foi este ano atingido pela chamas.
O presidente do ICNB fala também do acordo que hoje vai ser assinado, entre Portugal e Espanha, para a cedência do lince ibérico. Os primeiros animais vão chegar a Silves em Setembro.
O “Lynx pardinus” é considerado o felino mais ameaçado do mundo e, de acordo com o último censo nacional da espécie, está em fase de pré-extinção em Portugal, sendo que desde 2001 não se detectam vestígios de lince em território nacional.





Fonte: Renascença

Quatro baleias entraram na Praia da Vitória


Um grupo de quatro baleias entrou terça-feira na baía do Porto Oceânico da Praia da Vitória, na ilha Terceira, e ainda não conseguiu sair, tendo um dos animais encalhado na praia, onde morreu.

Esta manhã, segundo revelou à Lusa o comandante da Capitania do Porto de Angra do Heroísmo, Gonçalves Rodrigues, uma das baleias encontrava-se junto ao cais cimenteiro, enquanto as outras duas estavam nas imediações da Marina da Praia da Vitória.


Os quatro animais, presumivelmente baleias de bico, entraram na baía ao final da tarde de terça-feira e, desde essa altura, têm resistido a todos os esforços feitos para as conduzir de novo para o oceano.


Fonte: Diário Digital

terça-feira, 28 de julho de 2009

GPS não substitui guia credenciado na subida ao Pico



O sistema de monitorização por GPS disponibilizado a todos os que pretendem subir a montanha do Pico, nos Açores, não pode ser visto como uma alternativa ao acompanhamento por um guia credenciado, cujos conhecimentos são essenciais na caminhada.

«O sistema, se for bem implementado, é importante, mas, da forma como está a ser apresentado, parece que qualquer pessoa pode ir lá acima sem guia», alertou hoje Valter Medeiros, guia credenciado, em declarações à Lusa.

«Este sistema não pode ser uma alternativa ao guia, tem que ser complementar», acrescentou, salientando que o aparelho «não diz qual o caminho a seguir, apenas indica onde a pessoa está».

Por outro lado, o sistema também apresenta falhas, como a que aconteceu há cerca de uma semana, quando um turista ficou ferido na montanha e não foi possível fazer o pedido de resgate através do GPS.

O sistema deveria permitir, segundo informação divulgada pelo governo regional, a emissão automática de um pedido de socorro ou a transmissão de uma mensagem de voz para um número de emergência, mas nenhuma das hipóteses funcionou.

«Tentei várias vezes fazer a chamada pelo GPS, mas não consegui. O pedido de resgate foi feito pelo meu telemóvel», revelou Valter Medeiros, que era o guia do turista que partiu um pé quando iniciava a descida da montanha mais alta de Portugal.

Na resposta a este acidente, Valter Medeiros elogiou o trabalho desenvolvido pelos bombeiros voluntários da Madalena, que demoraram cerca de quatro horas a descer a montanha, transportando uma maca com um homem ferido.

«Foi um tempo recorde, porque é muito complicado descer com uma pessoa numa maca, o trilho é escorregadio, muito inclinado e tem zonas apertadas», salientou.
Para o guia, «o mérito (desta operação de resgate) foi dos bombeiros, não do sistema de GPS».

A subida ao Pico, a 2.351 metros de altitude, demora entre «três horas e meia e quatro horas», conforme a condição física das pessoas, sendo necessário igual período de tempo para fazer a descida.

O trilho oficial, com cerca de 3.800 metros de comprimento, é, segundo Valter Medeiros, «de nível médio, apresentando algum grau de dificuldade».

«É necessário ter alguma preparação física, não é um passeio pedestre acessível a toda a gente», frisou.

Desde o início do ano, já atingiram o cume da montanha do Pico 1.690 pessoas.





Fonte: Diário Digital

PJ deteve suspeito de abuso sexual de criança


A Polícia Judiciária anunciou hoje a detenção, nos Açores, de um homem de 56 anos, reformado, por suspeita da prática de um crime de abuso sexual de crianças.

A vítima é uma menina de nove anos, parente por afinidade do homem agora detido, o que, segundo a PJ, «terá facilitado a prática dos crimes».

A PJ não adianta pormenores sobre o local e as condições em que ocorreu a detenção, referindo apenas que o homem reside na ilha Terceira.


Mais de 40 mil pessoas avistaram baleias nos Açores em 2008



Os programas de observação de baleias nos Açores envolveram mais de 40 mil pessoas em 2008, o que representa um aumento superior a 420 por cento em 10 anos nesta actividade que sucedeu à caça à baleia no arquipélago.

Os dados constam do mais recente relatório do Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal (IFAW, na sigla em inglês), que indica que o número de pessoas que procura observar baleias nas ilhas açorianas passou de 9.500 em 1998 para 40.180 em 2008.

Nas contas desta organização internacional, a indústria ligada à observação de baleias nos Açores terá rendido no ano passado cerca de 7,6 milhões de euros.

O arquipélago dos Açores é considerado um bom local para a observação de baleias, tendo sido já referenciadas nas suas águas cerca de duas dezenas de espécies.

Por essa razão, a observação de baleias é uma actividade em crescimento na região, onde existem actualmente mais de duas dezenas de empresas credenciadas.
Este sector de actividade surgiu no início da década de 90, pouco depois de ter terminado a caça à baleia nos Açores, onde o último cachalote foi capturado em 1987.


Em 1993 já existiam duas empresas de observação de baleias a operar no arquipélago, por onde passam as rotas migratórias dos grandes cetáceos.

Apesar desta «reconversão» do interesse nas baleias, da caça para a observação, a memória da antiga actividade baleeira permanece viva no arquipélago, especialmente no Pico, onde funciona o Museu dos Baleeiros e o Museu da Indústria Baleeira.

Os antigos botes baleeiros foram também recuperados e disputam actualmente um campeonato regional.


Fonte: Diário Digital

Ex-presidente do PE vai fazer lobby pelos Açores na UE



A APCO Worldwide, liderada por Pat Cox, ex-presidente do Parlamento Europeu, foi escolhida para prestar serviços de lobbying pela Região Autónoma dos Açores junto das instituições da União Europeia durante os próximos 12 meses.

Esta empresa, com sede em Bruxelas, foi escolhida pelo júri na sequência de um concurso público internacional em que participaram mais quatro concorrentes, entre os quais duas empresas portuguesas.

Os dois restantes concorrentes eram uma empresa com sede em Espanha e um consórcio luso-belga.

Uma nota do Governo Regional dos Açores refere que a escolha da APCO Worldwide se baseou no facto de se tratar de «um parceiro com reconhecida experiência, contactos privilegiados e capacidade técnica» para defender os interesses da região junto das instituições da União Europeia.

Na perspectiva do júri, esta empresa garante uma «presença permanente» em Bruxelas, além de possuir uma rede de escritórios nas principais capitais europeias, como Londres, Paris, Roma, Berlim ou Varsóvia.

O trabalho a desenvolver pela empresa terá como objectivo «assegurar o tratamento especial para os Açores no contexto das políticas, assuntos e legislação da União Europeia», mas também «identificar novas oportunidades para os Açores no quadro das políticas, mecanismos financeiros e parcerias com outras entidades».

O aumento do conhecimento sobre os Açores e da consciencialização sobre o seu posicionamento estratégico especial no contexto da União Europeia será outro dos vectores a desenvolver por esta empresa.





Fonte: Diário Digital

Green Trippin Camp 2009 começa esta quinta-feira


Artistas de nove nacionalidades vão passar entre quinta-feira e domingo pela Lagoa das Sete Cidades, nos Açores, no Green Trippin Camp 2009, um festival de música e artes onde as preocupações ambientais são cabeça de cartaz.


Além de sessões e oficinas de massagens, percussão, yoga, expressão corporal, tai chi e danças do mundo, a sexta edição do evento vai contar com uma maior diversidade de géneros musicais, com actuações de trance, ambient, dub, world music, jazz, drum n bass, electro e minimal techno.


Pelos dois palcos passarão artistas de Portugal, França, Rússia, África do Sul, México, Guatemala, Itália, Alemanha e Dinamarca, como Olivetreedance, La Resinance, Neuromotor, Penta ou Lost and Found.


«Todos os anos recebemos mais pessoas e mais artistas. Quisemos expandir o conceito original, partimos para a diversificação para chegar a um público diferente», explica à Lusa Hugo Santos, da promotora Fractal Species.


A organização pretende este ano ultrapassar os dois mil visitantes de 2008 e continuar a «evoluir para fora da fronteira» da ilha de São Miguel, um objectivo para que deverão contribuir o aumento «significativo» das vendas de bilhetes na Madeira e no Continente e a maior divulgação no estrangeiro.


Hugo Santos admite, no entanto, que o preço das viagens de avião até à ilha verde é ainda uma «barreira» à conquista de mais visitantes distantes.


Ainda assim, o responsável sublinha que o Green Trippin Camp oferece um cenário «particularíssimo» entre os festivais portugueses e «marca a diferença» a nível regional, pela música e pelas actividades disponibilizadas.


A edição de 2009 conta também com novidades a nível ambiental: além da exibição de documentários sobre o tema e da recolha selectiva de lixo várias vezes ao dia, foram construídas casas de banho ecológicas que dispensam água e químicos nas descargas e permitem que, após um processo de cerca de um ano, os dejectos possam ser transformados num fertilizante natural.


A organização pretende doar o composto à Câmara de Ponta Delgada, para utilização nos jardins, e a agricultores biológicos.


Também as paredes dos sanitários «a seco» foram construídas com embalagens tetrapak recolhidas a partir de uma campanha lançada online.


Os visitantes do Green Trippin Camp podem acampar no recinto e alugar canoas e bicicletas na margem da Lagoa das Sete Cidades.

Fonte: Diário Digital

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Concursos para alta velocidade nos Açores


O Governo lança amanhã os concursos para redes de alta velocidade na Internet nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira, abrangendo 17 autarquias, divulgou hoje o ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações.

Segundo um comunicado do ministério das Obras Públicas e Comunicações, os concursos públicos internacionais que serão lançados os seguintes municípios: Porto Moniz, Santana, São Vicente, Porto Santo, Calheta (Madeira), Calheta, Corvo, Lajes das Flores, Lajes do Pico, Madalena, Nordeste, Povoação, Santa Cruz da Graciosa, Santa Cruz das Flores, São Roque do Pico, Velas e Vila do Porto (Açores).

O programa português visa assegurar a coesão territorial e levar as Redes de Nova Geração aos 140 concelhos rurais e conta com fundos atribuídos pela União Europeia.

O comunicado salienta que as RNG "proporcionam serviços de telecomunicações muito mais rápidos, permitindo à generalidade dos consumidores o acesso a produtos e serviços tecnologicamente inovadores".


Fonte: DN

SATA estreou hoje Bombardier Q200


O Grupo SATA estreou hoje o Bombardier Dash Q200, que passou a integrar a frota da SATA Air Açores, na ligação Ponta Delgada e Horta.

O voo saiu às 11 horas de Ponta Delgada com cinco passageiros e chegou à Horta, onde entraram mais seis passageiros, seguindo depois para o Corvo onde desembarcaram os 11 passageiros e entraram outros onze que seguiram para as Flores, seguindo-se o Faial e Ponta Delgada, destino final do avião, diz um comunicado da empresa.

Os Bombardier Dash Q200 têm capacidade para 37 passageiros, “o que representa importante reforço de capacidade de tráfego para as rotas operadas, em particular as que se desenvolvem nas Ilhas da Coesão”, diz a nota.

Com a entrada do novo aparelho, o Dornier 228 deixa a frota da companhia aérea, tendo realizado o seu último voo comercial na sexta-feira passada.


Fonte: Presstur

Camas açoreanas todas ocupadas até Setembro


A quase totalidade das camas disponíveis nos Açores está ocupada desde Junho e é difícil encontrar uma livre até final de Setembro, confirma a Associação de Turismo Rural

"A crise não se tem feito sentir, os nossos associados têm as casas praticamente todas ocupadas", afirmou o presidente da associação, Eduardo Carreiro, em declarações à Lusa. "Estamos praticamente lotados desde final de Maio, princípio de Junho, e esta situação mantém-se nas casas dos nossos associados até final de Setembro", acrescentou.

Eduardo Carreiro admitiu que, "no início do ano, registou-se uma quebra sensível" na procura de casas de turismo rural, mas frisou que a situação "está ultrapassada".

A Associação de Turismo Rural dos Açores conta com meia centena de associados, que disponibilizam cerca de 600 camas em oito das nove ilhas do arquipélago. A ilha do Corvo, a mais pequena e distante do arquipélago, é a única que não tem turismo rural.

Em S. Miguel existem 20 casas, no Faial 12 e oito no Pico, enquanto a Terceira tem quatro, S. Jorge possui três e as ilhas das Flores, Graciosa e Santa Maria uma cada.

Segundo Eduardo Carreiro, os principais clientes são alemães e ingleses, mas salientou que "há casas com mais portugueses e outras onde são quase todos estrangeiros".


Em meio a crise, turismo rural nos Açores tem alta ocupação


O turismo rural nos Açores não parece estar sendo afetado pela crise internacional, já que quase todos os hotéis disponíveis estão ocupados desde junho. Além disso, é difícil encontrar uma cama livre até o final de setembro.

“A crise não se tem feito sentir, os nossos associados têm as casas praticamente todas ocupadas”, afirmou Eduardo Carreiro, da Associação de Turismo Rural dos Açores, em declarações à Agência Lusa.
Carreiro disse que, “no início do ano, registrou-se uma quebra sensível” na procura por casas de turismo rural, mas frisou que a situação “está ultrapassada”.
A associação conta com meia centena de membros, que disponibilizam cerca de 600 camas em oito das nove ilhas do arquipélago.
A ilha do Corvo, a menor e mais distante do arquipélago, é a única que não tem turismo rural.Segundo Carreiro, a maioria dos turistas é composta por alemães e ingleses, acrescentando que “há casas com mais portugueses e outras onde são quase todos estrangeiros”.
“Não existe um padrão, o que resulta da diversidade das casas e também da diferença entre cada uma das ilhas”, afirmou.
Característica comum entre os clientes das casas de turismo rural é, segundo ele, “o cansaço dos hotéis e a procura de algo diferente”.
Nesse sentido, ele frisou que “não há duas casas iguais”, o que permite uma grande escolha aos potenciais clientes.


Fonte: LUSA

Avaria no Viking foi reparada, diz Atlanticoline


A Atlanticoline, empresa responsável pelo transporte marítimo entre as ilhas açorianas, assegurou hoje que o incidente ocorrido sexta-feira com o Viking não implicará alterações nos horários previstos, mas não revelou quando o navio chegará a Ponta Delgada.


«O incidente não irá provocar qualquer alteração dos horários ou modificação do planeamento previsto para a utilização do navio Viking na operação de transporte marítimo inter-ilhas», revelou a empresa, num comunicado enviado à Lusa.


A posição da empresa surge depois do navio ter sido obrigado sexta-feira a atracar no Porto de Falmouth, no sul de Inglaterra, quando se dirigia de Liverpool para Ponta Delgada.


Na altura, a Atlanticoline revelou que tinha sido «detectado um sinal de alerta no painel de instrumentos», acrescentando agora que se tratou de «uma avaria num dos compartimentos de proa, provocada pelo mau tempo e pela forte ondulação».


Segundo a empresa, esta avaria, «que nunca colocou em risco a navegabilidade do navio», foi reparada no sábado, encontrando-se o Viking pronto para iniciar a viagem com destino a Ponta Delgada.


A largada de Falmouth depende apenas da melhoria das condições atmosféricas que se fazem sentir naquela zona de Inglaterra, o que impede a empresa de adiantar a data prevista para a chegada do navio aos Açores.


O Viking deveria ter começado a operar a 22 de Junho, mas a data teve que ser adiada para 11 de Julho devido a atrasos nas obras de adaptação aos portos açorianos.


Posteriormente, um acidente com o piloto que deveria trazer o navio de Liverpool para Ponta Delgada obrigou a novo adiamento do início da operação, para 13 de Julho.


Esta data acabou também por não ser cumprida, devido à descoberta de uma fissura de 30 centímetros no tanque de combustível de longo curso, quando o Viking estava a ser abastecido em Liverpool para iniciar a viagem para os Açores.
Resolvido este problema, o navio iniciou a viagem, mas teve que a suspender pouco depois da largada devido a uma avaria num compartimento de proa, agora resolvido.


Construído em 1997, em Itália, o Viking tem cerca de 100 metros de comprimento e consegue atingir uma velocidade de 35 nós, dispondo de capacidade para transportar 690 passageiros e 140 viaturas.


Enquanto se aguarda a chegada deste navio, a operação de transporte marítimo entre as ilhas dos Açores tem sido assegurada desde meados de Maio pelo Express Santorini, com 117 metros de comprimento.


Este navio apenas atinge uma velocidade máxima de 19,5 nós, tendo capacidade para transportar 650 passageiros e 120 viaturas.




Açores destinam 2 M€ para complemento ao abono de família


O Governo Regional dos Açores anunciou hoje que o complemento ao Abono de Família abrange este ano mais de 50 mil crianças e jovens, num investimento global superior a dois milhões de euros.

O executivo açoriano revelou que este complemento, que pode atingir um montante máximo de 12 euros para os titulares do primeiro escalão do Abono de Família, será pago até ao final deste mês, com efeitos retroactivos a Janeiro.

O denominado Complemento Açoriano ao Abono de Família para Crianças e Jovens foi criado pelo governo regional com o objectivo de reforçar as prestações familiares no arquipélago, procurando minimizar encargos como as despesas com habitação e bens alimentares que resultam do aumento do número de filhos.

Aeroportos dos Açores contrariam tendência de quebra nacional


Os aeroportos dos Açores estão em contra-ciclo com os restantes aeroportos nacionais e internacionais, tendo registado, em Junho último, um novo aumento ao nível do tráfego de passageiros.
Os aeroportos geridos pela ANA na Região Autónoma dos Açores tornaram a registar aumento de tráfego em Junho, tendo registado um aumento de1,2% no número de passageiros processados, comparativamente a igual período do ano de 2008.
Destaque para o aeroporto João Paulo II em Ponta Delgada, em que o número de passageiros processados registou um aumento homólogo de 4,4%, “contra a média nacional dos aeroportos ANA que decresceu -5,2%”, diz a empresa em comunicado.
A ANA faz ainda referência ao mercado alemão, “que lidera significativamente no crescimento de passageiros, com mais 53,8%, seguido do mercado dinamarquês e continental, ambos com 5,1%”.Na nota informativa, a ANA destaca ainda a performance de companhias aéreas como a Jetx Airlines, SATA Internacional e Finnair com crescimentos no transporte de passageiros de 46,0%, 7,7% e 6,8% respectivamente.


Fonte: Turisver

sábado, 25 de julho de 2009

Carlos César autorizou processo contra MAI


Ministério da Administração Interna assinou contrato a adjudicar o sistema de vigilância da costa, cujo processo é contestado em tribunal por uma empresa do Governo dos Açores. MAI invocou "interesse público" para avançar

O presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, deu luz verde para uma empresa pública desta região autónoma processar judicialmente o Ministério da Administração Interna (MAI) por alegadas irregularidades no concurso para o Sistema Integrado de Vigilância, Comando e Controlo (SIVICC) da costa portuguesa.

A empresa em causa, Globaleda, de capitais maioritariamente do Governo açoriano, era uma das candidatas ao fornecimento do SIVICC, mas foi preterida, juntamente com a francesa Thales. O júri do concurso escolheu uma empresa espanhola, a Indra, com justificações que não convenceram a concorrência. O contrato foi ontem assinado, com a presença do ministro Rui Pereira, mas com a ausência, notada, do comandante--geral da GNR, força que vai gerir o sistema, por estar de férias.

Com autorização de Carlos César, a Globaleda avançou esta semana para a justiça, com uma providência cautelar visando suspender a adjudicação, mas a resposta do Tribunal Administrativo não chegou a tempo. Antes, a Thales, que seguiu a mesma estratégia de impugnação, já o tinha conseguido, mas a invocação de "interesse público'" por parte do ministério fez o tribunal anular a suspensão do acto. O DN tentou contactar Carlos César para comentar a assinatura, ontem, da adjudicação, mas, segundo o seu porta-voz, este "está de férias".

Os açorianos, que concorreram ao SIVICC aliados com uma das maiores empresas da indústria de defesa israelita, alegam que, " ao contrário do que está expressamente afirmado no despacho de adjudicação" do MAI, o relatório final do júri "não foi precedido de audiência prévia aos interessados", o que constitui, a seu ver, uma violação da lei.

Outras contestações ao processo de escolha, que o presidente do júri, João Carlos Silva, assegurou ter sido "totalmente transparente" dizem respeito à ausência de informação sobre o preço final da proposta vencedora, incluindo a manutenção do equipamento. O DN pediu esse valor ao MAI mas não obteve resposta. Em causa está o facto de ter sido, precisamente, a diminuição do preço de manutenção um dos motivos que serviu para a empresa espanhola ter sido a eleita.

Tal como já tinha sido contestado pela Thales, a Globaleda, lembra ao tribunal, que o júri não testou no terreno aquele que é o principal equipamento a concurso, os radares. Outra questão levantada é o júri ter considerado uma vantagem para a Indra um factor que não estava no caderno de encargos - a ligação do SIVICC português ao sistema de radares de Espanha - o que é considerada uma "violação do princípio de igualdade", pois tal requisito nunca foi pedido às outras empresas.

Em comentário às impugnações, o secretário de Estado José Magalhães disse que o Governo teve uma "paciência zen", respondendo a todas as observações e separando sempre o que disse serem "procedimentos sujos" de "agentes e autores que não dão a cara" e a actuação nos tribunais por parte dos concorrentes.


Programa "Atlântida" transmitido esta semana da Ribeira Grande



É na Ribeira Grande, à beira mar, no moderno “ Passeio Atlântico” que se realiza o “ Atlântida” desta semana, com reportagens que mostram a sua força social, económica e cultural; entrevistas com convidados filhos da Terra e artistas que animam o Verão nortenho micaelense,
Destaque, no concelho das Cavalhadas, para as presenças do Dr. Ricardo Silva, Presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, do arquitecto, Fernando Monteiro, da escritora, Madalena San - Bento e da Drª Helena Sousa, Presidente da Fundação para o Desenvolvimento Sócio – Profissional e Cultural.
Relevo ainda para a representação da figura de Gaspar Frutuoso – pai da historiografia açoriana - ; grupo de teatro “O Figurino“ e os grupos musicais “Broad Beans”, “ Voz da Terra” e outros representativos da mais pura e singular tradição musical do concelho.Como não poderia deixar de ser, não faltarão ao brinde os saborosos biscoitos da Ribeira Grande e os licores de Maracujá do “ Ezequiel “.
Contamos, como sempre, com a sua participação através do telefone (351) 296 202 767 e por e-mail: atlantida.acores@rtp.pt
O “ Atlântida” é um programa da RTP – Açores, para a RTP – Madeira e RTP – Internacional, com produção de Victor Toste, realização de Alexandre Simas, e apresentação de Sidónio Bettencourt

+ info:

O programa Atlântida, produzido pela RTP-Açores e com emissão também na RTP-Internacional e RTP-Madeira, é um espaço de 90 minutos, destinado a divulgar as vivências e cultura dos açorianos, residentes ou não nas nove Ilhas, nos seus mais diversos aspectos: etnográficos, folclórico, musical, religioso, patrimonial, etc.
Todos os programas são temáticos, e por vezes transmitidos em directo do exterior, de modo a que o telespectador se insira no espaço humano e paisagístico das Ilhas.
r>Contamos como sempre, com a sua participação, através do telefone (351) 296 202 767 ou por email: "atlantida.acores@rtp.pt". r>
O "Atlântida" é um programa da RTP-Açores para RTP-Madeira e RTP-Internacional, com produção de Vitor Toste e Apresentação de Sidónio Bettencourt.




Fonte: RTP

Revista de Imprensa dos Açores


Os jornais dos Açores dão todos hoje, alguns com fotos de arquivo, a notícia de que o navio "Viking" atrasou a sua chegada ao arquipélago devido "ao disparo do alarme de entrada de água".

O navio, alugado pela Atlânticoline, destinado às ligações inter-ilhas durante o Verão, foi "obrigado a atracar de emergência em Inglaterra" mas a empresa mantém "o início da sua operação marcado para 07 de Agosto".

O matutino angrense Diário Insular escreve hoje em editorial sob o título "O labor das Lajes" que "as questões relativas à Base das Lajes, especialmente as laborais, continuam na ordem do dia, e a fórmula de crescimento dos salários a ser o pomo da discórdia".

Revela ainda que "A maioria das empresas públicas no arquipélago continua a aceitar cheques, ao contrário da política seguida pela transportadora aérea regional SATA, que recusa este meio de pagamento em todos os seus balcões".

O matutino micaelense Açoriano Oriental, destaca com foto, que "São Miguel passa a dispor de equipamento médico de ponta para resposta a acidentes de descompressão de mergulhadores, uma câmara hiperbárica".

Polícia apreende droga em Ponta Delgada, Angra e Horta e Regata Açoriano Oriental ruma a "casa" são outros títulos da primeira página de hoje.

O Correio dos Açores de Ponta Delgada tem como manchete a informação de que "Governo pode vir a autorizar expropriações [de terrenos] em Água de Pau na ilha de São Miguel.

Titula, ainda na primeira página, que o governo regional "se antecipa a Bruxelas" e começa já, no próximo ano lectivo, "a distribuir frutas e legumes nas escolas" como forma de "travar os problemas de saúde ligados à nutrição e ao excesso de peso e obesidade".

O Diário dos Açores, que também se publica em Ponta Delgada realça que a empresa ONI "moveu acção contra governo" para anular concurso de telecomunicações que o governo já tinha atrasado cuja prorrogação "pode custar 3 milhões de euros à região".


Fonte: Expresso

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Afinal o navio Viking já não chega aos Açores este fim de semana. Só visto!!!


O navio Viking, em viagem para os Açores para reforçar a operação de transporte marítimo de passageiros entre as ilhas, vai atracar no porto de Fallmouth, depois de um sinal de alerta ter sido detectado no painel de instrumentos.

A chegada do segundo navio de transporte marítimo de passageiros e viaturas entre as ilhas açorianas a Ponta Delgada estava prevista para este fim-de-semana, de acordo com o que noticia a agência Lusa. O navio tinha saído esta quinta-feira à tarde do porto de Liverpool.

De acordo com António Raposo, presidente do conselho de administração da Atlanticoline, empresa responsável pelo transporte marítimo de passageiros entre as ilhas, revelou que o comandante do navio reportou uma «situação anómala» e que «foram dadas orientações para o Viking aportar ao porto mais próximo», neste caso Fallmouth.

O navio estar nesse porto até que seja apurado «qual o problema em causa e o seu tempo de reparação», de acordo com o responsável da Atlanticoline.

O último atraso com a operação do Viking foi provocado pela descoberta há duas semanas de uma fissura de 30 centímetros no tanque de combustível de longo curso, quando o navio estava a ser abastecido em Liverpool para iniciar a viagem para os Açores.

O Viking foi construído em Itália em 1997 e tem cerca de 100 metros de comprimento.


Fonte: TVI

Ecologistas querem S. Miguel 'ilha livre de touradas'


A associação ecologista Amigos dos Açores apelou hoje aos residentes nos seis concelhos de S. Miguel a pronunciarem-se contra os espectáculos tauromáquicos, para que a ilha possa ser declarada "livre de touradas".

"Dado que as touradas nunca foram uma tradição na ilha de S. Miguel, incitamos a população a mostrar aos seus representantes autárquicos que é contra a introdução deste tipo de entretenimento desrespeitador dos direitos dos animais no seu território", refere a associação, num comunicado enviado à Lusa.

Nesse sentido, propõe que o envio de mensagens aos presidentes das câmaras de Ponta Delgada, Ribeira Grande, Lagoa, Vila Franca do Campo, Povoação e Nordeste.


ONI contra concurso nos Açores


A ONI moveu uma acção no Tribunal Administrativo e Fiscal de Ponta Delgada contra a Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamento para declarar «ilegal» e «nulo» o concurso de telecomunicações nos Açores, permitindo o lançamento de um novo.

«Entendemos que não foram asseguradas as boas práticas da contratação pública recomendadas pela Associação dos Operadores de Telecomunicações, não foram salvaguardados os interesses dos cidadãos, nem garantidas condições de igualdade e livre concorrência entre os vários operadores», disse esta sexta-feira o administrador da área comercial da ONI Communications, Joaquim Santos.

Esta acção surge depois de a ONI ter interposto, no início desta semana, uma providência cautelar contra a Secretaria Regional da Ciência Tecnologia e Equipamento dos Açores que visava suspender o concurso que, sublinha o responsável, «foi feito para todo o Governo regional dos Açores, em vez de se ter dividido por lotes geográficos ou por serviços».


Sporting presente na Taça das Nações, nos Açores


O Sporting será o representante português na terceira edição da Taça das Nações, evento internacional que se disputará na Ilha Terceira, nos Açores, entre 20 e 23 de Agosto.
Um dos adversários será o Dínamo de Moscovo, da Rússia, recente vencedor da UEFA Futsal Cup.
Munster (campeão da Alemanha), Southern Maryland (campeão dos EUA) e Cartagena (Espanha) também estarão presentes na competição.
O Sporting inicia a época no próximo dia 10 de Agosto, seguindo no mesmo dia para Ansião, onde irá permanecer até dia 15.


Navio Viking chega no próximo fim semana


O Viking, o segundo navio para a operação de transporte marítimo de passageiros e viaturas entre as ilhas açorianas, deverá chegar a São Miguel, nos Açores, no próximo fim-de-semana, anunciou hoje a Atlânticoline.

Uma fonte da empresa acrescentou à agência Lusa que o Viking "deverá iniciar a operação durante a próxima semana".

O início da operação do segundo navio tem vindo a ser sucessivamente adiada, tendo o último atraso sido provocado pela descoberta há duas semanas de uma fissura de 30 centímetros no tanque de combustível de longo curso, quando o Viking estava a ser abastecido em Liverpool para iniciar a viagem para os Açores.

Num comunicado, a Atlânticoline, empresa responsável pelo transporte marítimo de passageiros entre as ilhas, adianta que o navio saiu hoje do porto de Liverpool, no Reino Unido, às 13:30 locais (mais uma hora no continente) e a sua chegada a Ponta Delgada está prevista ocorrer na "noite de sábado para domingo".

"Na sequência das inspecções realizadas pela Maritime and Coastguard Agency (MCA), Registro Italiano Navale (RINA) e pelo Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM), o navio já iniciou a viagem entre o porto de Liverpool, no Reino Unido, e Ponta Delgada", refere.

A empresa acrescenta ainda que o Viking "operará sob o Sistema de Gestão de Segurança da Atlânticoline, recentemente certificado pela MCA".

O Viking deveria ter começado a operar a 22 de Junho, mas a data teve que ser adiada para 11 de Julho devido a atrasos nas obras de adaptação aos portos açorianos.

Depois, e na sequência de um acidente com o piloto que deveria trazer o navio de Liverpool para Ponta Delgada, o início da operação foi novamente adiado para 13 de Julho, uma data que também acabou por não ser cumprida, devido à descoberta do problema no tanque de longo curso.

A operação deste ano de transporte marítimo de passageiros deveria ter arrancado a 13 de Maio com o navio Atlântida, tendo a segunda fase início em meados de Junho com o navio Express Santorini.

O diferendo com os Estaleiros Navais de Viana do Castelo, que culminou com a recusa do Atlântida por parte do governo açoriano, obrigou a arrancar a operação com o Express Santorini, implicando a necessidade de encontrar um segundo navio para a segunda fase.

A Atlânticoline escolheu o Viking, contudo a sua utilização nos portos açorianos implicou adaptações, nomeadamente a colocação de uma porta lateral.

Construído em 1997, em Itália, o navio Viking tem cerca de 100 metros de comprimento e consegue atingir uma velocidade de 35 nós, com capacidade para transportar 690 passageiros e 140 viaturas.

Já o Express Santorini, que mede 117 metros, atinge uma velocidade máxima de 19,5 nós, tendo capacidade para 650 passageiros e 120 viaturas.


Fonte: Expresso

Governo Regional cria programa de acesso à habitação social


As famílias açorianas com graves carências habitacionais vão contar, a partir de agora, com um novo programa de apoio à habitação social, pela via do arrendamento, designado por "Famílias com Futuro".

A iniciativa foi hoje divulgada em comunicado do Conselho de Governo, que esteve reunido ontem na Graciosa, no final de uma visita estatutária de dois dias que os membros do executivo socialista efectuaram àquela ilha.

O novo programa habitacional pretende resolver "situações de grave carência habitacional", mediante o estabelecimento de um regime de arrendamento de prédios ou de fracções autónomas, adquiridos ou construídos pela Região, ou do subarrendamento de prédios previamente arrendados no mercado imobiliário.


quinta-feira, 23 de julho de 2009

Festival dos Moinhos 2009 na Ilha do Corvo




O festival dos Moinhos realiza-se este ano de 13 a 16 de Agosto na Ilha do Corvo no decorrer das festividades em honra de Nossa Senhora dos Milagres.


Do programa do Festival destaca-se a presença da B@nda.com, Chico Ávila e o grupo de teatro "A Jangada".


Além destes, o Festival contará igualmente com os Full "K" Ords da ilha das Flores, um grupo de fados e ainda com um duo que animará os bailes com o nome Duo Onda Jovem vindo da ilha do Faial.


Assim, na quinta feira, 13 subirão ao palco do Festival os Full "K" Ords pelas 23h00 segindo-se baile pelo Duo Onda Jovem.


Na sexta, 14 a noite cultural terá inicio pelas 22h00 com a actuação do grupo de teatro "A Jangada" apresentando sketch's de algumas peças já apresentadas por aquele grupo. Pelas 23h30 terá inicio o concrto com Chico Ávila. Um artista bastante conhecido do povo açoriano. Pela noite dentro volta ao palco o Duo Onda Jovem para mais um baile com muita animação.


No sábado, 15 actuará a B@nda.com.

Parecendo á primeira vista que a noite trás pouco a quem nos visita, não será bem assim. Esta banda apresentará uma mistura de baile e concerto. Este espectáculo denominado "Saturday Night Fever" contará com horas e horas de música, percorrendo vários estilos musicais desde os anos 70 até aos nossos dias, passando por variadissimos estilos musicais. Lá para o final da noite entra em acção um DJ residente que muito tem contribuido para a animação nocturna na ilha.


Domingo, 16 pelas 22h00 volta a B@nda.com. Desta vez para apresentar o seu mais recente trabalho intitulado "MP9" que consiste em adaptar temas emblemáticos do folclore açoriano para estilos musicais completamente diferentes. Pelas 23h30 actuará um grupo de fados apresentando este género musical com a participação especial de Chico Ávila. Para finalizar a festa e o Festival nada melhor do que dar mais uns passos de dança com o Duo Onda Jovem.


Este Festival tem o apoio da Direcção Regional da Juventude, Direcção Regional da Cultura, Câmara Municipal do Corvo, TMN, MEO, Super Bock, Mare Ocidental, Banif Açores, Residencial Comodoro entre outros...

Santa Clara realiza Assembleia-geral com risco de impugnação



Os sócios do Santa Clara decidiram por unanimidade realizar na noite de quarta-feira a Assembleia-geral ordinária mesmo correndo o risco de esta ser impugnada.

Tudo porque a direcção do clube deveria ter publicado a convocatória para a Assembleia-geral 15 dias antes da sua realização e não cumpriu o prazo estipulado, uma questão levantada por Pedro Castanheira, antigo dirigente do Santa Clara, que já havia ameaçado impugnar a reunião agendada para a noite de quarta-feira.

Mesmo assim, os sócios decidiram por unanimidade avançar para a Assembleia-geral, correndo o risco de qualquer sócio impugnar a mesma, pelo facto de a direcção ter publicado a convocatória no passado dia 9 em vez de no dia 7 deste mês perfazendo os 15 dias de antecedência exigidos.

Fonte: Jornal de Notícias

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Ilhas da coesão vão ter Internet gratuita



Os espaços públicos de maior afluência nas ilhas da coesão, na Região Autónoma dos Açores, vão ser equipados com Internet gratuita via wireless.

A iniciativa resulta de um contrato, assinado a 9 de Julho, e garante a aquisição e instalação de equipamento de rede que possibilitará a difusão do sinal nas ilhas de Santa Maria, S. Jorge, Graciosa, Flores e Corvo. O contrato representa um investimento que ronda os 85 mil euros.

O projecto «Wi-Fi das Ilhas da Coesão», uma iniciativa da Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos do Governo Regional dos Açores, estará operacional no próximo mês de Setembro, a tempo do arranque do próximo ano lectivo.

Fonte: IGOV

Cinco novos padres nos Açores


A Diocese de Angra passará a ter um total de 5 novos padres entre 2009 e 2010. No próximo sábado, dia 25 de Julho, pelas 11h00, será ordenado o diácono Hélio Nuno Santos Soares.

A celebração litúrgica da ordenação presbiteral, em São Jorge, será presidida por D. Carlos Alberto Moreira Azevedo, bispo Auxiliar de Lisboa. É a primeira vez que este bispo preside a uma ordenação sacerdotal.

No passado dia 19, foi ordenado o Pe. Rúben Sousa Medeiros, na igreja da Vila do Nordeste, na Ilha de S. Miguel.


Primeira pedra para central de vermicompostagem



A Câmara Municipal do Nordeste (São Miguel), lança hoje a primeira pedra para a construção de uma unidade de tratamento de resíduos urbanos com vermicompostagem, orçada em 2,3 milhões de euros, revelou o presidente da autarquia.

José Carlos Carreiro adiantou à agência Lusa que o fertilizante resultante da compostagem dos resíduos, que "tem demonstrado ser mais rico e melhor que os fertilizantes químicos", vai ser usado na adubação dos parques e jardins municipais".

Esta solução permite, segundo a autarquia, reciclar 80 por cento dos resíduos urbanos indiferenciados graças à acção das minhocas que digerem toda a matéria orgânica, transformando-a em húmus, reciclando plásticos, vidros e metais que ficam limpos após a sua acção.

Por outro lado "vão ser desenvolvidos testes sobre a sua capacidade em diferentes tipos de solos" o que poderá, posteriormente, "permitir a sua disponibilização a privados", explicou o autarca.

A nova unidade, que é financiada pela União Europeia em 85 por cento e vai substituir as funções do aterro sanitário, tem uma capacidade de laboração de cerca de 2.500 toneladas por ano correspondente a uma população de 5.500 habitantes.

José Carlos Carreiro classificou ainda como "muito importante" o facto de irem ser retirados "da actual célula do aterro sanitário muitos dos resíduos para compostagem".

Assim, "o aterro sanitário deixa de fazer sentido na sua utilização tradicional" porque "são exportados os restantes resíduos como o vidro e o plástico", disse o presidente da autarquia.

"Vamos ser o primeiro município a tratar praticamente a cem por cento a totalidade dos resíduos produzidos no concelho" garantiu José Carlos Carreiro.
As vantagens, segundo o autarca, traduzem-se numa menor agressão aos solos e a uma redução dos custos do tratamento dos resíduos que serão baixos relativamente a outras tecnologias existentes no mercado.

Por seu turno o director regional do Ordenamento do Território e Recursos Hídricos, João Luís Gaspar, realçou a "validade desta técnica, na defesa do ambiente, anteriormente apenas utilizada no sector agrícola, e agora extensível ao tratamento de lamas e resíduos industriais".

Esta é a primeira unidade do género no arquipélago e a terceira a nível mundial depois da entrada em funcionamento das unidades de Famalicão e Beja em Portugal.

A nova unidade fica localizada em São Pedro do Nordestino e ficará dotada, para além da central, de uma zona com edifícios administrativos e um auditório para alunos e visitantes que queiram acompanhar todo o processo de reciclagem através do uso das novas tecnologias.





Fonte: DN

terça-feira, 21 de julho de 2009

XII Jamboree Açoriano em S. Miguel


O Jamboree dos Açores, com a periodicidade de quatro anos, bem do agrado juvenil, já realizado por opção própria em cinco ilhas, Terceira, S. Miguel, Pico, S. Jorge e Graciosa, vai decorrer este ano na Ilha de S. Miguel, no parque escutista de Lagos, em Vila Franca, entre 31 de Julho e 6 de Agosto, com a presença de cerca de 2000 jovens, oriundos de todas as ilhas dos Açores, Madeira, Canárias e continente.

As grandes actividades escutistas são sempre uma "óptima experiência e um ensaio para a formação escutista dos jovens que desde já se aprontam devidamente nos seus Agrupamentos para esta grande actividade de referência do Corpo Nacional de Escutas e do escutismo açoriano" - sublinha um comunicado da Junta Regional dos Açores.

O tema "Açores: Passado, Presente e Futuro" levará cada jovem a conviver com as tradições, hábitos e costumes da ilha de S. Miguel e dos Açores, perceber que o presente se alicerça em cada momento que passa e a descobrir que o futuro é construído já hoje, por cada um de nós, em cada momento e em cada lugar.

O lema "Parte à Descoberta" leva cada um a ultrapassar os obstáculos perante os desafios que se colocam nos dias de hoje e relembra as palavras do fundador BP, que exprimiu "Muitas pessoas devem a grandeza de suas vidas aos problemas e obstáculos que tiveram de vencer.".

Os Jamborees dos Açores, promovidos pelo Corpo Nacional de Escutas, são, edição após edição, a maior manifestação escutista e juvenil da região, contribuindo decisivamente para a educação e formação dos mais novos e também para o intercâmbio da juventude das várias ilhas.

O Corpo Nacional de Escutas, maior associação de jovens da região, com cerca de 4500 associados, repartidos pelas nove ilhas com mais de 80 Agrupamentos, que funcionam como associações juvenis de integração e cunho local e paroquial, 7 Juntas de Núcleo e esta Junta Regional que coordenam toda a actividade escutista, é uma associação sem fins lucrativos e de utilidade pública, reconhecida a nível nacional e regional pelo seu trabalho na educação não-formal da juventude.

O escutismo nasceu em 1907 em Inglaterra, por iniciativa e devido à intuição pedagógica do General inglês Robert Stephenson Smith Baden-Powell, que nasceu a 22 de Fevereiro de 1857 em Londres e faleceu a 8 de Janeiro de 1941 no Quénia, sendo hoje reconhecido a nível mundial como "Cidadão do Mundo", pois o escutismo está inserido em 216 países e territórios e com mais de 200 milhões de escuteiros nos cinco continentes da Terra.


Fonte: Agência Ecclesia

Governo vai lançar concurso para redes de alta velocidade


O Governo vai lançar "dentro de dias" os concursos para redes de alta velocidade nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira, adiantou hoje o ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino.

"O Governo quer garantir que todo o território nacional fique coberto [com redes de nova geração] e já lançou os concursos nas regiões rurais Norte, Centro e Sul. Agora vamos lançar os dois que faltam nos Açores e na Madeira", disse Mário Lino à margem da inauguração do Centro de Operações de Nova Geração da ONI.

Questionado sobre as propostas de operadores aos concursos, Mário Lino afirmou que "vão ser entregues em Agosto e que há vários concorrentes", dando como exemplo, a ONI.

"Portugal será o primeiro país do mundo a reunir todas as condições para que o país seja integralmente coberto com redes de nova geração", acrescentou o secretário das Comunicações, Paulo Campos.

Mário Lino frisou querer Portugal "a uma só velocidade" e disse já ter ultrapassado a meta para este ano de 1,5 milhões de casas ligadas com redes de nova geração.