segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Plano Estratégico para a Coesão avança antes do final do ano


O vice-presidente do Governo Regional dos Açores, Sérgio Ávila, revelou esta segunda-feira, nas Flores, que o executivo vai lançar, antes do final do ano, o Plano Estratégico para a Coesão dos Açores, que permitirá discriminar positivamente as ilhas mais pequenas.

“Trata-se de mais uma ferramenta estratégica e operacional que vai permitir introduzir mais-valias que discriminem ainda mais positivamente as ilhas de menor dimensão, identificando, apoiando e incentivando o desenvolvimento de novos segmentos de actividade económica”, afirmou.
Sérgio Ávila falava na ilha das Flores, na cerimónia de inauguração de uma nova unidade hoteleira, que envolveu um investimento de 5,5 milhões de euros e se insere nesta estratégia de coesão defendida pelo governo açoriano.
Na sua intervenção, referiu como outros exemplos o novo hotel de quatro estrelas recentemente inaugurado na Graciosa, o campo de golfe que vai ser construído em Santa Maria e a Pousada de Juventude de S. Jorge.
“São investimentos que apostam na diversificação e qualificação da oferta turística, realçando os pontos fortes e as potencialidades que cada ilha pode disponibilizar”, afirmou.
O Hotel das Flores, classificado com quatro estrelas, possui 26 quartos e uma suite, num total de 52 camas, tendo sido construído num local com vista privilegiada sobre o oceano.
Esta unidade hoteleira possui piscina exterior, ginásio restaurante e sala de reuniões, tendo permitido a criação de 12 postos de trabalho directos.
Para Sérgio Ávila, este investimento pretende “reforçar e impulsionar a dinâmica económica e aumentar o prestígio e a visibilidade desta magnifica ilha”.
Nesse sentido, defendeu que o novo hotel “deve ser encarado pelos empresários turísticos das Flores sem qualquer receio de concorrência, mas sim como uma nova oportunidade e um novo aliado na consolidação do turismo florentino”.
“Acreditamos que estão reunidas as bases para a consolidação e fortalecimento duma estratégia de sustentabilidade da oferta do destino turístico das Flores, em complemento com outras ilhas da região”, defendeu.
Na sua intervenção, o vice-presidente do governo regional destacou também a recuperação da zona envolvente da nova unidade, onde foi construído o Centro de Interpretação Ambiental e Cultural, num investimento superior a um milhão de euros, e será reabilitada a Fábrica da Baleia, uma obra orçada em mais de dois milhões de euros.
O novo Hotel das Flores vai ser explorado pela Fundação INATEL, tendo Sérgio Ávila destacado a “vasta experiência” desta instituição no sector da hotelaria e turismo.
Numa nota de apresentação do hotel, a Fundação INATEL salienta que “está especialmente direccionado a pessoas que procuram a tranquilidade, a natureza e a prática de desportos, como a pesca, o mergulho ou o pedestrianismo”.



Universidade dos Açores cria Provedor do Estudante


Os alunos da Universidade dos Açores contam, a partir do próximo ano lectivo, com um Provedor do Estudante, a quem podem dirigir reclamações ou solicitar apoio sobre processos de transferências, funcionamento de serviços ou bolsas de estudo.


"É uma figura de apoio, que tem o poder de sugerir e aconselhar os órgãos da universidade", afirmou João da Silva Madruga, nomeado para este cargo, recentemente criado na academia açoriana.


O Provedor do Estudante da Universidade dos Açores frisou, no entanto, que o cargo "não tem poder deliberativo", sendo apenas "uma figura de apoio".


"O Provedor pode, acima de tudo, ouvir os estudantes", salientou João da Silva Madruga, que desempenha também o cargo de director do Centro de Investigação em Tecnologias Agrárias dos Açores.


Nesse sentido, exemplificou com o caso de um aluno que pede transferência e se queixa por eventuais atrasos no processo.


Neste caso, pode contactar o Provedor do Estudante, que enviará uma recomendação aos órgãos competentes da universidade para que o problema possa ser resolvido.


A Provedoria do Estudante vai funcionar em horário normal de expediente no 'campus universitário' de Angra do Heroísmo, na Terceira, mas todos os estudantes da Universidade dos Açores podem enviar as suas questões para o endereço electrónico provedor@uac.pt.


A figura do Provedor do Estudante foi criada na sequência da aprovação dos novos estatutos da Universidade dos Açores, uma imposição da legislação nacional.



Fonte: DN Portugal

Carlos César visita obras do Caminho do Vitorino, na ilha do Pico



O presidente do Governo dos Açores visitou ontem as obras em curso no Caminho do Vitorino, um caminho rural situado numa das mais importantes zonas de produção leiteira da ilha do Pico que vai ligar o Cabeço do Geraldo ao Cabeço do Meio, na extensão de cerca de 7 kms.

Acompanhado do presidente da Junta de Freguesia das Lajes, Roberto Silva, do presidente da Associação de Jovens Agricultores Picoenses, Pedro Miguel, e de cerca de uma dezena de lavradores daquela área, Carlos César teve a oportunidade de verificar o estado avançado das obras, pese a complexidade imposta pela orografia local.

Com uma faixa de rodagem de seis metros, a nova via desenrola-se a uma altitude situada entre os 300 e os 470 metros e obriga à construção de várias pontes, já que atravessa linhas de água existentes na zona.

O Caminho do Vitorino, que, se as condições climatéricas o permitirem, deverá ficar concluído dentro de dezoito meses, poderá beneficiar directamente cerca de 80 empresários agrícolas numa área de 120 hectares e, indirectamente, outros 210 agricultores daquela área, o que levou o presidente da Junta de Freguesia das Lajes do Pico e os lavradores que acompanharam a visita do presidente do Governo a salientarem a sua grande importância para a economia da ilha.

Carlos César manifestou a sua satisfação pelo bom andamento da obra, que representa um investimento de cerca de 960 mil euros.


Fonte: GaCS

Banco de sementes salva plantas raras dos Açores


Foi na freguesia de Flamengos que nasceu, em 1986, o Jardim Botânico do Faial, a partir de um projecto de recuperação da antiga Quinta de São Lourenço.


Aqui, são conservados à vista dos visitantes exemplares da flora característica dos arquipélagos dos Açores e das ilhas da Macaronésia. Uma região biogeográfica comum.


E é aqui, também, que se desenvolve um projecto que pode garantir a sobrevivência das espécies endémicas (ler caixa) dos Açores.


"O Banco de Sementes do Jardim Botânico do Faial pretende guardar as espécies endémicas de todas as ilhas. Em primeiro lugar, as mais raras e, depois, vamos chegar a todas as espécies dos Açores em condições que as sementes aguentem longos períodos de tempo", explica João Melo, coordenador do Jardim.


As condições são: ausência de humidade, ausência de luz e baixa temperatura (-16 graus). Assim, estima-se que a semente fique com a sua viabilidade de germinação durante longos períodos de tempo, até 100 anos.


Ainda assim, de dois em dois anos procede-se à germinação das sementes para verificar a sua viabilidade.


"Neste momento, temos cerca de 23 a 25 espécies endémicas dos Açores, ou seja, um terço da flora endémica dos Açores já está guardada", correspondendo à espécies "mais raras dos Açores", diz o também director de Serviços do Ambiente da Ilha do Faial.


Existe mais do que um levantamento das espécies endémicas dos Açores mas deverão ser 66 as espécies endémicas nos Açores.


João Melo dá dois exemplos das mais raras: uma (popularmente conhecida por "não-me-esqueças", nome genérico para miosótis), a

Outra, é a
O Banco de Sementes teve início em 2003 quando, através da direcção regional do Ambiente, o Jardim Botânico do Faial ‘entrou’ para um projecto chamado BASEMAC - Banco de Sementes da Macaronésia, em parceria com o Jardim Botânico da Madeira e o Jardín Canário Viera y Clavijo, das Canárias.


Destinado a conservar e a promover o uso sustentado do património genético vegetal dos arquipélagos dos Açores, Madeira e Canárias, o projecto integrou-se no Programa de Iniciativa Comunitária INTERREG III B, 2000-2006, e foi co-financiado pelo Fundo Europeu para o Desenvolvimento Regional (FEDER) em mais de 800 mil euros.


"Futuramente, vamos integrar mais um projecto INTERREG, o BIOCLIMAC, com um objectivo mais alargado: estudar como é que as plantas se irão comportar com as alterações climáticas", adianta João Melo.


Refira-se que o Jardim Botânico do Faial tem como meta implementar completamente a Estratégia Global para a Conservação de Plantas (adoptada em 2002 na Conferência das Partes da Convenção sobre a Diversidade Biológica, em Haia) até 2011, altura em que celebrará o 25º aniversário e em que vai também receber o XI Simpósio da Associação Ibero-Macaronésia de Jardins Botânicos.Myosotis azorica endémica dos Açores e que só existe nas Flores e no Corvo. Estima-se que a sua população na natureza não ultrapasse os 200 indivíduos, existindo actualmente em maior número em viveiro no Jardim Britânico do Faial. Veronica Dabney, referida nas ilhas das Flores, Corvo e Faial (nesta última já não se conhece nenhuma população), foi dada como extinta em 1938, mas, entretanto, nos anos de 1999/2000 foi (re)descoberta por técnicos da secretaria regional do Ambiente permitindo que fossem recolhidas sementes que possibilitaram a sua reprodução.



Fonte: Acoriano Oriental

À descoberta dos mares dos Açores



Agora é possível conhecer e descobrir as belezas escondidas no fundo do mar junto à costa micaelense. Para tal, basta dirigir-se à Marina de Ponta Delgada, onde se encontra o Seabottom, o barco com fundo de vidro.

O Seabottom já tem percorrido a costa de São Miguel, levando a bordo, além de clientes curiosos e com o gosto de descobrir ou até mesmo de rever o que há no fundo mar, um skipper para levar o barco aos pontos exactos, e um biólogo marinho que explica tudo o que se vê e responde a todas as dúvidas.

Segundo um dos proprietários desta embarcação, Herberto Faria, a ideia de trazer um barco deste tipo "já surgiu há algum tempo", tendo acabado por descobri-lo na Rússia.

Foi lá que Herberto Faria e Valter Medeiros (outro proprietário da embarcação) conseguiram encontrar uma fábrica que construísse um barco desta natureza. "Este barco foi pedido exclusivamente para este fim".

"É um barco que tem todas as condições e que se adapta às nossas condições de mar e ao tipo de deslocações que nós fazemos", revelou Herberto Faria.

O Seabottom iniciou as suas viagens há cerca de três semanas, estando a ter, até ao momento, grande aceitação, não só pelo público local, como também por turistas de diversos países.

"Este é um barco insubmersível, muito seguro e confortável. Portanto, quer sejam jovens, quer sejam idosos, podem vir navegar connosco sem qualquer inconveniente. Há todas as condições para que todos possam ver o fundo do mar em segurança, inclusive no Inverno", informou.

Herberto Faria salientou ainda que está convicto que, mesmo na estação mais fria, em que o tempo não é muito favorável para saídas para o mar, "as viagens no Seabottom vão continuar a ser atrativas".

Neste momento, os passeios no Seabottom podem ter a duração de 1h30 ou de 3h30, consoante o destino de observação. Além disso, "consoante as condições do mar e do vento, as saídas ou são para o lado da Caloura ou para o lado dos Mosteiros", disse o empresário.

Para Herberto Faria, o objectivo deste barco é de "informar e transmitir conhecimento. Além disso, tem também um fim ecológico, porque é um barco que permite o enriquecimento e o conhecimento de áreas do nosso planeta ainda desconhecidas".

Também para o biólogo marinho que está sempre presente em todas as viagens do Seabottom, o objectivo é semelhante. "A maior finalidade deste barco, principalmente para as pessoas da Região, será mostrar-lhes o mar a que pertence a todos e que vale a pena preservá-lo, porque este irá ser visualizado pelos seus filhos e pelos seus netos", disse Bruno Fernanbuco.

O biólogo revelou ainda que "a nível de fauna temos, de facto, muitas algas. Vimos por vezes águas-vivas quando estava na altura delas, e vimos também todos os peixes característicos aqui na zona da Região dos Açores, nomeadamente Vejas, Lírios, Peixe Porco, Salemas, Sardinhas, Rainhas, entre outros".

Bruno Fernanbuco referiu ainda que "nenhuma viagem é igual, porque nunca sabemos o que vai passar por debaixo do barco".





Fonte: Acoriano Oriental

AHRESP promove encontro com empresários nos Açores


A AHRESP vai promover no próximo dia 21, um seminário nos Açores, com o tema «Preparar o Futuro». O seminário integra-se num programa mais vasto de uma deslocação a esta Região Autónoma que a Associação promove entre os dias 18 e 22, que integra também um programa de lazer.
O seminário decorrerá nas Portas do Mar, em Ponta Delgada e é direccionado aos empresários açorianos da hotelaria, restauração e bebidas. Com o tema «Preparar o Futuro» o evento, com inscrições gratuitas, contará com vários painéis subordinados a temáticas da actualidade, tendo a presença do presidente da AHRESP e do secretário Regional da Economia na sessão de abertura.
«As Estratégias dos Produtos Turísticos dos Açores», »A Visão do Sector Turístico», «Nova Realidade dos Sectores da Hotelaria, Restauração e Bebidas» e uma mesa redonda sobre »Segurança Alimentar e Segurança no Trabalho» preenchem os trabalhos da manhã, com espaço ainda para debate.De tarde estarão em análise os temas «Os Novos Desafios do Mercado de Trabalho no Turismo» , «A Fiscalização no Canal HORECA», «Medidas Preventivas da Gripe A (H1N1)» e «A Saúde Pública e o Turismo», também com espaço para debate.
Depois de uma pausa para café, os trabalhos continuam para presentação de iniciativas da AHRESP para os Açores, incluindo um estudo de mercado. Tempo ainda para apresentar o Balcão Único Empresarial e para a assinatura de um protocolo.
Os trabalhos finalizam com a sessão de encerramento, e as intervenções do presidente da AHRESP, do presidente da Comissão Directiva da Delegação dos Açores da Associação e do presidente do Governo Regional dos Açores.
No âmbito desta deslocação aos Açores, vai haver tempo também para um melhor conhecimento da região, com visitas aos principais pontos turísticos.


Fonte: Turisver

domingo, 30 de agosto de 2009

BE diz que assinatura contrato construção nova cadeia Angra desrespeita pretensões de petição


O Bloco de Esquerda (BE) contestou hoje a assinatura do contrato de empreitada para a construção da nova cadeia de Angra do Heroísmo "sem serem acauteladas as pretensões de uma petição" e fazendo "tábua rasa" de um relatório.


Na quinta-feira, o secretário de Estado Adjunto e da Justiça, José Conde Rodrigues, deslocou-se a Ponta Delgada para assinar o protocolo para a cedência do terreno onde será construída a nova cadeia de Ponta Delgada (São Miguel) e o contrato de empreitada para a construção do novo Estabelecimento Prisional de Angra do Heroísmo, na Terceira.


Para o BE/Açores, a construção do novo edifício de Angra do Heroísmo "sem que se acautele as pretensões dos signatários" de uma petição "desrespeita as pretensões dos cidadãos peticionários e da Comissão de Política Geral ao fazer tábua rasa da alínea b) das conclusões do relatório que foi aprovado por unanimidade".



Fonte: VISÃO

Azores Islands Pro - Vitória de William Cardoso em final totalmente brasileira


O brasileiro William Cardoso venceu hoje o Azores Islands Pro, a primeira prova realizada nos Açores a contar para o Mundial de Surf, ao derrotar na final o compatriota Jadson André, que nas meias-finais eliminara o português Tiago Pires.

Na final, William Cardoso, que cumpriu uma promessa antiga de vencer uma prova realizada em Portugal, conseguiu 13 pontos em 20 possíveis, enquanto Jadson André não foi além dos 11.

Esta foi a maior vitória da carreira de William Cardoso, que nos Açores ganhou uma prova de pontuação máxima (seis pontos) a contar para o Circuito Mundial de Surf.


Fonte: Visão

Realizador italiano filma nos Açores


‘Jogo Duplo’ é o segundo filme de Alberto Anzani, realizador italiano que vai mostrar ao Mundo a Terceira, nos Açores. O filme retrata a história de dois irmãos gémeos apaixonados pela mesma mulher, uma terceirense noiva de um homem da ilha. Além disso, o funeral de um homem vivo é outro dos enredos desta comédia.

"Os cenários locais adaptam-se a uma história universal", onde se podem "explorar as vivências locais, a mentalidade limitada pela curta borda de terra com que o mar se impõe e envolve uma ilha", explicou o realizador, acrescentando que o arquipélago açoriano tem "um elevado potencial para histórias e contos".

Guarda-roupa local e artistas da terra também entram em ‘Jogo Duplo’. A rodagem vai ter continuidade no Lago Como, próximo de Milão, em Itália. A estreia do filme está prevista para o próximo Verão.


sábado, 29 de agosto de 2009

Carlos César salienta a atractividade dos museus açorianos



O presidente do Governo dos Açores realçou ontem o papel dos museus da região na sinalização da nossa história e dos valores da nossa cultura e da sua integração no contexto da atractividade turística.

Carlos César revelou, a propósito, que cerca de sessenta mil turistas nacionais e estrangeiros visitaram os museus açorianos em 2008, metade dos quais afluiu ao Museu do Pico, nas suas três valências dedicadas à actividade da caça à baleia, à indústria baleeira e à cultura vitícola e produção de vinho.

O presidente do Governo falava exactamente numa dessas dependências, na vila das Lajes, onde presidiu à inauguração da exposição de pintura de Carlos Luz, um artista madeirense que transpôs, para vinte aguarelas, o seu olhar sobre as gentes e recantos da ilha do Pico.

A exposição vai ficar patente, no Museu dos Baleeiros, até ao dia 30 de Setembro.


Fonte: GaCS

Carlos César diz que regiões autónomas não podem ser tratadas de igual forma pelo Estado


O líder do PS/Açores, Carlos César, defendeu hoje que as regiões autónomas portuguesas não podem ser tratadas de igual forma pelo Estado.

Falando numa sessão pública de apresentação dos candidatos do Partido Socialista (PS) ao concelho das Lajes do Pico, nas eleições autárquicas de 11 de Outubro, Carlos César dirigiu, no entanto, o seu discurso para as legislativas de 27 de Setembro e para o apoio à reeleição de José Sócrates, primeiro-ministro.

No seu entender, o Governo da República não pode "tratar da mesma forma coisas que são diferentes", lembrando que os Açores são compostos por nove ilhas e a Madeira por apenas duas, razão pela qual os açorianos devem ter direito a uma "discriminação positiva" na Lei de Finanças Regionais, que determina o volume de transferências de verbas do Estado para as regiões autónomas.

"Da Madeira a Porto Santo vão 40 quilómetros, mas de Santa Maria ao Corvo vão mais de 600 quilómetros", sublinhou Carlos César, para defender que os Açores devem receber mais dinheiro do Estado do que a Madeira.

Uma realidade que, segundo o governante, o "PSD e Manuela Ferreira Leite ainda não conseguiram compreender", acusando os social-democratas de pretenderem alterar os cálculos das transferências de verbas para as ilhas, de forma a "prejudicar os Açores".

"Por isso, é decisivo e fundamental para os Açores a vitória do PS e de José Sócrates nas legislativas de 27 de Setembro", apelou.

Por seu lado, o candidato do PS à presidência da Câmara Municipal das Lajes do Pico optou por denunciar uma alegada "ilegalidade" no município, gerido por uma autarca social-democrata, cujo marido é seu chefe de gabinete.

Segundo Roberto Silva, o marido de Sara Santos "recebeu dinheiro indevidamente" da parte da autarquia, porque, simultaneamente, está colocado como professor numa Universidade no Continente.

Um processo que, segundo explicou, já originou uma queixa-crime no Tribunal Judicial de São Roque do Pico e que "pode levar à perda de mandato" da actual presidente de Câmara.
Roberto Silva acusou ainda a autarca do PSD de "censurar" órgãos de comunicação social, prometer obras que não cumpriu e de ser responsável pelo "atraso" no desenvolvimento do concelho.


Fonte: Expresso

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Azores Islands Pro - Tiago Pires é o único português em prova


Tiago Pires é o único português em prova no Azores Islands Pro, depois de hoje ter passado à quarta fase de baterias da primeira prova do circuito mundial de surf a realizar-se em São Miguel, nos Açores.


"Saca", como é habitualmente conhecido o surfista da Ericeira, demonstrou na Praia do Monte Verde, na Ribeira Grande, os motivos que o levam a ser o único surfista português no "World Tour", a elite do surf mundial.


Tiago dominou e venceu a última bateria da terceira fase, graças a uma das suas últimas ondas, pontuada com 7,7 pontos em 10 possíveis, levando o brasileiro Jean da Silva consigo para a quarta fase e eliminando os australianos Matt Wilkinson e Leigh Sedley da prova, embora estes dois últimos se encontrem actualmente nos primeiros lugares do ranking WQS.



Fonte: Visão

Praia do Monte Verde sem condições para ser vigiada



A Praia do Monte Verde, na Ribeira Grande, onde morreu quinta-feira um homem no mar quando tomava banho, é uma zona não vigiada porque não reúne os requisitos necessários em termos de infra-estruturas de apoio a banhistas.

«É uma praia não vigiada porque não reúne todos os requisitos que são necessários à luz da lei em termos de infra-estruturas de apoio a banhistas e entidades, como o Instituto de Socorros a Náufragos», esclareceu Ricardo Silva, presidente da Câmara da Ribeira Grande, em declarações à Lusa.

A falta de estruturas de apoio impede, segundo o autarca, a presença de nadadores salvadores nesta praia, com um extenso areal, situada na costa norte da ilha de S. Miguel, mas não afasta os banhistas, criando situações de perigo como a que ocorreu quinta-feira.

Um luso-canadiano de 35 anos faleceu no Centro de Saúde da Ribeira Grande, depois de ter sido resgatado ao mar na Praia do Monte Verde, onde também está a decorrer uma prova do Circuito Mundial de Surf.

Ricardo Silva admitiu à Lusa que, apesar de a praia não ser vigiada, «isso não impede que as pessoas possam tomar banho, sob a sua responsabilidade», recusando que se trate de um local perigoso para os banhistas.

O autarca revelou mesmo que a zona balnear foi este ano alvo de «uma grande acção de limpeza» para garantir o acesso dos visitantes.

Questionado sobre a razão da autarquia não criar as condições necessárias para que a praia passe a ser vigiada, o presidente da Câmara da Ribeira Grande revelou que «o local vai ser sujeito a uma grande intervenção, com a construção do Passeio Atlântico».

Segundo o autarca, a Praia de Monte Verde ainda foi teve obras porque «é preciso conciliar as várias intervenções».



Fonte: Diário Digital

Crimes graves registaram redução acentuada



O número de crimes graves nos Açores registou uma «redução significativa» nos últimos anos, o que se traduziu numa queda acentuada das pessoas detidas, revelou hoje o director nacional adjunto da Polícia Judiciária, Pedro Carmo.

«Nos Açores, registou-se nos últimos anos uma redução significativa do número de crimes graves, que são os que, na maioria dos casos, originam as detenções», salientou Pedro Carmo, em declarações à Agência Lusa, em Ponta Delgada.

Nesse sentido, segundo os dados oficiais, o número de pessoas detidas passou de 99 em 2005 para apenas 35 em 2008, reflectindo a redução acentuada nos crimes graves praticados no arquipélago.

No ano passado, foram detidas 21 pessoas por crimes contra a vida em sociedade (61 em 2005) e 10 por crimes contra pessoas (30 em 2005).

Os dados a que a Lusa teve acesso revelam ainda a detenção no ano passado de duas pessoas por crimes contra o património (oito em 2005).

A única área em que se registou um crescimento foi nos crimes contra o Estado, em que não se registou qualquer detenção em 2005, 2006 e 2007, enquanto ocorreram duas em 2008.

Por oposição à redução dos crimes graves, Pedro Carmo revelou que se tem vindo a registar um aumento dos crimes informáticos, nomeadamente burlas e devassa da vida privada.





Fonte: Diário Digital

SATA repudia greve e declina responsabilidades



A SATA «repudiou fortemente» hoje a greve na Groundforce convocada para sexta-feira e sábado, declinando as responsabilidades pelos incómodos que irá causar aos passageiros nos aeroportos de Lisboa, Porto, Funchal e Porto Santo.

Em comunicado hoje distribuído, a SATA alerta para a possibilidade de atrasos nas ligações entre o continente e as ilhas dos arquipélagos da Madeira e Açores, salientando que a paralisação irá provocar também congestionamentos nas operações de entrega e recolha de bagagem, no check-in e nos embarques e desembarques.

Visando minimizar os problemas, a companhia sugere que os passageiros viajem acompanhados de mala de cabine que respeite as normas em vigor e, na medida do possível, efectuem o check- in por telefone, através do número 707 22 72 82 / (+351) 296 209 720.

Adianta que caso ocorram atrasos significativos ou cancelamentos nas ligações dos próximos dias, os passageiros serão informados pelo Contact Center da SATA (707 22 72 82), número que estará disponível para prestar informações a todos os passageiros que, também, poderão consultar o horário actualizado dos voos através do serviço informativo on- line, disponível, 24 horas por dia em http://m.sata.pt/.








Fonte: Diário Digital

PJ dos Açores está dotada de meios para "melhorar investigação e combate ao crime"


O secretário de Estado adjunto e da Justiça, José Conde Rodrigues, considerou hoje que a Polícia Judiciária nos Açores está agora dotada de meios que vão permitir "melhorar a investigação e combate ao crime na Região".

"O investimento na modernização dos equipamentos da Polícia Judiciária permite colocar os Açores ao nível do melhor que há no mundo", afirmou Conde Rodrigues, depois de ter entregue uma viatura de recolha de provas ao Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada.

Para Conde Rodrigues, a Polícia Judiciária está agora "melhor apetrechada" com as 13 viaturas de recolha de vestígios de que dispõe, distribuídas pelos vários departamentos de investigação criminal, incluindo as regiões autónomas.

Por seu lado, Pedro do Carmo, director nacional adjunto da Polícia Judiciária, salientou que a viatura hoje entregue nos Açores "pode ser usada em qualquer tipo de crime de uma forma mais rápida, fácil e completa".

"Este material garante que os vestígios sejam recolhidos com qualidade, sendo essas provas essenciais para a fase de julgamento", frisou.

Pedro do Carmo disse ainda aos jornalistas que, tal como tinha prometido em Outubro, durante uma visita às instalações da Polícia Judiciária nos Açores, haverá em breve um reforço de meios técnicos e humanos para a Região.

"Estão previstas mais quatro viaturas e mais inspectores, que não deverão ser menos do que cinco, que é o número de inspectores em estágio no departamento de Ponta Delgada", afirmou.



Fonte: EXPRESSO

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

INATEL inaugura Hotel das Flores


Os Açores são a mais recente aposta turística da Fundação INATEL que vai inaugurar uma nova unidade hoteleira na Região Autónoma, já na próxima segunda-feira.
A unidade a ser inaugurado é o Hotel das Flores, empreendimento classificado com 4 estrelas e localizado, como o nome indica, na Ilha das Flores. O hotel, que conta com 26 quartos e uma suite, está situado na Zona do Boqueirão, em St.ª Cruz das Flores com uma magnífica vista sobre o Oceano Atlântico.
Esta será uma unidade gerida pela Fundação INATEL nos Açores, no âmbito do protocolo assinado já este ano com a empresa Ilhas de Valor, com vista à exploração de duas unidades hoteleiras nos Açores, concretamente nas ilhas das Flores e Graciosa.
A cerimónia oficial de inauguração do Hotel das Flores está marcada para a próxima 2ª feira, dia 31 de Agosto às 12H30 na Zona e contará com a presença de Sérgio Ávila, vice-presidente do Governo Regional dos Açores e de Vítor Ramalho, presidente da Fundação INATEL



Fonte: Turisver

Banhista morre na Ribeira Grande


Um homem de 34 anos morreu na tarde desta quinta-feira no centro de saúde da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, nos Açores, depois de várias tentativas de reanimação.

Ao que o tvi24.pt apurou, junto de fonte dos bombeiros da Ribeira Grande, o indivíduo foi socorrido na Praia do Monte Verde pela população local e pelos bombeiros que o tentaram de imediato reanimar.

A mesma fonte confirmou ao tvi24.pt que o indivíduo foi transferido para a Unidade de Saúde da Ribeira Grande, onde acabara por falecer.

A praia onde foi encontrado o corpo da vítima não é vigiada.


Crianças até aos dois anos recebem nova vacina




O Governo dos Açores vai incluir no Plano Regional de Vacinação, a partir de Setembro, uma vacina para crianças até aos dois anos contra alguns tipos de meningite, pneumonia e septicemia, anunciou hoje o secretário regional da Saúde.


«Trata-se de uma vacina muito dispendiosa, que chega a custar 221 euros, um preço que é um obstáculo ao acesso a esta vacina, que pode evitar uma série de complicações», afirmou Miguel Correia, em declarações aos jornalistas em Ponta Delgada.


«Atendendo ao seu preço e ao seu valor, entendemos que este benefício deve ser alargado a todas as famílias», frisou, revelando que a vacinação para as crianças até aos 2 anos deverá ter início em Setembro.


O secretário regional da Saúde falava no final de uma visita ao Serviço de Atendimento da Gripe A (SAG) do Centro de Saúde de Ponta Delgada, que começa a funcionar sexta-feira.


Na ocasião, Miguel Correia recordou que está em curso uma campanha de sensibilização para a vacinação contra a gripe sazonal e a pneumonia, frisando que o valor destas vacinas «não é significativo» e que a sua comparticipação pela região varia entre «os 37 e os 50 por cento».



Fonte: Diário Digital

Assaltou banco à mão armada e foi detido duas horas depois


A Polícia Judiciária de Ponta Delgada, Açores, anunciou esta quinta-feira a identificação e detenção de um indivíduo por alegada prática de assalto à mão armada numa dependência bancária em Lagoa.

Em comunicado, a PJ escreve que a detenção aconteceu duas horas depois do assalto. O detido é também suspeito da autoria de mais três assaltos a dependências bancárias, ocorridos na ilha de S. Miguel desde o mês de Maio do ano passado.

O detido com 44 anos vai ser sujeito a um primeiro interrogatório judicial, para aplicação das adequadas medidas de coacção, acrescenta o comunicado.


Presidente do Governo dos Açores envia mensagem de condolências



O presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, enviou hoje uma mensagem de condolências à família Kennedy pela morte do senador Edward Kennedy, salientando a admiração que conquistou junto dos emigrantes açorianos.

Na mensagem, o presidente do executivo regional dos Açores salienta o papel desempenhado por Edward Kennedy em relação às comunidades açorianas da Nova Inglaterra, considerando que conquistou "grande respeito e admiração" junto dos emigrantes açorianos especialmente nos estados de Massachusetts e Rhode Island.

A mensagem, dirigida ao congressista Patrick Kennedy, destaca ainda "o exemplo de dedicação e sucesso" que constitui a carreira política do seu pai, assim como o facto de Ted Kennedy ter continuado a lutar pelos ideais defendidos pelos seus irmãos John e Robert, ambos assassinados.

"Cresci politicamente aprendendo a admirar e a respeitar a forma como os seus tios e o seu pai promoviam os valores democráticos, encorajavam as pessoas a participar civicamente no desenvolvimento das suas comunidades e do seu país e inspiravam gerações mais jovens a acreditar no futuro", refere a mensagem.

Edward Kennedy, 77 anos, senador pelo Estado do Massachusetts, morreu terça-feira à noite, na sequência de um tumor cerebral que lhe foi diagnosticado em Maio de 2008.




Fonte: DN GLOBO

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Padres dos Açores para as comunidades de emigrantes


O Bispo de Angra, D. António Sousa Braga, nomeou três padres para o serviço dos emigrantes portugueses.

Luís Gabriel de Sousa Cordeiro foi escolhido para a Diocese de Stokton, Califónia, Estados Unidos da América; Vítor José Almeida Medeiros é nomeado para a diocese de Munster, na Alemanha e o Padre Rui Fernando Barbosa Silva para a diocese canadiana de Toronto, todos por um período de três anos, refere o site oficial da Diocese de Angra.


Duas novas prisões nos Açores



Os Açores vão ter duas novas prisões. Uma em Angra do Heroísmo (na ilha Terceira), e outra em Ponta Delgada (São Miguel).


O ministro da justiça, Alberto Costa, assina amanhã o contrato de empreitada das obras.


Trata-se de um investimento que ronda os 45 milhões de euros, sendo que os novos estabelecimentos prisionais terão capacidade para acolher um total de 470 reclusos.





Fonte: Renascença

Açores garante medidas para minimizar falta de água


A Câmara de Vila do Porto acusou hoje o PSD de se pronunciar «tarde e a más horas» sobre a falta de água na ilha de Santa Maria, nos Açores, alegando que foram adoptadas medidas para minimizar o problema.


«Tomaram-se as medidas adequadas e accionou-se um plano de abastecimento alternativo, que teve início a 11 de Agosto, através do transporte em autotanques dos bombeiros e da câmara para os reservatórios das localidades onde havia insuficiência de abastecimento», refere a autarquia.


Num comunicado enviado à Lusa, a Câmara de Vila do Porto, liderada pela socialista Nélia Figueiredo, admite que, como consequência da fraca pluviosidade que dura há cerca de um ano, «houve rupturas pontuais no abastecimento» de água em algumas localidades.


A autarquia revela ainda que está a disponibilizar água para os agricultores desde 14 de Agosto, salientando, por outro lado, que a freguesia de Vila do Porto tem o seu abastecimento reforçado desde Maio.


A Câmara de Vila do Porto reafirma ainda a necessidade de ser aberto um novo furo para abastecimento de água.



Fonte: Diário Digital

Novo Hospital da Terceira pronto no final de 2011



O Governo Regional dos Açores assinou hoje o contrato de construção, gestão e manutenção do novo Hospital da Ilha Terceira, orçado em 65 milhões de euros, que deverá estar concluído no final de 2011.


A nova unidade hospitalar, com uma área de construção 47.100 metros quadrados, vai ser construída em Angra do Heroísmo e terá 241 camas em quartos individuais ou duplos, com instalações sanitárias privadas, 46 gabinetes de consulta e seis salas no bloco operatório, disponibilizando ainda cerca de mil lugares de estacionamento.


O futuro Hospital da Ilha Terceira terá ainda três áreas de urgência, para obstetrícia/ginecologia, pediátrica e geral.


O centro tecnológico disporá de diagnóstico e terapêutica em Biologia Molecular e Citogenética, Hemodinâmica e Angiocardiografia, Medicina Hiperbárica, Nuclear e Radioterapia, bem como Tomografia Axial Computorizada (TAC) e Ressonância Magnética (RM).


A construção foi adjudicada ao sindicato de empresas Haçor, composto pela Mota-Engil, Somague, Dalkia e Marques, SA.


Na cerimónia de assinatura do contrato, o presidente do governo regional, Carlos César, justificou a demora neste processo com o facto de «não querer construir um hospital à pressa», mas uma unidade que «respondesse às necessidades do presente e às exigências do futuro».


«Só depois de se atingir o patamar pretendido no concurso é que foi adjudicada a sua construção» numa parceria público-privada que Carlos César considerou ser «credível», atendendo à intenção de envolvimento do Banco Europeu de Investimentos (BEI) no financiamento da obra.


Carlos César aproveitou o momento para recordar que a ilha Terceira tem previstos investimentos de 90 milhões de euros, dos quais uma parte já foi materializada na nova marginal da Praia da Vitória (13 milhões), no novo Porto de Pescas de S. Mateus (oito milhões) e na remodelação da via rápida (22 milhões).


Para iniciar a curto prazo estão o Laboratório Regional de Veterinária, o Parque de Exposições, a reabilitação do Bairro da Terra-Chã, em Angra do Heroísmo, e a segunda fase do Bairro Joaquim Aves, na Praia da Vitória.


Para Carlos César, «estes são investimentos que só não vê quem não quer».

Fonte: Diário Digital

Açores receberam mais de 6 toneladas de pescado entre Janeiro e Julho


Nos primeiros sete meses deste ano, os portos dos Açores receberam mais de seis toneladas de pescado, com um valor global que ultrapassou 19,1 milhões de euros, revelou o Serviço Regional de Estatística.

Os dados oficiais indicam que, entre Janeiro e Julho, foram descarregadas nos portos açorianos 6.088.525 quilos de pescados, com um valor de 19.161.465,00 euros.

A venda de espécies demersais representou 64 por cento deste montante, com 12,2 milhões de euros, seguindo-se os pelágicos (5,4 milhões), moluscos (1,3 milhões) e crustáceos (104 mil euros).

A ilha de S. Miguel recebeu quase 2,6 toneladas de pescado, seguindo-se o Pico, com cerca de 1,7 toneladas, a Terceira, com perto de 741 mil quilos, e o Faial, que atingiu mais de 490 mil quilos.

O restante pescado foi descarregado nos portos de Santa Maria (274 mil quilos), S. Jorge (138 mil), Graciosa (79 mil), Flores (55 mil) e Corvo (21 mil).

Segundo as estatísticas oficiais, comparativamente com os valores do ano passado, as capturas de pescado aumentaram em Maio e Junho e caíram nos restantes meses.


Carlos César diz que os açorianos se podem orgulhar da Via Vitorino Nemésio hoje inaugurada na Terceira


“Esta é uma obra corajosa. Nós não pensámos pequenino, quando a concebemos ou quando a decidimos. Não hesitámos em reconhecer a sua importância e a oportunidade de a projectar com sentido de futuro.”

Foi com estas palavras que o presidente do Governo dos Açores inaugurou, ao princípio da tarde, a Via Vitorino Nemésio, que liga os concelhos de Angra do Heroísmo e da Praia da Vitória e que representou um investimento superior a 25 milhões de euros.

Salientando que todos, terceirenses e açorianos em geral, se podem orgulhar da Via Vitorino Nemésio, Carlos César referiu estar a inaugurá-la “com grande satisfação, pelas suas inúmeras e profundas consequências positivas para o desenvolvimento económico e social da ilha Terceira:”

A nova estrada tem cerca de vinte kms, quatro faixas de rodagem, separador central ao longo de todo o comprimento, nós e rotundas de ligação com outras vias, todos iluminados, passagens aéreas e painéis de mensagens variáveis.

Como o presidente do Governo fez questão de frisar, tratou-se de uma obra difícil e complexa, quer do ponto de vista da engenharia, quer, como disse, do ponto de vista da “engenharia política”, porque “tivemos de resistir, dia após dia, semana após semana, mês após mês, aos críticos do costume, sempre aos mesmos.”

Concretizando, referiu “aqueles que, em cada intersecção, achavam um defeito de ligação a uma freguesia; aqueles que, de cem em cem metros, apontavam um atentado ao ambiente; aqueles para quem cada passagem superior não passava de um vacoduto; aqueles em que todas as expropriações eram injustas, demasiadas ou desnecessárias; aqueles que criticaram esta obra por megalomania; e aqueles que a criticaram, sucessivamente por demoras”.

Para Carlos César, do Governo houve sempre a paciência e a pedagogia democrática de ir explicando, sendo agora possível “dizer aos terceirenses que têm na sua terra um grande obra, uma obra que marca, sem dúvida, a governação autonómica.”

Acentuando que a Via Vitorino Nemésio vem coroar a importante reforma viária que tem vindo a ser desenvolvida nos Açores – com especial incidência, na última legislatura, na ilha Terceira, onde o Governo investiu mais de 36 milhões de euros na recuperação de 107 kms de estrada – disse que “isso tem sido boa obra, isso tem sido aquilo com que nós nos tínhamos comprometido.”

E antecipando já o lançamento, amanhã, de outra grande obra, o novo Hospital da Ilha Terceira, o presidente do Governo concluiu recordando que “temos inaugurado e lançado obras nos mais variados sectores. E assim vamos continuar, para despeito de uns, é certo, mas, de certeza, para benefício de todos.”


Fonte: GaCS

Carlos César afirma que mais de noventa mil passageiros nos navios da Atlanticoline é sinal de sucesso


O presidente do Governo dos Açores reconfirmou esta tarde a existência de conversações com a empresa detentora dos estaleiros de Viana do Castelo, com vista a encontrar-se uma solução para os problemas que envolveram a construção dos navios “Atlântida” e “Anticiclone”, mas negou a realização de qualquer reunião nesta terça-feira.


Reconhecendo ser a construção dos navios uma questão que não correu bem às duas partes, Carlos César frisou, no entanto, que a operação de transporte marítimo de passageiros deste ano tem sido boa, melhor, até, do que no ano passado, bastando atentar no número de passageiros transportados até agora, que se cifra nos 92.000, contra os 81.000 de toda a operação de 2008.


Para além disso, “a frequência com que fizemos as várias ilhas decorreu de forma muito melhor do que no ano passado e isso é absolutamente indiscutível”, concluiu.


«Críticos são uns invejosos», diz Carlos César



O chefe do executivo açoriano disse hoje que “foi preciso resistir aos críticos do costume” e “paciência para explicar” as vantagens da nova via rápida entre Angra do Heroísmo e Praia da Vitória na ilha Terceira.


Carlos César, que falava na cerimónia de inauguração dos 22 quilómetros de obras de remodelação e requalificação da via rápida, orçadas em 25 milhões de euros, dos quais 5 milhões em expropriações, sustentou que os críticos são “os invejosos”.


“Criticaram a nova aerogare da ilha, o porto da Praia da Vitória durante o princípio e durante as obras, mas depois deslumbram-se e ficam-se por dizer que afinal já deveria ter sido feito”, sublinhou o presidente do governo regional.


Carlos César realçou que “a obra foi um processo difícil e complexo até na engenharia política para resistir aos que sublinhavam atentados ambientais, demasiadas expropriações apelidando-as de inúteis”.


Para César esta obra “foi corajosa porque não se pensou pequeno, antes no desenvolvimento da ilha que fica com a melhor via rápida de quatro faixas de todo o arquipélago”.

“Reconhecemos-lhe uma importância com sentido de futuro que queremos grande para a ilha Terceira”, preconizou o chefe do executivo regional.


Carlos César chamou a atenção para o facto de, na sua opinião, “a nova via reforçar a coesão territorial, económica e social” e garantir “mais conforto e segurança” na circulação entre os concelhos da ilha com cerca de 55 mil habitantes.


O presidente do governo lembrou que nos últimos anos foram investidos na ilha Terceira 36 milhões de euros em remodelação e requalificação de 107 quilómetros de vias de comunicação terrestre.


A via rápida, denominada Vitorino Nemésio, que levou 28 meses a ser remodelada (mais nove que o programado inicialmente), liga os concelhos de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória ao longo de cerca de 28 quilómetros.


A remodelação da nova via implicou a aplicação de um separador central, a retirada de todos os cruzamentos e a construção de oito passagens aéreas para gado que passa a circular, também, em acessos laterais construídos para o efeito.


Desta forma evita-se a transumância de gado pela via onde circulavam os veículos automóveis que originaram, no passado, alguns acidentes com consequências graves e mortais.





Fonte: Diário Digital

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Açores não aceitam navio “Atlântida”



A decisão está tomada e não há volta a dar: os Açores não aceitam o navio “Atlântida”, construído nos estaleiros de Viana do Castelo, que falhou nos testes de mar.

Carlos César, presidente do Governo Regional, é taxativo em declarações à RTP: “Esse navio não está em condições de ser recebido pela administração regional”.

Quanto às negociações entre o Governo dos Açores e os estaleiros de Viana do Castelo, Carlos César garante que não visam ultrapassar a questão do “Atlântida”. Referem-se apenas ao segundo navio encomendado: o “Anticiclone”.
Os estaleiros recusam devolver os 32 milhões de euros avançados pelo “Atlântida”. O caso deve ser agora resolvido nos tribunais.





Fonte: Renascença

Administrador do Supremo acusado de peculato e falsificação


Ricardo Campos Cunha é suspeito de ter gasto 344 mil euros em bens pessoais. Em 2007 foi demitido do cargo de chefe de gabinete do representante da República dos Açores por quebra de confiança e de lealdade.

De acordo com a edição online do "Diário de Notícias", Ricardo Campos Cunha é acusado pelo Ministério Público de dois crimes de peculato e 27 de falsificação. Terá gasto 344 mil euros do orçamento do Supremo Tribunal de Justiça em jóias e relógios.

Depois de sair do STJ, assumiu o cargo de chefe de gabinete do representante da República dos Açores, de onde foi demitido em Fevereiro de 2007 por outras irregularidades do mesmo género.


Fonte: Expresso

Solução à vista sobre o 'Atlântida'


Governo dos Açores e Estaleiros de Viana do Castelo reúnem-se hoje.

A hipótese de o ferry Atlântida ir para os Açores, como previsto inicialmente, tem ganho maior força nos últimos dias, havendo já negociações entre o Governo dos Açores e os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) que podem ficar hoje quase fechadas.

Segundo soube o DN, prevê-se para hoje uma reunião entre representantes do Governo e o presidente dos ENVC com vista a um entendimento. Note-se que, ontem, o líder do Executivo regional salientou que "a solução definitiva está a ser estudada" para o transporte marítimo dos Açores.

Carlos César confirmou haver negociações em curso, mas frisou que o Governo regional apenas comentará o caso quando elas estiverem concluídas. Em causa estão o valor já pago pelo navio Atlântida (rejeitado por não cumprir os requisitos contratuais) e o futuro do navio Anticiclone, cuja construção parou devido ao aparente desinteresse das autoridades açorianas. O maior entrave é o valor a pagar pela "AtlanticoLine" - a empresa pública encarregue do transporte marítimo nos Açores e detida pelo Governo Regional - pois, segundo fontes dos ENVC, o desejo açoriano "era ter o navio quase a custo zero".

Face às consequências "económicas e sociais" da rejeição do Atlântida, o Governo de Lisboa concluiu que o navio deve ir para o arquipélago, mas admitindo uma espécie de desconto no valor da compra (47 milhões de euros).


segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Governo dos Açores organiza encontro de jovens em Setembro


O Governo Regional dos Açores, através das direcções regionais das Comunidades e Juventude, vai organizar o Encontro Jovens 2009, de 5 a 7 de Setembro, em Ponta Delgada.Este encontro é destinado aos jovens dos Açores e das comunidades açorianas, entre os 18 e os 35 anos, e tem como objectivos “proporcionar a reflexão e o debate dos jovens oriundos das comunidades, aproximando-os do movimento associativo juvenil dos Açores, divulgar a actualidade dos Açores nas suas múltiplas vertentes, promover o incremento dos intercâmbios de jovens e traçar linhas orientadoras a curto, médio e longo prazo de acção plena nas comunidades e nos Açores”.
O programa do encontro incluirá sessões plenárias, workshops, visitas de estudos e lazer.A inscrição no evento será feita através da Internet, pelo preenchimento de uma ficha de inscrição, e inclui a deslocação até Ponta Delgada, o alojamento na Pousada da Juventude daquela cidade, refeições, transportes, actividades e a documentação do encontro.
Os interessados deverão visitar a página da internet do evento, www.encontrodejovens.org, onde poderão encontrar informações e esclarecimentos adicionais.


Gripe A: primeiros serviços especializados de atendimento abriram nos Açores


Os primeiros cinco Serviços de Atendimento da Gripe abriram hoje nos Açores, especificamente para atender doentes infectados com gripe A H1N1, numa altura em que o arquipélago já conta com 102 casos confirmados.

Nesta fase, estão a funcionar Serviços de Atendimento da Gripe nos Centros de Saúde de Angra do Heroísmo e da Praia da Vitória, ambos na ilha Terceira.

Em S. Miguel, funcionam nos Centros de Saúde de Nordeste e da Povoação, enquanto o quinto serviço que hoje abriu está instalado no Centro de Saúde de Vila do Porto, em Santa Maria.

Segundo o secretário regional da Saúde, Miguel Correia, até ao final desta semana vai também abrir um serviço de atendimento da gripe em Ponta Delgada, na ilha de S. Miguel.

A estimativa do Governo Regional é que, em breve, todos os centros de saúde do arquipélago disponham de um serviço especializado para o atendimento dos doentes com gripe A.


Fonte: Público.pt

Exposição de Pintura “ A Ilha, O Homem e o Mar” Museu dos Baleeiros



No próximo dia 28 de Agosto, pelas 21:30h, no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, será inaugurada, por Sua Excelência o Presidente do Governo Regional dos Açores, a exposição de Pintura “O Homem, a Ilha e o Mar” de Carlos Luz, pintor natural da Ilha da Madeira, que reside desde há muitos anos em Lisboa.

“A exposição de Carlos Luz é um itinerário de saudade e de revisitação, um “corso” de história, cultura e geografia humana sobre a Ilha do Pico. Uma “lição” de insularidade de onde emerge, igualmente, a sensibilidade do insulado.”

Esta exposição é uma iniciativa do Museu do Pico/Direcção Regional da Cultura/Presidência do Governo produzida no âmbito do seu Plano de Actividades para 2009.


Fonte: GaCS

Governo dos Açores e ANA selam a transferência de terrenos na área do aeroporto de Santa Maria



O presidente do Governo dos Açores congratulou-se pelo “desenvolvimento mais rápido, nos últimos meses”, dos assuntos que o executivo mantinha em discussão com a ANA – Aeroportos de Portugal, cujo presidente do Conselho de Administração, Guilhermino Rodrigues, recebeu esta manhã em audiência.

Elencando esses assuntos, começou por se referir à transferência, para a administração regional, dos terrenos do aeroporto de Santa Maria que não estão afectos á operação aeroportuária.

“Isso vai permitir um investimento do Governo Regional e da autarquia na reabilitação de toda aquela zona, quer do ponto de vista ambiental, quer do ponto de vista habitacional, da rede viária, da rede de esgotos e, até, da conjugação dos investimentos que a ANA já fez em abastecimento de água para a rede pública doméstica e abastecimento à lavoura na ilha de Santa Maria”, disse Carlos César.

A certificação do aeródromo das Flores para operações nocturnas teve, segundo o presidente do Governo, “um desenvolvimento muito positivo”, encontrando-se agora numa fase em que a ANA já fez todo o seu trabalho e a certificação apenas aguarda a chancela do Instituto Nacional da Aviação Civil e da NAV, entidades que serão também intervenientes no processo.

Quanto à ampliação da pista do aeroporto da Horta, Carlos César começou por sublinhar que um investimento dessa dimensão fica necessariamente associado aos termos em que se processar a privatização da ANA, na certeza de que o Governo Regional tem dito que “deve ser considerado, nesse processo de privatização, um investimento no aeroporto da Horta que permita a ampliação da sua pista segundo um determinado formato e uma determinada ambição que nós temos para a operação aeroportuária no Triângulo.”

O presidente do Governo revelou ainda, no final da audiência a Guilhermino Rodrigues, que, no caso das Flores, “não excluímos – e temos dito, aliás, isso à ANA – a possibilidade de se vir a estudar, mais tarde, a forma do Governo Regional assumir, por completo, a gestão desse aeródromo.”



Fonte: GaCS

Carlos César sublinha o sucesso do transporte marítimo de passageiros nos Açores



O presidente do Governo dos Açores considerou esta manhã que a operação de transporte marítimo de passageiros tem decorrido muito bem este ano, “tão bem que, em todas as rotas, se tem transportado mais passageiros do que em qualquer ano anterior”, incluindo o transporte para as festividades tradicionais em várias ilhas.

Afirmando haver uma “hipersensibilidade associada à operação do transporte marítimo de passageiros – e, portanto, uma avaria numa porta, numa válvula, merece sempre destaque jornalístico” – Carlos César frisou o sucesso da operação, não obstante percalços técnicos que não podem ser imputados à empresa e muito menos ao Governo Regional.

“É muito fácil, quando se parte uma porta, dizer que o Governo Regional tem culpa porque se partiu uma porta. E a oposição, porque tem poucas coisas para dizer, repete isso ou faz repetir isso, nos órgãos de comunicação social que lhe são afectos”, disse.

Quanto à operação do próximo ano e á solução definitiva e estrutural para o transporte marítimo de passageiros, revelou que estão a ser estudadas – estando a decorrer contactos com os estaleiros de Viana do Castelo resultantes do contrato ainda existente com aquela empresa –, após o que o Governo Regional dará a conhecer as decisões que tomar.


Fonte: GaCS

Assinatura do contrato de construção do novo Hospital da Terceira



O presidente do Governo, Carlos César, preside, quarta-feira, em Angra do Heroísmo, à assinatura do contrato de concessão, construção e gestão do novo Hospital da Ilha Terceira.

A nova estrutura disporá de 46 gabinetes de consulta, um aumento significativo face ao actual hospital e 241 camas, em quartos individuais ou duplos.

A urgência terá três áreas de actuação, destinadas à urgência geral, à urgência de obstetrícia e ginecologia e à urgência pediátrica. O bloco operatório disporá de seis salas.

O novo hospital da Terceira promoverá, ainda, a prestação de cuidados de saúde em regime ambulatório, com a criação de diversos Hospitais de Dia e estará preparado para a utilização de tecnologias avançadas, como a Medicina Hiperbárica, a Citogenética, a Radioterapia e a Medicina Nuclear.

O projecto foi adjudicado ao consórcio “HAÇOR”, numa parceria público-privada, ficando à sua responsabilidade a concepção, construção, financiamento, conservação, manutenção e exploração do edifício. Apenas se exclui a gestão clínica.


Fonte: GaCS

José Manuel, ex-jogador do Desportivo de Beja, assinou contrato com o Operário


José Manuel, ex-jogador do Desportivo de Beja, assinou contrato com o Operário (Açores), equipa treinada por Francisco Agatão.
José Manuel Romaneiro, ex-avançado do Clube Desportivo de Beja rubricou um contrato, válido por uma temporada, com o Operário, dos Açores, equipa da II divisão, treinada por Francisco Agatão. Depois de um mês, em que prestou provas no clube da Lagoa, José Manuel foi convidado a ficar em São Miguel e a defender a camisola da equipa açoreana, o que agradou ao jovem de 21 anos, natural de Alvito.

Francisco Agatão, treinador do Operário, afirma que o jogador tem “um grande potencial” e que desfruta de uma “excelente margem de progressão”, recordando que a observação que fez na final da Taça Distrito, como comentador da Voz da Planície “foi muito decisiva” para se “interessar” pelo jogador.

José Manuel foi formado nas escolas do Despertar, envergou como sénior, as camisolas do Vasco da Gama, Alvito, sua terra natal e do ano passado o Desportivo de Beja. O jovem avançado é filho de Romaneiro uma velha glória do Clube Desportivo de Alvito.


Construção de 27 novas casas tenta atenuar drama em São Miguel


Centenas de famílias em São Miguel, nos Açores, passam pelo drama de serem proprietárias das casas onde vivem, mas não do terreno onde estas estão edificadas. Tudo devido a um regime senhorial de posse de terra que vigora em certas freguesias.

Um pesadelo que o Governo regional tenta minimizar com a construção, em breve, de 27 casas em terrenos seus nas Sete Cidades, onde o problema se coloca com maior gravidade para 50 casais. Sobretudo jovens que não têm terreno para construir e por isso moram com os pais em regime de sobrelotação, incluindo em anexos clandestinos nas traseiras das suas residências.

E, na maior ilha açoriana, este regime não só atinge há décadas 189 mil metros quadrados das Sete Cidades (mais de 80% da freguesia e áreas envolventes), como afecta significativamente Santo António Além-Capelas, onde existem menos casos, mas onde há maior pobreza do que nas Sete Cidades.

Na génese do problema estão terrenos da família Caetano de Andrade, que há muitos anos foram arrendados a residentes locais em troca de acções de benfeitoria e ainda ao pagamento de uma renda anual, de valor simbólico. Estas pessoas podiam cultivar e construir moradias nos terrenos, mas sem nunca serem donas do respectivo chão.

O governo dos Açores tem estado em negociações com os Caetano de Andrade. Mas, até agora, em vão. A secretária regional do Trabalho e Solidariedade, Ana Paula Marques, realçou que a intervenção do seu departamento destina-se a viabilizar "um pacote de registo de todas as propriedades e cedê-las aos particulares, de acordo com os seus rendimentos".


260 cetáceos já têm nome próprio nos Açores





As fotografias de amadores podem ajudar os investigadores a identificar cetáceos e a estudar os seus padrões de comportamento. Investigadores pedem a ajuda de todos para criação de catálogo.

As fotografias de golfinhos e baleias tiradas nos mares dos Açores por um turista ou um fotógrafo amador podem ter interesse científico.

Por essa razão, o Centro de Investigação dos Recursos Naturais da Universidade dos Açores (CIRN) criou o blogue azoresphotoid.blogspot.com, para partilha de informação e o email azoresphotoid@gmail.com, através do qual qualquer pessoa pode enviar as suas fotografias de cetáceos, indicando o nome do autor, o local da fotografia, a data/hora do encontro e se for o caso, a empresa de "Whale Watching" com a qual saiu para o mar.

Se permitirem aos investigadores identificar características únicas dos animais, as fotografias são integradas numa base de dados, a partir da qual o CIRN está a criar um catálogo de foto-identificação de cetáceos dos Açores – o Azoresphotoid – onde cada cetáceo tem uma designação própria. Como explica José Azevedo, professor de Biologia da Universidade dos Açores responsável pelo projecto, a foto-identificação é uma ferramenta científica muito poderosa para estudar vários aspectos da biologia e da ecologia dos cetáceos, desde a estrutura social até padrões de residência e migrações, bem como taxas de reprodução.

É utilizada por várias equipas de investigação nos Açores que têm os seus próprios catálogos e trabalham em interligação entre si e com organismos internacionais. Mas o Azoresphotoid diferencia-se, porque está disponível na internet em www.flickr.com/photos/azoresphotoid (qualquer pessoa pode aceder à informação e utilizá-la, desde que para fins não lucrativos e referindo a origem), e porque tem como principal objectivo recolher as centenas de fotografias feitas todos os dias por amadores nas várias ilhas do arquipélago, para juntá-las às realizadas por investigadores.

"Temos nos Açores muitas empresas de "Whale Watching", muitas pessoas que saem para o mar e tiram fotografias, levam as fotografias para casa, mostram aos amigos", desconhecendo que "essas fotografias podem ter interesse científico", repara José Azevedo. Foi a partir dessa constatação que "surgiu-nos a ideia de criar um local onde as pessoas pudessem enviar essas fotografias para serem aproveitadas do ponto de vista científico", explica.

260 cetáceos com nome próprio

No catálogo, estão já identificados 200 roazes, 30 cachalotes e 30 golfinhos de Risso. São 260 cetáceos com nome próprio.

Como adianta José Azevedo, "temos vários milhares de fotografias", mas em www.flickr.com/photos/azoresphotoid está disponível apenas uma parte do material recolhido, porque o CIRN ainda está a processar a informação. O biólogo adianta que a foto-identificação está a permitir aos investigadores concluir que há cetáceos a fazer dos mares dos Açores a sua residência e a contrariar a ideia generalizada de que os cetáceos se distribuem pelos oceanos todos e fazem grandes migrações. "Isso é verdade para algumas espécies, mas não para todas. Temos 23 espécies de cetáceos nos Açores e cada uma tem as suas particularidades", salvaguarda.

Segundo José Azevedo, os investigadores voltam a ver muitos animais em anos consecutivos, "o que quer dizer que são os mesmos animais que vão para sul e que regressam depois aos Açores e até à mesma ilha de onde saíram no ano anterior". Um trabalho de investigação sobre o golfinho de Risso concluiu que "há um grupo de animais que têm uma residência mais ou menos permanente, junto à ilha do Pico".

E há um golfinho bem conhecido em São Miguel: o "egípcio" é um roaz que tem uma barbatana triangular muito característica com a forma de uma pirâmide que é visto há vários anos ao largo da costa sul. *

*Leia a reportagem completa na edição impressa do Açoriano Oriental de 24 de Agosto de 2009.






Paula Gouveia

sábado, 22 de agosto de 2009

Santa Maria vai ter uma Pousada de Juventude



Foi ontem apresentado, em cerimónia presidida por Carlos César, o projecto da Pousada de Juventude de Santa Maria, uma infra-estrutura cuja construção representa um investimento de mais de dois milhões de euros.

O presidente do Governo realçou a circunstância de a sessão decorrer em pleno cenário da “Maré de Agosto”, congratulando-se por estar a ser iniciado um processo que culminará com a entrada em funcionamento de mais uma infra-estrutura que reforçará a capacidade de alojamento de Santa Maria numa altura do ano em que acorrem à ilha milhares de jovens.

Por outro lado, esta pousada responde também a solicitações da Câmara de Vila do Porto no sentido de o Governo, quando promova a criação de novas infra-estruturas, o faça na zona histórica de Vila do Porto, apoiando, desse modo, a sua recuperação.

Assim, a Pousada da Juventude, para além de dependências que serão construídas de raiz, ocupará três edifícios nessa zona histórica, onde, aliás, o Governo vai intervir de modo significativo, adquirindo, sob proposta da Câmara, mais dois edifícios na Rua Gonçalo Velho.

Trata-se da Casa Monteiro Velho Arruda e a Casa do Donatário, que servirão, em cerca de trezentos metros quadrados, a instalação e expansão do Museu de Santa Maria, sem prejuízo da conservação, na freguesia de Santo Espírito, da valência etnográfica ali existente.

Para Carlos César, estes investimentos – a que se juntam os ontem anunciados para a requalificação da Baía de S. Lourenço e para a construção do aterro sanitário, bem como outros a anunciar já no princípio de Setembro, aquando da visita estatutária do Governo à ilha – traduzem o esforço governamental no sentido de fazer muito em Santa Maria e não só na construção de infra-estruturas.

Referiu, a título de exemplo, o empenho do seu Governo, através de diversos programas e da adopção de diversas medidas, em componentes essenciais da formação e da integração juvenil, da formação profissional, do emprego e, entre muitos outros, da habitação para jovens.

O presidente do Governo revelou, a propósito, que vão ser avaliados outros edifícios e espaços devolutos na zona histórica, “que nos permitirão construir áreas residenciais que respeitem a tipologia arquitectónica e que possam ser afectos a programas de arrendamento para jovens, de modo a que seja possível dar um novo caminho e um novo impulso á recuperação da zona histórica de Vila do Porto”.


Fonte: GaCS

Presidente do Governo inaugura via rápida Vitorino Nemésio


O presidente do Governo, Carlos César, preside terça-feira, na ilha Terceira, à inauguração das obras de reabilitação da via rápida Vitorino Nemésio, numa extensão de 22 quilómetros.


Adjudicada em Janeiro de 2007 pelo valor de 17.397.645,20 euros, acrescidos de IVA à taxa legal, esta empreitada incluiu a construção de rotundas e passagens superiores para gado e veículos, permitindo a circulação em duas faixas de rodagem em cada um dos sentidos de trânsito.


Da responsabilidade da Sociedade de Promoção e Reabilitação de Habitação e Infra-Estruturas, S.A., as obras de reabilitação da via rápida que liga as duas cidades da ilha Terceira foram executadas por um consórcio de empresas formado pela Mota-Engil – Engenharia e Construção, S. A., Zagope – Construções e Engenharia, S. A., e Marques, S. A..


Fonte: GaCS

Carlos César salienta a qualidade e a perenidade do festival “Maré de Agosto”



O presidente do Governo dos Açores manifestou ontem a sua satisfação pelo êxito, que parece assegurado à partida, da 25ª edição da “Maré de Agosto”, um festival musical de referência “pela sua qualidade e pela sua perenidade”.

Afirmando que isso justifica os apoios institucionais que são concedidos, quer pelo Governo, quer pela Câmara Municipal de Vila do Porto, Carlos César destacou a vinda a Santa Maria de mais pessoas do que a própria população da ilha.

Segundo revelou, a SATA vai transportar 3023 passageiros, em 76 voos, enquanto a Atlânticoline tinha vendido, até à hora em que falava, 2700 bilhetes para as cinco viagens previstas dos seus navios.

“Isso dá a ideia da força, da pujança deste festival como manifestação cultural e mobilizadora da juventude açoriana e da sua importância para a dinamização da economia local”, frisou, para logo acrescentar ser importante que as manifestações culturais sejam, também, economicamente reprodutivas, porque isso lhes assegura a sua sustentabilidade actual e futura.

“Fazer cultura e proporcionar lazer pode e deve ser uma actividade sustentável do ponto de vista económico, para já não falar da possibilidade de também poder ser uma actividade lucrativa. Não há nada de desagradável nisso. Nem sequer a possibilidade de isso assim acontecer é inimiga da qualidade que devemos preservar nesta como em outras iniciativas”, sublinhou o presidente do Governo.



Fonte: GaCS