terça-feira, 31 de julho de 2012

Combate a alga marinha invasora no Faial vai passar a uma fase “mais incisiva e musculada”


O combate à Caulerpa webbiana, uma alga marinha invasora que foi identificada pela primeira vez no porto da Horta em 2002, vai avançar para uma fase dois, “mais incisiva e musculada”.

A informação foi avançada pelo Diretor Regional dos Assuntos do Mar, que nesta terça-feira acompanhou um grupo de mergulho da Universidade dos Açores (UAç) numa observação in loco da distribuição daquela Espécie Exótica Invasora (EEI) na costa da ilha do Faial.

Segundo indicou Frederico Cardigos, a equipa da UAç que está a fazer o rastreio da distribuição da Caulerpa webbiana à volta do porto da Horta pode constatar hoje que aquela espécie já alargou a sua distribuição quer para a baixa da Feteira, quer para a baía da Praia do Almoxarife.

 “Isto significa que apesar dos esforços que têm sido feitos pela Universidade dos Açores nos últimos anos, não estamos a conseguir ganhar esta batalha”, observou aquele responsável, adiantando que, por esse motivo, vai ser necessário agora “passar a uma fase dois, mais musculada”.

Conforme explicitou o Diretor Regional dos Assuntos do Mar, esta nova fase passará, na zona central de distribuição da Caulerpa webbiana, pelo soterramento da própria alga, através do lançamento de inertes, concentrando o esforço de combate àquela espécie invasora com os mergulhadores nas zonas dos limites de distribuição mais exteriores.

Desta forma, argumentou Frederico Cardigos, “pensamos que vamos conseguir ganhar alguma vantagem sobre a distribuição desta alga e fazer com que não aumente ainda mais o seu raio de distribuição”, evitando assim que ela circunde toda a ilha do Faial ou chegue mesmo à ilha do Pico.

Lembrou ainda que esta alga não serve de alimento a qualquer espécie de peixe ou outros invertebrados marinhos”, o que faz com que “se torne extraordinariamente abundante, se reproduza livremente, ganhe densidades elevadíssimas, mas sem qualquer tipo de reação positiva sobre o próprio ambiente e incluindo depois a posteriori as próprias pescas”.

Se deixássemos esta alga alastrar ainda mais, poderíamos estar de facto “a colocar um problema económico grave”, razão pela qual “temos então que entrar numa fase mais incisiva, visto que os métodos utilizados até aqui não foram suficientemente eficientes para que ela começasse realmente a regredir, antes pelo contrário, tem aumentado ligeiramente de ano para ano”, concluiu o Diretor Regional dos Assuntos do Mar.


Anexos:
2012.07.31-DRAM-CombateAlgaExótica.mp3


GaCS

Esclarecimento da Secretaria Regional do Trabalho e Solidariedade Social


Face às declarações do vice-presidente do Partido Popular, Félix Rodrigues, prestadas hoje em conferência de imprensa sobre o Rendimento Social de Inserção, a Secretaria Regional do Trabalho e Solidariedade Social, através do IDSA, esclarece o seguinte:

1.      O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional do Trabalho e Solidariedade Social, tem procurado, nas últimas legislaturas, responder de forma pronta e eficaz às necessidades mais prementes das famílias açorianas, nomeadamente as mais carenciadas.

2.      Os apoios concedidos visam unicamente o bem-estar social das famílias, nomeadamente numa altura de crise económica e financeira e de austeridade imposta pela República, e não têm qualquer contrapartida eleitoral pelo que o Governo dos Açores refuta qualquer alegação de que a prestação social do Rendimento Social de Inserção (RSI) seja atribuída com “fins eleitorais”

3.      As regras de atribuição do RSI são definidas pelo Governo da República e face às alterações, aprovadas em Conselho de Ministros de 12 de abril e em vigor a partir de 1 de julho, o Governo dos Açores, através da Secretária Regional do Trabalho e Solidariedade Social, Ana Paula Marques, manifestou, em conferência de imprensa realizada no passado dia 19 de julho, a sua preocupação para com as famílias açorianas que, já prejudicadas pela austeridade, vão ver a sua situação financeira deteriorar ainda mais.


4.      As alterações introduzidas ao RSI, pelo Governo da República, fizeram com que 755 famílias açorianas perdessem o direito a esta prestação social e que 3831 agregados vissem o montante mensal reduzido, em alguns casos drasticamente.  

5.      Tendo estes aspetos em consideração, a Secretaria Regional do Trabalho e Solidariedade Social, através do Instituto para o Desenvolvimento Social dos Açores, enviou uma carta informativa aos beneficiários do RSI a alertá-los das alterações ocorridas, evitando-se, desta forma, que os mesmos fossem confrontados com a perda ou redução da sua prestação sem qualquer explicação.


6.      O Governo dos Açores tem vindo a implementar medidas de apoio extraordinário às famílias, de que é exemplo o Fundo de Compensação Social que apresenta, até ao momento, uma taxa de execução de 53%.



GaCS

Governo Regional continua aposta na promoção do Património Gastronómico dos Açores


A Direção Regional do Turismo dos Açores e a Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal estão a promover uma iniciativa que tem como objetivo a promoção do Património Gastronómico dos Açores. Deste trabalho conjunto resultou a primeira seleção de 15 estabelecimentos de restauração que muito dignificam o sector gastronómico da Região Autónoma dos Açores.

A Secretária Regional da Economia enalteceu, hoje num restaurante da Ribeira Grande onde decorreu a apresentação dos primeiros estabelecimentos selecionados,  que “projetos como este são, sem dúvida, uma forma por excelência de promoção do acervo gastronómico regional, da preservação dos valores tradicionais da nossa gastronomia, respeitando a herança cultural que recebemos ao longo dos tempos e que tão bem sabemos e saberemos apresentar a esta geração e às gerações vindouras”.

Luísa Schanderl reconheceu que a gastronomia constitui um produto turístico por excelência e, nos Açores, assume um papel cada vez mais importante neste sector. Estas distinções permitem ajudar na promoção dessa componente na oferta turística com a valorização dos pacotes turísticos e contribuem para o enriquecimento da imagem dos Açores no mercado nacional e internacional.

O Governo Regional pretende incentivar também com estas iniciativas a criação de novas receitas, onde novos pratos são confecionados com novos sabores, mas utilizando sempre os produtos açorianos.

A Secretária da Economia, na ocasião, deixou o desafio a todos os agentes para inovarem na criação de pacotes turísticos que ofereçam ao turista uma ampla variedade de tours, visitas guiadas, degustações, passeios na natureza e visita a adegas ou outras atividades como, entre outras, workshops com chefes de cozinha, colheitas, feiras ou eventos temáticos.


Anexos:
2012.07.31-SRE-SeleçãoGastronomiaVinhos.mp3


GaCS

Agenda do Governo Regional dos Açores para 1 e 2 de agosto


QUARTA-FEIRA, DIA 1:

ATIVIDADES DO PRESIDENTE DO GOVERNO:

19H00 - O Presidente do Governo, Carlos César, preside à cerimónia de inauguração da ampliação do aeroporto de São Jorge.

OUTROS AGENDAMENTOS:

11H00 - O Diretor Regional da Cultura, Jorge Bruno, visita as obras em curso no antigo hospital da Boa Nova, onde vai ser instalado o Núcleo Militar Baptista de Lima.

Local: rua da Boa da Nova, em Angra do Heroísmo.

21H30 - O Diretor Regional da Cultura, Jorge Bruno, está presente no lançamento do livro A Besta, no âmbito do concurso LABJOVEM.

Local: Teatro Faialense, na Horta.

QUINTA-FEIRA, DIA 2:

ATIVIDADES DOS MEMBROS DO GOVERNO:

11H00 - O Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, José Contente, preside à cerimónia de assinatura do contrato da “Empreitada de Construção de Aqueduto na Estrada Regional nº 9-2ª na zona do Cerrado da Ponte”.

Local: sede da SRCTE, em Ponta Delgada.

11H30 - A Secretária Regional da Economia, Luísa Schanderl, está presente na cerimónia da bênção e apresentação da nova lancha de pilotos do porto da Horta.

Local: Terminal Marítimo de Passageiros do porto da Horta.

15H30 - A Secretária Regional da Economia, Luísa Schanderl, visita as obras de construção das infraestruturas portuárias e do novo Terminal de Passageiros do porto da Madalena, na ilha do Pico.

18H00 - A Secretária Regional do Trabalho e Solidariedade Social, Ana Paula Marques, preside à cerimónia de entrega de uma carrinha ao Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Ajuda da Bretanha.

Local: ramal da Igreja.

OUTROS AGENDAMENTOS:

11H00 - O Diretor Regional da Cultura, Jorge Bruno, visita as obras em curso na Igreja de Nossa Senhora do Carmo.

Local: largo da Igreja do Carmo, na Horta.


GaCS

MOSTRA LABJOVEM 2012 na Ilha do Faial


O Governo Regional dos Açores, através da Direção Regional da Juventude, com a organização da Associação Cultural Burra de Milho promove no próximo dia 1 de Agosto de 2012 a inauguração da MOSTRA LABJOVEM na cidade da Horta com componente expositiva do Concurso LABJOVEM – Concurso de Jovens Criadores dos Açores 2011, no formato da MOSTRA LABJOVEM.

A terceira edição da MOSTRA LABJOVEM levará obras selecionadas pelo júri do concurso a todas as ilhas do Arquipélago dos Açores, em formato de mostras reduzidas e atividades segmentais, por forma a potenciar a descentralização da exposição e a abrangência de diferentes públicos.

A quarta das nove MOSTRAS LABJOVEM estará presente na Biblioteca Pública e Arquivo Regional da Horta de 1 a 10 de Agosto. Estarão expostos os projetos selecionados nas áreas de Arquitetura, Design de Moda, Design Gráfico, Fotografia, Ilustração + BD e apresentados os projetos da área de Vídeo e um projeto da área de Literatura, nomeadamente, o lançamento do livro "A Besta" do selecionado Flávio Silva, natural da ilha do Faial, apresentado por Victor Rui Dores.

A inauguração e o lançamento do livro de Flávio Silva terão lugar no dia 1 de Agosto, Quarta-Feira, pelas 18h30, na Biblioteca Pública e Arquivo Regional da Horta.



GaCS

Algumas das novidades bibliográficas disponíveis este mês no serviço de Empréstimo Domiciliário - adultos

Algumas das novidades bibliográficas disponíveis este mês no serviço de Empréstimo Domiciliário - adultos

http://www.bparah.azores.gov.pt/html/bparah-noticias.html#novidades08


Governo dos Açores

Diretor Regional da Cultura satisfeito com a evolução das obras do Centro de Arte Contemporânea dos Açores



O Diretor Regional da Cultura garantiu hoje, na Ribeira Grande, que as obras do Arquipélago-Centro de Arte Contemporânea dos Açores estão a evoluir num ritmo muito próximo daquilo que é desejado e atingem um nível de desenvolvimento pretendido.

Jorge Bruno, que falava à margem de uma visita às obras do futuro Centro de Arte Contemporânea dos Açores, explicou que, numa empreitada desta natureza, o ritmo dos trabalhos está a evoluir em “velocidade cruzeiro”, atendendo que, há cerca de dois meses, as obras foram iniciadas por um novo empreiteiro.

É uma obra que tem aspetos bastante complexos e que não pode ser acionada num curto espaço de tempo, frisou o responsável, adiantando que “com uma carga de pessoal de cerca de 70 trabalhadores, ela já está num ritmo muito próximo daquilo que é desejado”.

De acordo com o Diretor Regional da Cultura, a conclusão das obras está prevista para o final do primeiro trimestre de 2013.

Jorge Bruno referiu que, com o anterior empreiteiro, houve um atraso de cerca de três meses, sendo que o edifício deveria estar concluído em março do próximo ano, avançando que, com esse pequeno atraso, “estamos a ver o que é possível recuperar nesse espaço de tempo”.

A obra em curso não apresenta erros, nem necessita de quaisquer alterações, afiançou o Diretor Regional da Cultura, sublinhando que há apenas definições de aspetos de pormenor.

Jorge Bruno afirmou também, na ocasião, que um projeto desta natureza tem sempre ajustes ao longo da obra, ainda mais quando se trata de uma construção a ser implementada num edifício pré existente, com mais de um século, o que solicita o permanente acompanhamento da equipa projetista.

O Diretor Regional da Cultura realçou, ainda, que todos os materiais utilizados neste empreendimento, tais como tipologias de betão e revestimentos, são testados em obra e só depois é que são aprovados.


Anexos:
20120731-DRaC-VisitaCentroArteContemporânea.mp3


GaCS

Participação açoriana no Campeonato Nacional de Futebol de Rua foi positiva


A seleção açoriana conquistou o 7º lugar no Campeonato Nacional de Futebol de Rua, prova que decorreu em Beja, entre os dias 19 e 22 de julho, e Paulo Gouveia foi galardoado com o prémio de Melhor Guarda-Redes numa competição contou com 14 equipas de todo o país.

A presença no Campeonato Nacional de Futebol de Rua dos oito jovens que compunham a seleção açoriana foi extremamente positiva, não só pelo resultado alcançado, bem como pela interação com os demais participantes.

Reinou a boa disposição e foram criados novos laços de amizade. Para alguns dos jovens, a deslocação a Beja constituiu a primeira oportunidade para sair dos Açores e conhecer novas realidades.

Depois do Campeonato Nacional de Futebol de Rua vão ser escolhidos oito jovens para integrar a seleção nacional, que levará o nome de Portugal ao Campeonato Mundial de Futebol de Rua, denominado “Homeless World Cup 2012”, que decorre na cidade do México, de 6 a 14 de Outubro.

Recorde-se que os jovens açorianos foram selecionados após o torneio “Futebol de Rua 2012”, que decorreu em maio último na Portas do Mar, evento promovido pela Secretaria Regional do Trabalho e Solidariedade Social, através do Instituto para o Desenvolvimento Social dos Açores, com organização do Centro de Desenvolvimento e Inclusão Juvenil “Perkursos”, da Kairos.

O Futebol de Rua é uma competição que tem por principal objetivo o combate à fragilidade social, pobreza e exclusão. É direcionada a jovens em risco ou em situação de exclusão social, maiores de 16 anos, e visa promover a autoestima e o sentimento de pertença a um grupo, dotando os participantes de um maior sentido de responsabilidade.



GaCS

Secretário da Agricultura e Florestas insurge-se contra aquilo que se “desenha” ao nível da reforma do mapa autárquico


O Secretário Regional da Agricultura e Florestas insurgiu-se segunda-feira à noite, na Horta, perante aquilo que se desenha, ao nível da reforma do mapa autárquico, “contra a história das nossas comunidades”.

Falando na sessão comemorativa do Dia da Freguesia da Conceição, à qual presidiu em representação do Presidente do Governo, Noé Rodrigues considerou que seria mesmo “lesa-majestade” alterar de forma significativa a história das nossas comunidades e o serviço de proximidade que as juntas de freguesia prestam aos cidadãos.

Segundo referiu o governante, não se pode “cortar a régua e a esquadro” nas juntas de freguesia, que são, por sinal, quem “abrem primeiro a porta à resolução dos problemas das pessoas”.

Noé Rodrigues considerou ainda curiosa a circunstância da reforma do mapa autárquico, que aponta para a redução substancial do número de freguesias, ser da iniciativa política de partidos que, aqui nos Açores, defendem “mais despesa, mais investimento, mais subsídios e mais apoios especiais”.

Relativamente ao Dia da Freguesia da Conceição, o Secretário Regional da Agricultura e Florestas disse que se trata de “um dia marcante” para uma comunidade que se tem sabido afirmar-se no seio da cidade da Horta e da ilha do Faial.

Esta é uma “freguesia com história”, onde, há quase cinco séculos, se instalaram por exemplo os primeiros serviços da então vila da Horta e a própria casa da câmara, sublinhou o governante.

Noé Rodrigues fez também questão de homenagear o trabalho de todos aqueles que, em cada momento, assumiram os destinos da freguesia da Conceição, que agora celebra 444 anos, e que se responsabilizaram em ajudar a servir a comunidade.

A freguesia da Conceição, uma das três freguesias citadina do concelho da Horta, foi criada a 30 de julho de 1568 por Carta de D. Nuno Álvares Pereira, 5.º Bispo da Diocese de Angra.


Anexos:
2012.07.31-SRAF-DiaFreguesiaConceição.mp3


GaCS

XX GRANDE FESTIVAL DE FOLCLORE DA RELVA – MOSTRA FOLCLÓRICA DO ATLÂNTICO


O MAIOR ACONTE CIMENTO ETNOGRÁFICO DA ILHA DE S. MIGUEL

A freguesia da Relva será mais uma vez palco de um grande encontro etnográfico, com a realização da vigésima edição do Grande Festival de Folclore, que terá lugar no dia 4 de Agosto próximo. Organizado pela Junta de Freguesia da Relva e pelo Grupo Folclórico de Cantares e Balhados da Relva, é o maior certame do género realizado na ilha de S. Miguel, um dos maiores dos Açores e conceituado a nível nacional e internacional.

Para a edição deste ano a organização convidou cinco Grupos em representação de 3 concelhos da Ilha de S. Miguel: Lagoa, Ribeira Grande e Ponta Delgada. Do continente português estará o Rancho Folclórico Rosas do Lena – Rebolaria, Batalha – Alta Estremadura. Do estrangeiro o Folk Dance Group “SAIME” – Letónia, e o "Mali Gorzowiacy" Folk Dance Group – Polónia.

Do programa, recheado do melhor folclore, actuarão os grupos pela seguinte ordem: Grupo Folclórico Grujola – Lagoa; Grupo Folclórico da Fajã de Baixo; Folk Dance Group “SAIME” – Letónia; Grupo Folclórico Nossa Senhora da Graça - Porto Formoso; Rancho Folclórico Rosas do Lena – Rebolaria Batalha – Alta Estremadura; Rancho Folclórico da Casa do Povo do Livramento; o "Mali Gorzowiacy" Folk Dance Group – Polónia e o anfitrião Grupo Folclórico de Cantares e Balhados da Relva.

Assim estarão de mãos dadas em palco, montado a preceito, num cenário que nos transporta a vivências de um ou mais séculos atrás, encenando um forno antigo, com tradicional trabalho do cozer do pão, e a faina da desfolhada, que sempre antecede a cozedura. Estarão presentes: Açores, Alta Estremadura, Letónia e Polónia, unidos pelas suas raízes, causa da sua existência. O ambiente será como habitualmente contagiante, com o jardim e igreja iluminados para as festas de Nossa Senhora das Neves, a decorrerem neste fim-de-semana.

Do programa consta o seguinte: 19:30 horas – Entrega de Lembranças no Centro Cívico e Cultural; 20.00 horas – Concentração de todos os grupos no mesmo local; 20.30 horas – Desfile Folclórico e Etnográfico pela Rua da Guiné (lado norte) e Rua de Cima; 21.00 horas – Abertura oficial do XX Grande Festival de Folclore – Mostra Folclórica do Atlântico; 21.15 horas – Inicio do Festival, com actuação de todos os grupos, no Jardim 5 de Agosto; 24.00 horas – Encerramento, seguindo-se no Salão Cultural e Recreativo de Nossa Senhora das Neves a um convívio-beberete entre os grupos participantes e entidades convidadas.
É no entanto importante referir que este certame desde 1996 que é reconhecido pela Federação do Folclore Português.

Este ano da vigésima edição deste grande festival, a Câmara Municipal de Ponta Delgada, por sugestão e fundamentação da Junta de Freguesia da Relva, decidiu agraciar o Grupo Folclórico de Cantares e Balhados da Relva, com o Diploma de Reconhecimento Municipal, insígnia que lhe será entregue durante o Festival, mercê do trabalho que este grupo tem desenvolvido ao longo da sua existência em prol do folclore açoreano em geral e micaelense em particular, quer na recuperação dos usos e costumes de trajar, preservando e divulgando a nossa cultura tradicional, levando o nome do concelho de Ponta Delgada pelo mundo.

Do mesmo modo, a realização deste festival, em conjunto com a Junta de Freguesia, trás até nós o folclore de tão distantes paragens, como este ano em que estão presentes continente português, Letónia e Polónia, à semelhança de representações de outros países que ao longo dos anos por aqui têm passado.

A organização, Junta de Freguesia de Relva e Grupo Folclórico de Cantares e Balhados da Relva, espera, como nos anos transactos, uma grande multidão, que certamente irá lotar o espaçoso recinto, numa noite que nos fará viver outras épocas e culturas muito diferentes da açoriana.
 
Contacto: 917686538 - 296672579 grupobalhadosrelva@gmail.com e medeiros.jo@gmail.com  - jc.melo@sapo.pt - 961336326
Junta de Freguesia da Relva                                              Grupo Folclórico de Cantares     e Balhados da Relva

José Costa Melo                                       João de Medeiros

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Agenda do Governo Regional dos Açores para 31 de julho e 1 de agosto


TERÇA-FEIRA, DIA 31:

ATIVIDADES DOS MEMBROS DO GOVERNO:

16H00 - A Secretária Regional da Economia, Luísa Schanderl, está presente na apresentação dos primeiros 15 estabelecimentos selecionados no âmbito do projeto “Seleção Gastronómica e Vinhos” da AHRESP - Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal.

Local: restaurante Alabote, largo East Providence, na Ribeira Grande.

21H00 - O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, Noé Rodrigues, está presente, em representação do Presidente do Governo, na cerimónia de entrega do pedido de reconhecimento da raça por parte da Direção da Associação dos Criadores e Amigos do Pónei da Terceira.

Local: Regimento de Guarnição n.º 1, em Angra do Heroísmo.

OUTROS AGENDAMENTOS:

11H00 - O Diretor Regional da Cultura, Jorge Bruno, visita as obras de construção em curso do Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas.

Local: rua Adolfo Medeiros, na Ribeira Grande.

11H00 - O Diretor Regional da Juventude, Bruno Pacheco, está presente na apresentação do Portal da Juventude.

Local: Academia da Juventude e das Artes da Ilha Terceira, na Praia da Vitória.

14H00 - O Diretor Regional dos Assuntos do Mar, Frederico Cardigos, integra um grupo de mergulho da Universidade dos Açores para observar a situação da Caulerpa Webbiana na baixa da Feteira.

Local de concentração: Centro de Mergulho do Departamento de Oceanografia e Pescas, na Horta.

NOTA: o diretor regional disponibiliza-se para prestar declarações à Comunicação Social, pelas 17 horas, no cais de Santa Cruz.

QUARTA-FEIRA, DIA 1:

ATIVIDADES DO PRESIDENTE DO GOVERNO:

19H00 - O Presidente do Governo, Carlos César, preside à cerimónia de inauguração da ampliação do aeroporto de São Jorge.

OUTROS AGENDAMENTOS:

11H00 - O Diretor Regional da Cultura, Jorge Bruno, visita as obras em curso no antigo hospital da Boa Nova, onde vai ser instalado o Núcleo Militar Baptista de Lima.

Local: rua da Boa da Nova, em Angra do Heroísmo.

21H30 - O Diretor Regional da Cultura, Jorge Bruno, está presente no lançamento do livro A Besta, no âmbito do concurso LABJOVEM.

Local: Teatro Faialense, na Horta.



GaCS

Aberto concurso para o transporte marítimo de mercadorias entre Flores e Corvo


Foi hoje publicado no Diário da República o aviso do concurso para a prestação de serviços de transporte marítimo regular de mercadorias na rota Flores/Corvo/Flores, com respeito pelas obrigações de serviço público publicadas no Jornal Oficial da União Europeia.

O concurso prevê a concessão daquele transporte por um período de três anos, prorrogável por mais um, tendo como preço base o valor de 1,4 milhões de euros, e um prazo de entrega das propostas de sessenta dias.

Para a Secretária Regional da Economia, Luísa Schanderl, “esta é mais uma etapa da revolução tranquila que o Governo dos Açores tem vindo a concretizar no sistema de transportes marítimos da Região, o que, neste caso, se traduz na ambição de melhoria da qualidade do serviço que é prestado à população corvina”.

Recorde-se que, entre as obrigações de serviço público a prestar, estão, pelo menos, duas ligações semanais de ida e volta entre as Flores e o Corvo durante todo o ano, bem como a realização de viagens extraordinárias sempre que ocorram situações de rutura de bens essenciais na ilha do Corvo, designadamente os produtos alimentares e de higiene, as rações, o gás e os combustíveis.

Segundo Luísa Schanderl “na construção deste novo modelo de transporte marítimo de passageiros e mercadorias que o Governo tem vindo a implementar já se podem, igualmente, destacar as intervenções já concretizadas, como neste fim-de-semana na cidade da Horta, e outras que estão a ser realizadas em vários portos da Região, como é o caso da construção de rampas roll on roll off, bem como, a construção dos novos navios de transporte de passageiros e viaturas destinados a operar no Grupo Central, e em especial no Triângulo.”


Anexos:
2012.07.30.SRE-ConcursoTanspCorvoFlores.mp3

GaCS

Governo e parceiros continuam a trabalhar para a valorização da carne dos Açores


O Governo dos Açores e a Federação Agrícola dos Açores (FAA) estão a analisar, em conjunto, as medidas de apoio que nos últimos anos trouxeram à Região “estabilidade, valorização e uma exponenciação dos Açores como uma região laboriosa, produtora e exportadora de carne de qualidade”.

Para o Secretário Regional da Agricultura e Florestas, é necessário continuar nesta trajetória retirando partido de todos os investimentos que têm sido feitos na qualidade genética dos animais, na melhoria da rede regional de abate e na criação de novas oportunidades para os operadores do setor da carne, envolvendo sempre os produtores e as suas organizações.

No final de uma reunião com a Direção da FAA, onde esteve em análise a execução financeira do POSEI e os apoios existentes para o escoamento dos vitelos na Região, Noé Rodrigues recordou que as dificuldades vão aumentar ao nível da exportação do gado em vivo por questões de bem-estar animal e de transporte.

“Aquilo que está a acontecer hoje em dia é que há quem, uma vez por mês, apareça aqui na Região, demagogicamente, como é o caso da Eurodeputada, Patrão Neves, a exigir aumentos de envelopes financeiros sem ter a coragem de indicar a que agricultores devemos retirar subsídios para entregar aos quatro viteleiros de São Miguel”, frisou o governante.

Em colaboração com a FAA, o Governo dos Açores está a estudar quais as medidas onde podem ser retiradas verbas para uma possível alteração dos apoios concedidos aos operadores de carne, o que, segundo Noé Rodrigues “não é fácil porque nenhum daqueles que recebe o apoio quer ver os seus valores diminuídos em benefício apenas de quatro”.

Nos últimos anos tem sido substancialmente reduzida a medida de retirada de vitelos do mercado, através de várias iniciativas que têm permitido colocar a carne no mercado já abatida e pronta a consumir “sendo este o objetivo que devemos manter”.


Anexos:
2012.07.30-SRAF-ReuFedAgricola.mp3


GaCS

José Contente diz que mais uma vez o Governo dos Açores resolve os estragos das calamidades


O Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos assinou, esta manhã, o contrato para a construção de um aqueduto na estrada regional nº 1-1ª na zona do João Bom, freguesia do Pilar da Bretanha, no concelho de Ponta Delgada.

A obra a realizar, orçada em cerca de 750 mil euros, surgiu na sequência  do mau tempo, ocorrido no mês de Maio e que causou derrocadas nas freguesias do Pilar da Bretanha, Ajuda da Bretanha, Remédios, Feteiras e Mosteiros.

Para José Contente, o Governo dos Açores “volta a constituir-se como a entidade primeira no combate às calamidades e é preciso ter a força necessária e suficiente para tecnicamente responder da melhor maneira e ter igualmente a necessária capacidade financeira para responder com urgência a situações imprevistas que causam sempre grandes dificuldades”.

O governante afirmou que “ são de menor monta as questões da paciência que de vez em quando é preciso ter com algumas incompreensões ou até com más informações. Hoje,  o que queremos realçar  é a força do Governo dos Açores para, uma vez mais, responder às calamidades na nossa Região, força esta que  provém da enorme responsabilidade de normalizar a vida das populações e é nesse sentido que nós trabalhamos em primeiro lugar. A nossa preocupação foi, desde sempre, a de repor a normalidade e a segurança das populações que por aqui transitam”.

O Secretário Regional da Ciência,  Tecnologia e Equipamentos disse também que o Governo Regional  enfrenta a segurança como  um bem inacabado e que ”é preciso estar permanentemente em alerta numa Região que tem um forte enquadramento geodinâmico e que, de vez em quando, a natureza acaba por constituir também, com a sua força, alguns incidentes, algumas catástrofes e algumas calamidades que obrigam, exigem e impõem às entidades responsáveis,  uma resposta rápida e atempada”.

Na sua intervenção, José Contente agradeceu a todos os autarcas e sobretudo à população por, apesar dos graves inconvenientes, manifestarem grande compreensão,  consideração e sobretudo sentido de equilíbrio, por perceberem que o Governo Regional está a fazer aquilo que lhe compete para  resolver esta situação o mais rapidamente possível.

O governante açoriano aproveitou a ocasião para anunciar que entretanto foi  adjudicada a obra de reposição da estrada entre a Vigia das Feteiras e a Vista do Rei, estando prevista para breve a assinatura do contrato para que os estragos provocados por mais aquela calamidade, na costa sul, sejam igualmente resolvidos.


Anexos:
2012.07.30 - SRCTE-João Bom- AssinaturaContratoMarques.mp3



GaCS

Livro A Besta lançado quarta-feira na Horta


O livro A Besta, da autoria do jovem faialense Flávio Silva, será lançado na próxima quarta-feira, dia 1 de agosto, pelas 21:30 horas, no Bar do Teatro Faialense, na cidade da Horta, numa edição da Direção Regional da Cultura.

A sessão de lançamento deste livro, que foi vencedor do Concurso Labjovem 2011 para a área da literatura, contará com a presença do Diretor Regional da Cultura, Jorge Paulus Bruno, e consistirá na apresentação da obra pelo Dr. Victor Rui Dores, seguindo-se um concerto acústico pelo músico João Félix.

Natural da ilha do Faial, Flávio Miguel Fraga da Silva vive atualmente na China, onde se encontra a concluir a licenciatura em mandarim na Universidade de Nanjing. Em 2009 ganhou o 3.º prémio no VIII Concurso Nacional Literário da Trofa.

A ação d’A Besta decorre no século XVI e centra-se na vida de Amadeu Pamplona, um traficante de ouro, cujo negócio se encontra em fase de declínio. Para recuperar a fortuna de outros tempos, engendra um plano insólito, que vai desafiar os costumes populares e lançar a sua família num futuro incerto.



GaCS

domingo, 29 de julho de 2012

Governo Regional prossegue aposta na renovação da frota pesqueira açoriana


O Subsecretário Regional das Pescas, Marcelo Pamplona, enalteceu, hoje, em Vila Franca do Campo, o grande empenho do executivo regional na renovação da frota de pesca dos Açores.

O governante, que falava em representação do Presidente do Governo, na cerimónia de batismo da traineira “André Tiago”, propriedade do armador João Natalino Bolarinho, revelou que nos últimos quatro anos o Governo Regional apoiou a construção de 120 novas embarcações, num total da frota açoriana de 650 barcos.

A embarcação hoje, batizada, tem 16 metros de comprimento, é polivalente e pode pescar peixe de fundo nomeadamente, peixe-espada preto ou atum, num investimento que ultrapassa um milhão de euros, 308 mil euros do Governo Regional, e restante a cargo do armador, revelou o Subsecretário Regional das Pescas.

Nesse sentido, o processo de modernização dos barcos açorianos, é para Marcelo Pamplona um sucesso, pois são investimentos como este, que fazem com a frota regional possa ser mais competitiva e, ao mesmo tempo atribui aos pescadores melhores condições de trabalho, para saírem para o mar, na próxima década.

Por outro lado, esta renovação dota os homens do mar com os instrumentos adequados para o futuro e para aproveitarem os picos das espécies pelágicas, dado que estes barcos têm outras potencialidades, para usufruírem dos recursos dos mares dos Açores, sublinhou o governante.

Marcelo Pamplona congratulou-se, ainda, com o batismo da nova traineira “André Tiago” construída por um armador de Vila Franca do Campo, com grande tradição de pesca naquele concelho da Ilha de S. Miguel, desejando-lhe as maiores felicidades.


Anexos:
2012.07.29-SsRP-batismoVFC.mp3


GaCS

José Contente elogia Grupo Folclórico dos Arrifes


O Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos assistiu, ontem à noite, em representação do Presidente do Governo Regional, ao XVII Festival de Folclore dos Arrifes.

Após a atuação dos vários grupos folclóricos, seguiu-se um momento de confraternização no Centro Social dos Arrifes, durante o qual José Contente felicitou o Grupo Folclórico dos Arrifes pela passagem do seu vigésimo aniversário.

Na altura, o governante referiu que "um povo com folclore tem significado de história e tradições relevantes e indeléveis que marcam, no presente, os tempos passados".

O governante adiantou que num tempo marcado pelos avanços tecnológicos e pela modernidade urge continuar a apostar na educação para a cultura das tradições. Falando no carácter universal, tradicional e popular inscrito nos grupos folclóricos, o Secretário Regional sublinhou que "o pensar, o sentir, o agir e reagir do povo açoriano expressam-se fortemente no nosso folclore".

O folclore, por outro lado, é multidisciplinar porque encerra, entre outros, aspetos, linguísticos, sociológicos, psicológicos, pedagógicos e até de educação física, que fazem a cultura de um povo, acrescentou o governante.

Este ano, reuniram-se nos Arrifes, para além do grupo local, grupos folclóricos do continente e um do Canadá (Winnipeg), cujos elementos são filhos de açorianos que cultivam as tradições açorianas além fronteiras e o seu repertório abrange todas a s ilhas dos Açores. Por isso, José Contente afirmou tratar-se de um encontro onde se cruzaram as origens e a projeção dos açorianos.



GaCS

Diretor dos Assuntos do Mar participa em ação de mergulho para assinalar Dia Mundial da Conservação da Natureza


O Diretor dos Assuntos do Mar participou sábado à tarde, na ilha do Faial, numa ação de mergulho destinada a assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se celebrou na sexta-feira.

A iniciativa teve lugar na Boca das Caldeirinhas, no Monte da Guia, uma das mais antigas áreas marinhas protegidas dos Açores, classificada desde 1980.

Segundo explicou Frederico Cardigos, o Governo dos Açores, através da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, associou-se às comemorações com o objetivo de “exemplificar os benefícios da existência de uma área marinha protegida para as oportunidades que se abrem ao turismo subaquático, para a possibilidade de extensão educativa e mesmo para as atividades extrativas”.

Durante a atividade, o Diretor Regional dos Assuntos do Mar enfatizou ainda a necessidade de preservar o ambiente marinho, já que “apenas protegemos o que estimamos e que consideramos útil, pelo que é uma tarefa do Governo dar informação sobre estas áreas e abrir as portas à sua utilização com retorno económico ou social, desde que se mantenham ou melhorem as suas condições ambientais”.

De acordo com aquele responsável, o Ambiente Marinho nos Açores “é uma ferramenta de elevada visibilidade, de prestígio e um potencial alicerce financeiro de todas as ilhas”, pelo que “algum desrespeito pelas regras da pesca, a proliferação de organismos invasores e a poluição marinha difusa merecem um olhar atento e respostas abrangentes”.

Neste momento, existem nos Açores dezenas de áreas marinhas protegidas, sendo que 44 pertencem aos Parques Naturais de Ilha, 11 ao Parque Marinho dos Açores e sete foram criadas por interesses específicos, ainda não estando enquadradas pelos diplomas de conservação da natureza dos Açores. Esse facto releva o carácter dinâmico e versátil das áreas marinhas protegidas, que assim respondem às solicitações da sociedade açoriana, promovendo a existência de novas atividades, a proteção do património e a investigação científica.

O Dia Nacional para a Conservação da Natureza foi estabelecido no dia 28 de julho, por Portugal, celebrando o aniversário da Liga para a Proteção da Natureza. Com esta celebração apela-se para a necessidade de colmatar os problemas existentes e que ameaçam o mundo selvagem.

Nos Açores, este é também o dia em que se celebra a descoberta em 1941 do Banco D. João de Castro, após quase dois séculos de mistério sobre a sua existência. Hoje, o Banco D. João de Castro é uma das áreas pertencentes ao Parque Marinho dos Açores e o hidrotermalismo de baixa profundidade aí existente já foi alvo de diversas missões científicas.



GaCS

sábado, 28 de julho de 2012

Agenda do Governo Regional dos Açores para 29 e 30 de julho-atualizada


DOMINGO, DIA 29:

ATIVIDADES DOS MEMBROS DO GOVERNO:

12H30 - O Subsecretário Regional das Pescas, Marcelo Pamplona, está presente, em representação do Presidente do Governo, na cerimónia de batismo da traineira “André Tiago”.

Local: porto de pescas de Vila Franca do Campo.

13H00 - O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, Noé Rodrigues, está presente, na cerimónia de entrega de prémios do Campeonato Regional e Taça Açores de Dressage.

Local: restaurante da Associação Agrícola de São Miguel, em Rabo de Peixe.

18H00 - O Secretário Regional da Presidência, André Bradford, incorpora-se, em representação do Presidente do Governo, na Procissão em Honra de Sant’Ana, na Freguesia de Furnas.

Local: Igreja de Nossa Senhora da Alegria.

18H30 - O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, Noé Rodrigues, incorpora-se, em representação do Presidente do Governo, na Procissão em Honra de Nossa Senhora de Lurdes.

Local Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Apresentação, na Vila das Capelas.

18H30 - O Subsecretário Regional dos Assuntos Europeus e Cooperação Externa, Rodrigo Oliveira, incorpora-se, em representação do Presidente do Governo, na Procissão em Honra do Santíssimo Sacramento.

Local: Igreja Paroquial da Ribeira Chã, na Lagoa.

19H00 - O Secretário Regional da Saúde, Miguel Correia, incorpora-se, em representação do Presidente do Governo, na Procissão em Honra de Nossa Senhora do Amparo, na Freguesia da Algarvia.

Local: Igreja Paroquial de Nossa Senhora do Amparo, em Nordeste.

OUTROS AGENDAMENTOS:

15H00 - O Diretor Regional da Juventude, Bruno Pacheco, está presente, em representação do Presidente do Governo, na festa do VI ACANUC do Corpo Nacional de Escutas.

Local: Campo Escutista de Lagos, em Água d´Alto.

SEGUNDA-FEIRA, DIA 30:

ATIVIDADES DOS MEMBROS DO GOVERNO:

10H00 - O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, Noé Rodrigues reúne, com a Federação Agrícola dos Açores.

Local: Direção de Serviços de Agricultura e Pecuária, Quinta de São Gonçalo, Ponta Delgada.

11H00 - O Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, José Contente, preside à assinatura do contrato de empreitada de construção do aqueduto da estrada regional n.º 1-1ª, em João Bom, na freguesia do Pilar do Bretanha.

Local: Estrada Regional na zona do João Bom, junto ao local onde ocorreu a derrocada.

19H00 - O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, Noé Rodrigues, está presente, em representação do Presidente do Governo, nas comemorações do Dia da Freguesia da Conceição.

Local: sede da junta de freguesia, na Horta.

OUTROS AGENDAMENTOS:

14H45: O Diretor Regional do Desenvolvimento Agrário, Joaquim Pires, está presente, na inauguração de dois parques de retém de gado na Freguesia da Prainha.

Ponto de encontro: Cruzamento do Corre Água, Prainha, Pico.



GaCS

Governo incentiva atividades juvenis


O Governo Regional continua apostado em incentivar diversas atividades da juventude açoriana e o associativismo juvenil.

A afirmação é do Vice-presidente do executivo, em declarações prestadas na noite desta sexta-feira, quando assistia à final do torneio de futsal organizado pela Associação Juvenil da Ilha Terceira (AJITER).

Segundo disse Sérgio Ávila, o estímulo proporcionado pelo Governo tem vindo a dar frutos, com milhares de jovens açorianos a integrarem associações diversificadas e participando, ativamente, em variadas áreas de interesse.

No caso concreto da AJITER, o governante sublinhou o dinamismo que apresenta, movimentando, ao longo do ano, cerca de 1.500 jovens, em atividades desportivas, culturais, ambientais, educação para a saúde e promoção da participação.

O torneio de futsal da AJITER, uma prova informal que vem sendo organizada anualmente, no verão, contou com a participação de 10 equipas, oito masculinas e duas femininas.

E femininos, a prova foi ganha pela equipa “Friends Team”, enquanto que em masculinos triunfou o Centro Social de São Bento.



GaCS

José Contente felicita jovens “da arte sem pedestal”


O Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos homenageou o movimento cultural inovador de valorização da “arte sem pedestal”, a qual considera que veio preencher um hiato existente ao nível da arte pública dos Açores. De acordo com José Contente, este conceito cultural representa uma “ruptura com os processos de globalização, de homogeneização cultural e materializa o novo pensamento destes jovens, que imprime uma nova configuração de modernidade às nossas ilhas”.

José Contente, que presidiu ontem à tarde à cerimónia de abertura do festival Walk&Talk Azores 2012, que decorre em Ponta Delgada, elogiou os jovens artistas responsáveis pela organização do evento. O festival de arte pública pretende valorizar a cultura açoriana através do respeito pelo património e pela educação artística, potenciando a abertura da comunidade local a novas realidades. Para o Secretário Regional este é um “novo movimento bem alicerçado por jovens que podem e devem dar um cunho diferente aos nossos espaços públicos”.

Além de contribuir para a transformação da Região num destino impar no circuito cultural internacional, o Festival Walk&Talk reúne artistas de todo o mundo nos Açores. Segundo o governante, estas são pessoas que “não vêem a paisagem como pano de fundo, integram antes a paisagem na sua arte” e, por isso, “devem continuar a ser apoiados porque nós nos Açores podemos e devemos ter novos artistas que representem as novas formas de pensamento porque isso é que é inovação”.

José Contente realçou ainda a importância dos jovens que trabalham pelo desenvolvimento da sua terra com o intuito de construir “uns Açores mais modernos, que contam com a força criativa da juventude”. Acrescentou também que é preciso ter “sensibilidade e bom senso para se poder abraçar projetos desta natureza, mas também é preciso sentido de inovação, coragem, vontade de mudar as coisas em termos positivos”.

O festival, que transforma anualmente a ilha de São Miguel num palco privilegiado para as manifestações de arte contemporânea, conta já com mais de 150 pessoas e entidades envolvidas na sua produção e tem o apoio do Governo Regional dos Açores. “Nós vamos continuar a apoiar estes projetos porque eles significam também uns Açores novos, diferentes, uns Açores mais modernos e sem medo de participar neste movimento de modernidade mundial que hoje, aqui, já congrega muita gente”, sublinhou José Contente.


Anexos:
2012.07.28-SRCTE-FestivalWalkTalk.mp3


GaCS

Carlos César diz que novo terminal marítimo de cruzeiros da Horta é ponto de viragem nas ligações marítimas


“Uma obra que representa um ponto de viragem nas ligações marítimas desta ilha e nesta área geográfica de mercado do Triângulo”. Foi assim que o Presidente do Governo dos Açores classificou hoje a inauguração do novo terminal marítimo de cruzeiros da Horta.

O investimento, integrado no Plano de Requalificação e Reordenamento da Frente Marítima da cidade da Horta, e correspondente à sua primeira fase de execução, vem qualificar e consolidar a vocação daquela baía e cidade como “capital do Mar dos Açores”.

Com as novas infraestruturas destinadas ao acolhimento de viajantes e turistas, proporciona-se uma grande melhoria nas condições das operações de transporte marítimo de passageiros, que assume naquela área do arquipélago uma especial importância. Aperfeiçoam-se, assim, os fatores de segurança e de atratividade para as pessoas e para os operadores de transporte.

Esta obra de ampliação e reordenamento da área portuária da Horta implicou um investimento de cerca de 40 milhões de euros, constituindo um esforço financeiro muito significativo que terá reflexos muito positivos e duráveis para a economia portuária e para a economia da ilha em geral. Carlos César está convicto que “gerará uma vivência dinâmica nesta zona da cidade, valorizando-a simultaneamente graças ao apuro arquitetónico e à solução de arranjo urbanístico que incorpora”.

O novo terminal marítimo de cruzeiros da Horta, para além da modernidade e qualidade que representa, vai possibilitar a operação de mercadorias e viaturas por rampas roll-on roll-off e vem fortalecer a oferta de terminais para o turismo de cruzeiros na Região, sector turístico que se estima em franca expansão.

Os transportes marítimos no Triângulo tiveram uma evolução muito significativa nos últimos anos. Em 1996 eram 290 mil os passageiros transportados num ano, hoje são mais de 400 mil. Em 2014 o transporte entre as Ilhas do Triângulo contará com dois novos navios, com capacidade para transporte de viaturas, que irão complementar e substituir num futuro próximo a atual frota.

Igualmente significativa, segundo o Presidente do Governo, “foi a evolução do transporte marítimo de passageiros na Região, que havia sido interrompida pelos governos que me antecederam e que recuperámos em 1998. Logo no primeiro ano de operação tivemos mais de 60 mil passageiros, e agora já são cerca de 90 mil a viajarem, de Maio a Setembro, entre todas as nossas ilhas dos Açores incutindo animação e dinamismo nos mercados locais”.

No caso do turismo de cruzeiros, a evolução também tem sido muito positiva e associada às capacidades que o Governo Regional tem transmitido ao acolhimento especializado nos nossos portos, como é o caso do Faial com a construção deste novo cais. De um volume de atividade perfeitamente residual nos anos noventa, passaram a escalar anualmente os portos dos Açores uma centena de navios de cruzeiros, com cerca de 100 mil turistas a tomarem contato com as nossas ilhas e o arquipélago passou a ser reconhecido internacionalmente como um local qualificado de escala.

Para Carlos César, “quando se fala da importância do Mar para os Açores não nos circunscrevemos, pois, ao estímulo a atividades económicas tradicionais como a pesca, à preservação da sustentabilidade dos recursos marinhos, ao apoio à investigação e à ciência correlacionadas, ou à prospeção e exploração de recursos por exemplo provenientes do mar profundo. As capacidades dos nossos portos são também essenciais para o papel que podemos desempenhar e para as vantagens que podemos retirar dessas atividades emergentes ligadas ao Mar”.

A história mais recente dos Açores está marcada por um forte investimento do Governo nas infraestruturas portuárias, quer na sua ampliação e modernização quer na sua recuperação face a estragos ocasionados por situações de tempestades de mar.
A atividade dos transportes de mercadorias sofreu, ao longo da última década e meia, uma melhoria significativa da sua eficiência e regularidade, num contexto concorrencial que foi consolidado.

O Presidente do Governo considera que “urge prosseguir esse esforço, pois é crescentemente importante para a nossa economia empresarial a diminuição dos custos dos fretes, o que pode igualmente ser conseguido com melhorias como a do ordenamento e melhor organização dos espaços portuários, da contenção nas tarifas portuárias cobradas aos armadores ou de soluções para o escoamento mais rápido de produtos contentorizados para o exterior. Aliás, recentemente, procedeu-se à reorganização dos itinerários marítimos da cabotagem nos Açores, o que, sem prejudicar a capacidade de escoamento dos volumes de contentores movimentados na Região, irá permitir uma movimentação mais célere das mercadorias entre o grupo central e os mercados logísticos no continente português”.

Carlos César concluiu afirmando que “é importante não perder o sentido reformista que permite fazer mais e melhor e, no caso, agilizar um dos setores mais influentes no desempenho da economia regional. É importante continuar, servindo as pessoas e ajudando mais as empresas”.


Anexos:
2012.07.28-PGR-Inauguração-Terminal-Cruzeiros-Horta.mp3


GaCS

Intervenção do Presidente do Governo


Texto integral da intervenção do Presidente do Governo, Carlos César, proferida hoje, na Horta, na cerimónia de inauguração da obra de Requalificação e Reordenamento da Frente Marítima da cidade da Horta:

“É sempre um momento de agrado, aquele em que celebramos a concretização de um empreendimento desejado e necessário como o que agora estamos a inaugurar.

Acresce, no caso em apreço, que este investimento, integrado no Plano de Requalificação e Reordenamento da Frente Marítima da cidade da Horta, e correspondente à sua primeira fase de execução, vem qualificar e consolidar uma vocação desta baía e desta cidade que, histórica e justamente, ganhou o estatuto da capital do Mar dos Açores.

Com estas novas infraestruturas destinadas ao acolhimento de viajantes e dos turistas, proporcionamos uma grande melhoria nas condições das operações de transporte marítimo de passageiros, que assume, como se sabe, nesta área do arquipélago, uma especial importância. Aperfeiçoam-se, assim, os fatores de segurança e de atratividade para as pessoas e para os operadores de transporte.

Esta obra de ampliação e reordenamento da área portuária da Horta, que estamos simbolicamente a inaugurar, implicou um investimento de cerca de 40 milhões de euros, constituindo, pois, um esforço financeiro muito significativo que, todos o esperamos, terá reflexos muito positivos e duráveis para a economia portuária e para a economia da ilha em geral. Estou também convencido que gerará uma vivência dinâmica nesta zona da cidade, valorizando-a simultaneamente graças ao apuro arquitetónico e à solução de arranjo urbanístico que incorpora.

O novo terminal marítimo de cruzeiros da Horta, para além da modernidade e qualidade que representa, vai possibilitar a operação de mercadorias e viaturas por rampas roll-on roll-off e vem fortalecer a oferta de terminais para o turismo de cruzeiros na Região, sector turístico que se estima em franca expansão.

É uma obra que representa um ponto de viragem nas ligações marítimas desta ilha e nesta área geográfica de mercado do Triângulo.

Os transportes marítimos no Triângulo tiveram uma evolução muito significativa nos últimos anos. Quando entrei para o Governo eram 290 mil os passageiros transportados num ano; hoje são mais de 400 mil. Em 2014 o transporte entre as Ilhas do Triângulo contará com dois novos navios, com capacidade para transporte de viaturas, que irão complementar e substituir num futuro próximo a atual frota.

Igualmente significativa foi a evolução do transporte marítimo de passageiros na Região, que havia sido interrompida pelos governos que me antecederam e que recuperámos em 1998. Logo no primeiro ano de operação tivemos mais de 60 mil passageiros, e agora já são cerca de 90 mil a viajarem, de Maio a Setembro, entre todas as nossas ilhas dos Açores incutindo animação e dinamismo nos mercados locais.

No caso do turismo de cruzeiros, a evolução também tem sido muito positiva e associada às capacidades que temos transmitido ao acolhimento especializado nos nossos portos, como o estamos a fazer no Faial com a construção deste cais. De um volume de atividade perfeitamente residual nos anos noventa, passámos a ter a escalar anualmente os portos dos Açores uma centena de navios de cruzeiros, com cerca de 100 mil turistas a tomarem contato com as nossas ilhas, e passámos a ser reconhecidos internacionalmente como um local qualificado de escala.

Quando se fala da importância do Mar para os Açores não nos circunscrevemos, pois, ao estímulo a atividades económicas tradicionais como a pesca, à preservação da sustentabilidade dos recursos marinhos, ao apoio à investigação e à ciência correlacionadas, ou à prospeção e exploração de recursos por exemplo provenientes do mar profundo. As capacidades dos nossos portos são também essenciais para o papel que podemos desempenhar e para as vantagens que podemos retirar dessas atividades emergentes ligadas ao Mar.

A história mais recente dos Açores está marcada por um forte investimento do governo nas infraestruturas portuárias, quer na sua ampliação e modernização quer na sua recuperação face a estragos ocasionados por situações de tempestades de mar: aliás, é bom recordar que, nestes últimos quinze anos, infelizmente, nunca tivemos um só ano em que não decorressem obras vultuosas por virtude dessas razões excecionais. Aplicámos nessas obras de recuperação, por causa dos danos de intempéries, centenas de milhões de euros, muitos dos quais apenas para reconstruir o existente, verbas essas que poderiam ter servido outros empreendimentos e outros beneficiários.

Neste último período, porém, foram do mesmo modo muitos os investimentos desenvolvidos noutros fatores da economia dos transportes marítimos, designadamente a construção de infra-estruturas facilitadoras de operação com carga rolada e do trânsito em geral de mercadorias, a segurança e a manutenção dos meios operacionais, a melhoria das condições de proteção nos portos e barras nas ilhas, a aquisição de equipamentos modernos e adaptados às exigências logísticas, a construção de zonas de apoio à pesca e ao recreio náutico, e o melhoramento das capacidades afetas ao transporte de passageiros como no caso desta estrutura que entra agora ao serviço.

A atividade dos transportes de mercadorias sofreu, ao longo da última década e meia, uma melhoria significativa da sua eficiência e regularidade, num contexto concorrencial que foi consolidado. Urge prosseguir esse esforço, pois é crescentemente importante para a nossa economia empresarial a diminuição dos custos dos fretes, o que pode igualmente ser conseguido com melhorias como a do ordenamento e melhor organização dos espaços portuários, da contenção nas tarifas portuárias cobradas aos armadores ou de soluções para o escoamento mais rápido de produtos contentorizados para o exterior. Aliás, recentemente, procedeu-se à reorganização dos itinerários marítimos da cabotagem nos Açores, o que, sem prejudicar a capacidade de escoamento dos volumes de contentores movimentados na Região, irá permitir uma movimentação mais célere das mercadorias entre o grupo central e os mercados logísticos no continente português.

É importante, assim, não perder o sentido reformista que permite fazer mais e melhor e, no caso, agilizar um dos setores mais influentes no desempenho da economia regional. É importante, pois, continuar, servindo as pessoas e ajudando mais as empresas.

Para já, parabéns ao Faial."



GaCS

Diretor Regional do Ambiente alerta para intensificação da erosão costeira nos Açores


O Diretor Regional do Ambiente afirmou sexta-feira à noite, na ilha do Faial, que os Açores têm assistido, nos últimos anos, a “uma intensificação da erosão costeira”, em consequência das “tempestades marítimas que são mais frequentes e com um poder destrutivo cada vez maior”.

Este é um dos vários exemplos das consequências das alterações climáticas, que frequentemente se manifestam por todo o globo, disse João Bettencourt ao participar na conferência Alterações climáticas, o que esperar nos Açores, que decorreu no Jardim Botânico do Faial no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Conservação da Natureza.

Segundo defendeu aquele responsável, “o planeta reclama e nós temos a obrigação de agir, de imediato,” no sentido de defender e preservar a natureza.

João Bettencourt lembrou, a propósito, que os arquipélagos da Macaronésia (Açores, Madeira, Canárias e Cabo Verde) apresentam “o mais elevado grau de endemismos da Europa” e são “um dos centros de biodiversidade mais importantes a nível mundial”.

Conforme referiu o Diretor Regional do Ambiente, o banco de sementes sedeado no Jardim Botânico do Faial conserva já atualmente sementes das 31 espécies mais raras dos Açores, número que no final do ano deverá aumentar para 50.

Investir na aquisição de equipamentos e na ampliação das infraestruturas existentes, bem como providenciar formação às equipas de campo e pessoal de investigação que procedem à recolha e conservação da variabilidade genética das populações de plantas, foram outros dos objetivos do Programa Mais Endémicas indicados por João Bettencourt.

Através do Programa PRECEFIAS, os Açores têm procedido também à erradicação e controle de flora invasora em áreas sensíveis, sendo que esta ação “obriga a uma operacionalidade contínua e ininterrupta em simultâneo com a reintrodução de espécies autóctones”.

De acordo com aquele responsável, este plano de recuperação inclui a recolha de material de propagação e o estabelecimento de viveiros de plantas, razão pela qual foi também implementado no arquipélago o Projeto BIOCLIMAC.

Para o Diretor Regional do Ambiente, este projeto vem potenciar o desenrolar destas ações de conservação, “contribuindo definitivamente para pôr em prática as ações necessárias para impedir o desaparecimento de habitats, de espécies e ajudar na elaboração de resposta aos impactos do aquecimento global sobre a flora endémica dos Açores”.



GaCS

Bactéria contamina sete bebés no hospital do Divino Espírito Santo em Ponta Delgada

Sete bebés internados na Unidade de Neonatologia do Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, nos Açores, foram contaminados com uma bactéria, obrigando ao reforço das medidas de protecção, adiantou esta quinta-feira à Lusa fonte hospitalar.


"A bactéria foi detectada no início da semana e está colonizada em sete bebés internados na unidade de neonatologia", adiantou à Lusa fonte hospitalar, acrescentando que a bateria Baumannii "está alojada na zona da laringe e da boca dos bebés".

O director do serviço de pediatria do Hospital de Ponta Delgada, Carlos Pereira Duarte, adiantou à RTP/Açores desconhecer as razões que levaram ao surgimento da bactéria na unidade.

"Ninguém está infectado, trata-se de uma contaminação, ou seja, as crianças ficam portadoras da bactéria e serão seguidos apertadamente", afirmou o pediatra, acrescentando que "não há motivo para alarme".

A Lusa tentou esta quinta-feira contactar o director do serviço de pediatria, mas o clínico escusou-se a prestar mais esclarecimentos sobre o sucedido na unidade de neonatologia.

O Hospital de Ponta Delgada aditou, entretanto, medidas protectoras, reforçando na unidade o uso de luvas, máscaras e batas descartáveis, bem como os cuidados de higiene.

Além do isolamento dos sete bebés contaminados, os espaços e os equipamentos da unidade foram vaporizados, com o intuito de os esterilizar e as visitas restringidas.

A Acinetobacter Baumannii é um micro-organismo que resiste a vários antibióticos e que aparece com alguma regularidade em ambiente hospitalar, sendo transmitindo por contacto pelas mãos e objectos ou através dos equipamentos de assistência ventiladora.


Fonte: CM

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Governo cede edifício da ‘Trinity House’ à Associação dos Antigos Alunos do Liceu da Horta


O Governo dos Açores anunciou hoje a cedência futura, à Associação dos Antigos Alunos do Liceu da Horta (AAALH), da ‘Trinity House’, designação como é habitualmente conhecido o edifício que albergou as três primeiras companhias cabo-telegráficas que se estabeleceram na ilha do Faial.

A informação foi avançada pela Secretária Regional da Educação e Formação na sessão de encerramento, à qual que presidiu em representação do Presidente do Governo, do colóquio O valor Universal do Património Local: O Tempo dos Cabos Submarinos.

Segundo precisou Cláudia Cardoso, a ‘Trinity House’ estará “em condições de ser desocupada e desanexada da EBI Horta” após a “conclusão integral” da obra de requalificação, já em curso, do complexo escolar da Escola Básica 1,2 António José de Ávila, que compreende duas fases de intervenção.

Conforme argumentou a Secretária Regional, é também por esta via que o Governo dos Açores “comprova uma gestão equilibrada e harmoniosa do património cultural, na sua relação com o património natural, implementando uma visão dinâmica do património cultural e natural, na perspetiva da sua rentabilização como fator de desenvolvimento, dinamizando também um mercado cultural capaz de garantir a produção de bens culturais novos, e a conservação e valorização do património”.

Cláudia Cardoso sublinhou ainda que o imóvel a ceder pelo Governo à AAALH é “verdadeiro testemunho de um dos momentos áureos da vida socioeconómica faialense, que a instalação dos cabos submarinos veio potenciar”.

Disse também que o Governo sabe e reconhece que falar de cabos submarinos na Horta, onde o primeiro foi instalado em 1893, é falar “do nosso passado coletivo, do nosso património cultural” e “de algo que deve ser estimado, lembrado e seguramente celebrado”.

Para a Secretária da Educação e Formação, a política cultural dos Açores tem dado atenção à “preservação e valorização do património construído e imaterial” e à “promoção e dinamização da formação e da criatividade dos cidadãos, a título individual ou integrados numa tradição rica de associativismo cultural e recreativo”.

“Em matéria de património cultural, temos dado uma atenção muito especial ao sector da cultura, à inventariação, classificação, proteção, preservação e valorização do património móvel e imóvel, público ou privado, e também ao património cultural subaquático que, dadas as condições geográficas e históricas dos Açores, atinge entre nós um valor muito especial”, sublinhou Cláudia Cardoso.

A governante defendeu ainda que o desenvolvimento dos Açores “passa, obrigatoriamente, pela cultura, e de um modo particular pela preservação do património, através da sua revitalização e aproveitamento, pela produção cultural, e pela fruição de produtos e bens culturais”.

Construído em 1902 e reconstruído em 1926, o edifício da ‘Trinity House’ (a ‘Casa da Trindade’) albergou as três primeiras companhias cabo‐telegráficas que se estabeleceram na Horta, a inglesa Europe & Azores Telegraph C.ª, a alemã Deutsch‐Atlantische Telegraphengesellsehaft e a americana Commercial Cable C.ª.

O encerramento da atividade das companhias cabo‐telegráficas na Horta levou a que a ‘Trinity House’ fosse adaptada a estabelecimento de ensino, tendo ali sido sedeada, no ano letivo de 1968/69, a Escola Preparatória Duque de Ávila e Bolama, cuja designação evoluiu, depois, para Escola Básica 2 da Horta, Escola Básica 2,3 da Horta (desde 1998/99), Escola Básica 2 da Horta (desde 2005) e, por último, Escola Básica 1, 2 António José de Ávila (desde 2007).
 
Nesse mesmo edifício funcionaram, também, a Escola do Magistério Primário da Horta, de 1974 até à sua extinção em 1989, e ainda a Escola Técnica da Horta, de 7 de Fevereiro de 1973 – dia em que iniciou, em regime noturno, as suas atividades letivas com apenas uma turma do Curso Geral de Administração e Comércio – a 1977.

Já o chamado “Liceu Velho” foi adquirido em Setembro de 1945 pelo Estado Português à Eastern Telegraph Company, e, após obras de remodelação e ampliação, teve festiva inauguração a 27 de Abril de 1950.


Anexos:
2012.07.27-SREF-ColóquioCabosSubmarinos.mp3


GaCS

Governo acompanha de perto soluções propostas para o caso dos hotéis da ASTA


O Governo dos Açores está a acompanhar de perto soluções propostas para resolver o caso do Hotel Casino de Ponta Delgada e do Hotel Spa das Furnas, para evitar uma eventual penhora por parte das Finanças.

Esta posição foi assumida pelo Vice-presidente do executivo, em declarações aos jornalistas, salvaguardando, no entanto, que este é um assunto entre os sócios da ASTA, empresa responsável pelos empreendimentos, e os bancos (Banif e BCP), que financiaram o projeto.

A proposta em análise, já aprovada pelo Banif e aguardando aprovação do BCP, deverá passar pela entrada dos bancos numa pequena parte do capital da empresa, de forma a poderem desempatar uma votação de acionistas que leve à conclusão dos investimentos, o que é atualmente impossível por a ASTA ser detida, em partes iguais, pelos grupos Paim e Machado, que manifestam posições diferentes para a solução do problema.

Sérgio Ávila garantiu, no entanto, que a resolução do caso tem que estar definida até ao final desta legislatura, sob pena de o Governo ativar os mecanismos contratuais assumidos.

Os conflitos internos na ASTA provocaram a paragem das obras do Hotel Casino e adiaram a abertura da unidade das Furnas, praticamente concluída.

O Vice-presidente disse, ainda, que o Governo açoriano não tem qualquer intenção de entrar no capital da ASTA, por esta ter uma atividade que se desenrola num mercado concorrencial.


Anexos:
2012.07.27-VP-HotelCasino.mp3


GaCS

Agenda do Governo Regional dos Açores para 28 e 29 de julho


SÁBADO, DIA 28:

ATIVIDADES DO PRESIDENTE DO GOVERNO:

11H00 - O Presidente do Governo, Carlos César, preside à cerimónia de inauguração do novo terminal de cruzeiros do porto da Horta.

ATIVIDADES DOS OUTROS MEMBROS DO GOVERNO:

20H30 - O Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, José Contente, assiste, em representação do Presidente do Governo, ao XVIII Festival de Folclore.

Local: Jardim Padre Manuel Falcão Dinis, travessa dos Milagres, nos Arrifes.

21H00 - O Vice-Presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, preside, em representação do Presidente do Governo, às comemorações do 497.º aniversário da elevação de Água de Pau a Vila.

Local: largo do Santiago.

OUTROS AGENDAMENTOS:

16H30 - O Diretor Regional dos Assuntos do Mar, Frederico Cardigos, participa numa ação de mergulho, para assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza.

Local: Quiosque da Dive Azores, junto à marina da Horta.

NOTA: o diretor regional disponibiliza-se para prestar declarações à Comunicação Social, pelas 18:30 horas, no mesmo local.

DOMINGO, DIA 29:

ATIVIDADES DOS MEMBROS DO GOVERNO:

12H30 - O Subsecretário Regional das Pescas, Marcelo Pamplona, está presente, em representação do Presidente do Governo, na cerimónia de batismo da traineira “André Tiago”.

Local: porto de pescas de Vila Franca do Campo.

13H00 - O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, Noé Rodrigues, está presente, na cerimónia de entrega de prémios do Campeonato Regional e Taça Açores de Dressage.

Local: restaurante da Associação Agrícola de São Miguel, em Rabo de Peixe.

18H00 - O Secretário Regional da Presidência, André Bradford, incorpora-se, em representação do Presidente do Governo, na Procissão em Honra de Sant’Ana, na Freguesia de Furnas.

Local: Igreja de Nossa Senhora da Alegria.

18H30 - O Secretário Regional da Agricultura e Florestas, Noé Rodrigues, incorpora-se, em representação do Presidente do Governo, na Procissão em Honra de Nossa Senhora de Lurdes.

Local Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Apresentação, na Vila das Capelas.

18H30 - O Subsecretário Regional dos Assuntos Europeus e Cooperação Externa, Rodrigo Oliveira, incorpora-se, em representação do Presidente do Governo, na Procissão em Honra do Santíssimo Sacramento.

Local: Igreja Paroquial da Ribeira Chã, na Lagoa.

19H00 - O Secretário Regional da Saúde, Miguel Correia, incorpora-se, em representação do Presidente do Governo, na Procissão em Honra de Nossa Senhora do Amparo, na Freguesia da Algarvia.

Local: Igreja Paroquial de Nossa Senhora do Amparo, em Nordeste.

OUTROS AGENDAMENTOS:

15H00 - O Diretor Regional da Juventude, Bruno Pacheco, está presente, em representação do Presidente do Governo, na festa do VI ACANUC do Corpo Nacional de Escutas.

Local: Campo Escutista de Lagos, em Água d´Alto.



GaCS

Esclarecimento do Subsecretário Regional das Pescas


“Face às recentes declarações da líder do PSD sobre as pescas, o gabinete do Subsecretário Regional das Pescas esclarece o seguinte:

Ao contrário do que a líder do PSD afirma a frota de pesca açoriana, que foi alvo de uma grande renovação nos últimos anos, é adequada aos recursos existentes nesta zona do Atlântico, porque é dentro das 100 milhas em torno das nossas ilhas que existe mais peixe.

Dentro das 100 milhas existe uma área de bancos de pesca até aos mil metros de profundidade, que é seis vezes superior à que existe fora das 100 milhas. Só por profundo desconhecimento das potencialidades da nossa zona marítima, dos recursos piscatórios existentes e das atuais tecnologias da pesca, é que se pode afirmar que há mais peixe fora das 100 milhas do que dentro das 100 milhas.

A verdade é que a frota de pesca dos Açores progrediu imenso nestes últimos anos, em termos de condições operativas para o exercício da pesca, fruto de uma política que apostou em criar condições adequadas, aos homens e mulheres que vivem dos rendimentos que obtêm a trabalhar no mar dos Açores.

Nestes anos conseguiu-se recuperar o atraso profundo que existia na nossa frota e nos nossos portos, que foram deixados ao abandono nas duas primeiras décadas da nossa autonomia, e hoje, podemos afirmar com orgulho, que a nossa frota e nossa rede portuária regional já está num patamar de qualidade compatível com os tempos atuais e ao mesmo nível das outras frotas artesanais da União Europeia.

No que respeita à proposta de criação de uma entidade reguladora, embora a líder do PSD não tenha explicado em concreto como é que essa entidade iria funcionar, considera-se à partida que não é uma solução adequada, porque na prática seria burocratizar mais o setor das pescas. A solução está na entrada dos pescadores, de forma coletiva e organizada, no circuito da comercialização, com ou sem parcerias com outras entidades, de forma a introduzir mais concorrência, que ocasionará uma subida do preço do peixe em lota, e ao mesmo tempo, lhes permitirá partilharem uma parte dos lucros obtidos no negócio da venda do peixe.

Para isso é imprescindível que os pescadores deixem de pensar que o seu trabalho acabou no momento em que desembarcam o peixe em lota e que se empenhem também no processo de colocação do pescado no consumidor final. O futuro dos pescadores passa necessariamente por um salto organizacional que lhes permita diminuir o número de intermediários e reduzir o fosso que existe entre o preço de venda em lota e o preço que chega ao consumidor final. É nessa perspetiva de desenvolvimento que estamos empenhados politicamente.

Relativamente à Lotaçor, podemos afirmar que esta empresa desempenha um verdadeiro papel de apoio social e económico na vida dos pescadores, uma vez que é quem trata dos pagamentos à segurança social, às seguradoras, às associações da pesca e apoia também os armadores no âmbito do pagamento dos processos de construção e modernização das suas embarcações. Toda esta gestão que a Lotaçor faz e bem, em apoio dos pescadores, é feita com recurso à tesouraria da empresa, mesmo quando não recebe atempadamente o pagamento das empresas de comercialização e de transformação. A verdade é que esta empresa continua a pagar aos pescadores num prazo extremamente curto, enquanto os compradores de pescado têm alargado os prazos de pagamento, devido à atual conjuntura económica que grassa na Europa. E podemos garantir que a Lotaçor continuará a apoiar o sector das pescas de uma forma muito efetiva.


Anexos:
2012-07.27-SsRP-Esclarecimento.mp3

GaCS

Carlos César diz que a “cumplicidade construtiva” entre os agricultores e o Governo deve continuar


Para o Presidente do Governo dos Açores a inauguração hoje da obra de expansão da fábrica da Unileite, foi mais um passo importante num caminho de progresso, de consolidação desta unidade industrial, da sua afirmação no plano regional, nacional e nos mercados internacionais. “Um caminho que deve continuar com esta cumplicidade entre agricultores, empresários agrícolas, gestores industriais e comerciais e Governo. Para que este sector se afirme, se consolide e contribua para a riqueza regional”, afirmou Carlos César.

Trata-se de um investimento apoiado pelo Governo Regional em cerca de 19 milhões de euros, que “mostra o bom uso dos nossos recursos financeiros públicos, que temos sabido direcionar e orientar no sentido do acautelamento do nosso tecido produtivo e das nossas finanças publicas regionais” acrescentou o Presidente do Governo.

A expansão da fábrica de lacticínios da cooperativa Unileite, localizada na freguesia dos Arrifes, no concelho de Ponta Delgada, que teve um custo total de 30 milhões de euros. Com 674 associados e 232 colaboradores, passa a ter capacidade para receber 600 mil litros de leite por dia. No último ano, a fábrica da Unileite faturou 60 milhões de euros.

A Unileite passa a ter a capacidade de transformação da totalidade do leite produzido pelos seus associados, pode reduzir os volumes enviados para transformação em pó, aumenta a valorização do leite porque permite a sua transformação em diversos produtos de maior valor acrescentado, pode diversificar a sua produção, otimizar as estruturas de custo da empresa e  fica dotada de um melhor potencial para assegurar os atuais mercados onde está implantada e para conquistar novos mercados de exportação.

“Este investimento é precisamente o momento em que assinalamos a conclusão de um trabalho difícil, persistente e prolongado. De uma cumplicidade construtiva que nos une”, realçou Carlos César, “é com essa cumplicidade destes atores da nossa vida económica, que devemos continuar a trabalhar face às mudanças contínuas que se operam na produção e nos mercados para defender a nossa agricultura, a nossa produção industrial e todos os que trabalham nestes sectores e adquirem rendimentos por via desse trabalho”.

"É mais um bom investimento do empresariado agrícola, na fileira do leite, na especialização e valorização produtiva dos Açores, da atividade exportadora, enfim, na sustentabilidade da nossa economia", sustentou.

Carlos César recordou que quando assumiu funções de presidente do Governo Regional, em 1996, encontrou o sector agropecuário “no caos”, uma fábrica "quase a fechar as portas" e a agricultura "em situação de pré-falência", mas sublinhou que, passados estes anos, o sector modernizou-se.

Ao contrário do acontecia em 1996, em que só Açores estavam em crise e esta não se verificava no resto do país nem na Europa, “nós hoje vivemos uma situação de dificuldade nos Açores que é adensada pela circunstância de termos uma terrível crise financeira nacional, europeia e de algumas economias de referencia internacionais. Temos, por isso, que fazer o máximo por nós, utilizar o máximo das nossas forças, do nosso rigor, do nosso talento e da nossa capacidade de resistência. Os problemas, tal como, infelizmente, a maior parte das soluções estão hoje mais fora dos Açores do que dentro dos Açores”, salientou.
Investimentos como o da Unileite “são justamente os que se recomendam em tempos como os atuais, de dificuldades. São investimentos que infraestruturam a nossa economia e que nos conferem mais defesas”, referiu.

A Unileite fica com mais força para resistir aos desafios que já sabemos que serão crescentes e corresponder ao interesse que a marca “Açores” começa a suscitar a nível internacional devido ao trabalho de anos de investimento na promoção por parte do Governo.

Carlos César alertou ainda para os desafios da desregulação crescente dos mercados e a extinção do regime das quotas leiteiras ma União Europeia. “Só a eficiência, o rigor, a disciplina de gestão e a qualidade permitirão resistir numa situação de desregulação e de liberalização”, disse.

O Presidente do Governo terminou a sua intervenção com uma palavra de “justificada esperança para o sector agrícola”, porque tem uma vitalidade que o afirma como importante e de progresso nos próximos anos. “É importante que contribua como nunca até hoje para o crescimento da economia regional”, concluiu.


Anexos:
2012.07.27-PGR-InauguraçãoExtensãoUnileite.mp3


GaCS

SPEA com várias atividades em Agosto


Teve início a 15 de julho o programa Biologia no Verão com atividades ligadas ao ambiente que irão decorrer em todo o país até 15 de setembro. A SPEA, através do projeto Life Laurissilva Sustentável e do Centro Ambiental do Priolo, propõe diversas atividades durante o verão, acessíveis a todos, nos concelhos do Nordeste e Povoação.

Para o mês de agosto, propomos em todas as 6ª feiras a atividade “Da Semente à Planta”, uma visita guiada aos Viveiros do Projeto Life Laurissilva Sustentável onde poderá conhecer melhor as espécies que fazem parte da Floresta de Laurissilva, assim como todo o processo envolvido na produção destas plantas em viveiro. A atividade decorre das 10h às 12h, sendo o ponto de encontro no Largo do Jardim na Vila da Povoação.

Para 11 de agosto, sugerimos a observação de Priolos em que poderá ficar também a conhecer o seu habitat natural com a atividade “Priolo – O Tesouro da Tronqueira”, onde será acompanhado por técnicos da SPEA. Esta atividade inicia-se às 9h e decorre até às 12h, sendo o ponto de encontro o Centro Ambiental do Priolo, localizado na Pedreira, Nordeste.

Para além disso, temos ainda, a atividade “De Ossos nas Mãos”, no dia 4 de agosto. Esta atividade pretende dar a conhecer melhor os ossos das aves e a importância do seu estudo. Esta é uma atividade lúdica e didática que decorrerá das 15h às 17h na sede do projeto Life Laurissilva Sustentável na Escola Básica da Lomba do Carro, Povoação.

Por fim, a 18 de agosto irá ter lugar a atividade “Venha conhecer a turfeira”, uma visita guiada a um habitat prioritário dos Açores onde poderá ficar a conhecer melhor este importante património natural e todas as ações de recuperação que têm sido levadas a cabo no Planalto dos Graminhais. O ponto de encontro será na Ribeira dos Caldeirões, no Nordeste (às 10h) terminando pelas 18h.

As atividades são gratuitas mas a inscrição é obrigatória. Para qualquer dúvida poderão contactar o Centro Ambiental do Priolo através do 918 536 123 ou http://centropriolo.spea.pt.

Venha conhecer a fauna e a flora dos Açores, sozinho ou em grupo. Descubra o habitat do Priolo, ave endémica dos Açores e as plantas de que ele se alimenta.
Contamos consigo!
__________________________________________________________

www.spea.pt
www.spea.pt/life_laurissilva
centropriolo.spea.pt


Visite-nos:

www.facebook.com/spea.Birdlife

https://twitter.com/spea_birdlife

ERSARA disponibiliza ferramenta eletrónica para a publicitação dos dados da qualidade da água


Está disponível a partir de hoje mais uma funcionalidade na plataforma DO.IT, da ERSARA – Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores, com vista à uniformização dos procedimentos de publicitação dos resultados da qualidade da água.

A publicitação dos resultados da qualidade da água, obtidos na implementação do Programa de Controlo da Qualidade da Água, deve ser realizada trimestralmente por meio de editais afixados em locais de próprios ou na imprensa regional, no prazo máximo de dois meses após o trimestre a que dizem respeito, sem prejuízo da divulgação adicional por outros formatos, designadamente, nos sítios na Internet, por correio ou nos boletins municipais.

Estando previsto por diploma legal o conteúdo mínimo da informação a constar nestes editais, não tem sido consensual a forma de apresentação da informação, pelo que a ERSARA, no cumprimento das suas atribuições de regulador deste sector, disponibilizou esta ferramenta eletrónica, que vem dar resposta a esta situação.

Para além da agilização do procedimento de criação do edital destinado à publicitação dos dados da qualidade da água, e da uniformização da apresentação dos resultados, torna esta ferramenta a interpretação dos resultados por toda a população mais fácil, o que vem ao encontro das expectativas da ERSARA.



GaCS

Secretária da Economia aprova investimentos na Região de cerca de 22 milhões de euros


Cerca de quatro dezenas de projetos que vão representar um investimento de cerca de 22 milhões de euros e possibilitar a criação de quase noventa postos de trabalho foram aprovados durante o segundo trimestre deste ano pela Secretária Regional da Economia, Luísa Schanderl.

Os projetos aprovados no âmbito do Sistema de Incentivo para o Desenvolvimento Regional – SIDER e do Empreende Jovem respeitam a candidaturas apresentadas para investimentos a concretizar nas ilhas de S. Miguel, Terceira, S. Jorge, Pico e Faial em áreas como o Comércio, Serviços, Indústria e Turismo.

Para Luísa Schanderl., estes números “vêm confirmar mais uma vez a importância dos sistemas de incentivos regionais para potenciar investimentos em todas as ilhas da Região”, mas mais importante, ainda, acrescenta, “é o facto destes investimentos confirmarem que o tecido empresarial da Região não está adormecido e que essa realidade é a melhor garantia da criação de novos postos de trabalho”.

De facto, acrescenta, “para se ter uma ideia da forma como, por exemplo, o Empreende Jovem tem sabido corresponder aos objetivos que levaram à sua criação, basta referir que desde a sua entrada em vigor já foram apresentadas quase cento e quarenta candidaturas que representam um investimento global muito próximo dos 25 milhões de euros”.

Para a Secretária Regional da Economia, “esta legislatura, fica, neste campo dos incentivos ao investimento, marcada por uma profunda reforma ao seu funcionamento, possibilitando reduzir de forma muito significativa a burocracia associada às candidaturas e, com isso, uma grande evolução nos prazos de análise para aprovação das candidaturas e nos prazos de pagamento, por forma a poder melhorar a resposta às necessidades de liquidez das nossas empresas com efeitos muito concretos na manutenção dos postos de trabalho existentes, mas também na criação de novo emprego”.


GaCS

Governo dos Açores apoia reabilitação e recuperação de habitações nas Flores


O Governo dos Açores vai apoiar quatro famílias residentes em várias freguesias da ilha das Flores no âmbito dos programas de reabilitação e de requalificação de habitação degradada e de apoio à construção, ampliação e alteração de habitação, num investimento de cerca de 45 mil euros.

O Diretor Regional da Habitação referiu que os apoios aprovados visam melhorar as condições de habitabilidade e de segurança dos agregados familiares ora beneficiados.

Na presente legislatura já foram apoiadas, ao abrigo do programa de requalificação habitacional, outras 61 famílias residentes nas ilhas do Grupo Ocidental, num investimento de cerca de 844 mil euros.

Segundo acrescentou Carlos Faias, ao nível do programa de reabilitação de habitação degradada foram apoiadas, nesta legislatura e em toda a Região, 1.154 famílias, correspondendo a um investimento superior a 20 milhões de euros.



GaCS